Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
266,00 267,00 251,00
GO MT RJ
248,00 254,00 280,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2400,00
Garrote 18m 2770,00
Boi Magro 30m 3290,00
Bezerra 12m 2100,00
Novilha 18m 2540,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 15/10/2021 10:48

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Em Mato Grosso, pecuaristas aguardam desfecho

 
 
 
Publicado em 21/09/2021

Após a identificação de um caso atípico de encefalopatia espongiforme bovina (EEB) em uma unidade frigorífica em Mato Grosso, o mercado de carne mato-grossense segue em observação. Apesar do bom volume de exportações nos primeiros dias de setembro, o cenário ainda está difícil de ser lido, dificultando projeções.

No último dia 15, o Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) declarou que não há previsão para o fim da suspensão de exportação do Brasil para China, Rússia e Arábia Saudita. Os três países barraram a compra de carne bovina brasileira após a oficialização dos dois casos de EEB, popularmente conhecida como “mal da vaca louca”. Além de Mato Grosso, houve um diagnóstico também em Minas Gerais.

Acompanhe as cotações da arroba do boi gordo e da reposição em: www.pecuaria.com.br/cotacoes.php

A paralisação das exportações para a China foi tomada pelo Mapa de forma preventiva. Mesmo com a confirmação laboratorial de que os dois casos derivavam de uma anomalia genética, e não nutricional, a Rússia optou por suspender as compras do Brasil.

Nesta semana, a Arábia Saudita anunciou bloqueio à carne produzida por cinco plantas frigoríficas de Minas Gerais, sem impacto para Mato Grosso, que segue fornecendo proteína animal ao país sem restrições.

“É um momento de vigilância e espera. Tivemos um mês de agosto aquecido nas exportações, com recorde no volume embarcado. O início de setembro indicava que o ritmo seguiria intenso, mas a suspensão de vendas para a China é um fato muito relevante para Mato Grosso, já que 62% das nossas exportações são destinadas ao mercado chinês”, contextualiza o diretor de Operações do Instituto Mato-grossense da Carne (Imac), Bruno de Jesus Andrade.

A participação da China nas exportações mato-grossenses é realizada por oito das 31 indústrias frigoríficas ativas no estado, que são as unidades habilitadas pelo rigoroso protocolo do governo chinês. Mato Grosso tem o maior rebanho bovino do Brasil e é o maior produtor de carne bovina no País, sendo também o segundo maior exportador.

Com o risco sanitário minimizado após a comprovação de origem genética para os dois casos de EEB, as incertezas são comerciais. “Sabemos que se tratava de duas situações de exceção e esse fato tranquiliza o mercado. Temos protocolos de controle e defesa sanitária sólidos, reconhecidos pela OIE e pelo mercado internacional. Agora, precisamos mensurar os reflexos econômicos”, observa Andrade.

Em agosto, Mato Grosso exportou 50,18 mil toneladas de equivalente carcaça (TEC) de carne bovina. É um número recorde, que correspondeu a uma alta de 20,94% em relação ao volume embarcado em julho. Esse marco foi recebido como boa notícia pelo mercado, já que, de janeiro a agosto, o estado ainda enfrenta uma retração de 5,32% no volume embarcado se comparado ao mesmo período de 2020.

“Por outro lado, a receita com a exportação em 2021 está 7,92% acima da registrada em 2020, sinalizando a valorização da carne bovina mato-grossense no mercado internacional”, pontua o executivo do Imac.

Situação não é inédita. Esta não é a primeira vez em que a EEB paralisou o comércio exterior da carne bovina mato-grossense. Em 2019, um caso da doença foi identificado no estado, também de forma atípica e sem risco sanitário.

O fato teve como consequências a queda nas cotações de boi gordo, a redução na escala de abate dos frigoríficos e uma pequena retratação nas exportações (de apenas 1,13%).

Em 2019, a suspensão nas exportações durou 10 dias. Neste ano, já são 12 dias de bloqueio. O Mapa informa que todas as informações técnicas foram enviadas para os governos da China, Rússia e Arábia Saudita, mas não é possível precisar em quanto tempo haverá resposta de cada país. O mercado, assim, segue em compasso de espera. Com informações do Diário de Cuiabá.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[15/10/2021] - Arroba: frigoríficos continuam derrubando o boi
[15/10/2021] - Ataques a entidades do Agro causam indignação
[15/10/2021] - Deputado da FPA pede investigação de vandalismo
[15/10/2021] - Atividade econômica perdeu força em agosto
[15/10/2021] - JBS faz novo investimento nos Estados Unidos
[15/10/2021] - Alemanha tem caso atípico de vaca louca
[14/10/2021] - China terá carne barata quando mercado reabrir?

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[14/10/2021] - Militantes vandalizam sede de entidades do Agro
[14/10/2021] - Arroba: boi caiu, mas a carne ainda não
[14/10/2021] - CEPEA: pecuaristas não aceitam preços menores
[14/10/2021] - PIB da Pecuária: alta de 6,1% em 2021
[13/10/2021] - Como estão as exportações em outubro?
[13/10/2021] - Arroba: frigoríficos continuam segurando compras
[13/10/2021] - China derrubou importações de carne
[13/10/2021] - Milho: compradores saíram do mercado
[13/10/2021] - Proibição da exportação de gado avança
[08/10/2021] - China deve aumentar (muito) importações do Brasil
[08/10/2021] - Arroba: frigoríficos travam as compras
[08/10/2021] - Produção de leite de Mato Grosso caiu
[08/10/2021] - Bolsonaro: falta de adubo é preocupante
[07/10/2021] - Abrafrigo: EUA dobraram importações do Brasil
[07/10/2021] - Arroba: reabertura chinesa pode ocorrer amanhã
[07/10/2021] - Arroba: frigoríficos estão atrás de boi barato
[07/10/2021] - CEPEA: referência está quase 5% menor
[07/10/2021] - Leite: preço ao produtor volta a subir em setembro
[07/10/2021] - Lácteos sobem pelo sexto mês consecutivo
[07/10/2021] - RS já registrou focos de raiva em 25 municípios
[07/10/2021] - Preço do milho já caiu quase 5%
[07/10/2021] - Fundador da Marfrig será julgado pela CVM
[06/10/2021] - Embargo chinês: o que dizem os analistas?
[06/10/2021] - Confinadores já fazem conta dos prejuízos
[06/10/2021] - Arroba: mercado segue travado
[06/10/2021] - Carcaça casada caiu em setembro
[06/10/2021] - Crédito rural bate recorde histórico
[06/10/2021] - Senado aprova novas regras para ferrovias
[06/10/2021] - IGP mostra que inflação perdeu força
[05/10/2021] - Arroba: mercado calmo
[05/10/2021] - Arroba: frigos derrubam o boi no mercado futuro
[05/10/2021] - Laticínios anunciam fusão
[05/10/2021] - Milho: mercado recuou
[05/10/2021] - EUA anunciam vacina para Peste Suína Africana
[04/10/2021] - Exportações de carne bovina: alta de 31%
[04/10/2021] - Receita com exportações foi a maior da história
[04/10/2021] - Frigoríficos pagam menos, mas carne não caiu
[04/10/2021] - Leite volta a subir em setembro
[04/10/2021] - Milho: vendedores saem do mercado
[04/10/2021] - Faltam tratores e máquinas no mercado
[01/10/2021] - Ações de frigoríficos nem sentiram embargo chinês
[01/10/2021] - BNDES, enfim, deve vender ações da JBS
[01/10/2021] - Arroba: frigoríficos seguem pressionando com força
[01/10/2021] - Arroba: especulação tomou conta em SP
[01/10/2021] - Justiça proíbe demissões na Marfrig
[30/09/2021] - Frigoríficos derrubam o boi e põem culpa na China
[30/09/2021] - CEPEA: boi tem a maior queda desde janeiro de 2020
[30/09/2021] - Agro continua gerando mais empregos
[30/09/2021] - Ração: preços dispararam... na China
[30/09/2021] - Carne bovina disparou também nos EUA

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br