Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
311,00 291,00 301,00
GO MT RJ
296,00 299,00 286,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2890,00
Garrote 18m 3360,00
Boi Magro 30m 3970,00
Bezerra 12m 2550,00
Novilha 18m 3090,00
Vaca Boiadeira 3300,00

Atualizado em: 9/4/2021 10:23

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Importar boi do Paraguai não vai derrubar a arroba

 
 
 
Publicado em 11/02/2021

Atualmente em discussão no Ministério da Agricultura, a liberação para a importação de gado vivo do Paraguai para contornar a falta de animais prontos para abate no Brasil teria pouca ou nenhuma capacidade de influenciar nos preços da arroba brasileira, cotada atualmente em patamares recordes.

Com um rebanho equivalente a cerca de 6% do efetivo de bovinos existente atualmente no Brasil, o país pode ver a sua arroba, atualmente 16% mais barata, alinhar-se aos preços brasileiros em pouco tempo – anulando possíveis ganhos com a abertura das importações.

“Como o rebanho do Paraguai é muito menor, a partir do momento que você começa a comprar gado do Paraguai é muito provável que ocorra o aumento da arroba paraguaia também”, destaca o analista de pecuária da Stonex, Caio Toledo.

Segundo dados do governo do Paraguai, em 2019 o país possuía um rebanho de 13,8 milhões de cabeças de gado. O volume corresponde a menos da metade do volume de abates registrados no Brasil naquele ano, de 32,45 milhões de cabeças de gado.

“Caso isso aconteça e a gente de fato importe gado bovino do Paraguai, vai ser algo de curtíssimo prazo e que a médio prazo o próprio mercado vai entender o que está acontecendo, sem perdurar por muito tempo”, observa Toledo.

Segundo ele, o pedido de liberação das importações pela indústria tem mais efeito simbólico do que econômico sobre a cadeia, sinalizando que a situação no mercado brasileiro teria chegado ao limite. “Em termos práticos, não sei se vai funcionar tanto. Acho que é muito mais uma mensagem do que algo que de fato vá acontecer”, observa o analista.

E o recado foi dado já na balança comercial de janeiro, quando as importações brasileiras de bovinos e bubalinos vivos registraram crescimento de 202,4% ante igual período do ano passado, com 6,3 toneladas. Um número pequeno, mas que sinaliza uma procura.

No acumulado de 2020, foram 26,3 toneladas, pouco mais que o dobro do registrado em 2019. Os números, segundo a diretora-executiva da Agrifatto Lygia Pimentel, refletem a diferença de preços do Brasil em relação a seus pares na América do Sul. Segundo ela, o atual cenário favorece a procura por animais de outros países, o que pode representar riscos sanitários ao Brasil.

"Para importar formalmente é necessário estar a par das exigências sanitárias, e isso inclui vacinação contra febre aftosa. Mas a gente sabe que informalmente a fronteira seca favorece o trânsito de animais de tempos em tempos. E o risco maior está aí"
Lygia Pimentel, diretora-executiva da Agrifatto

Reação no campo

A questão sanitária também é a principal preocupação dos pecuaristas brasileiros, que não receberam bem a notícia de uma possível abertura do mercado interno ao gado paraguaio.

“A gente é contra essas medidas porque tivemos um trabalho intenso de sanidade, com o trabalho grande que o Ministério da Agricultura, para tirar a vacinação e fazer a gente voltar tudo atrás e correr riscos de doenças, principalmente aftosa”, diz o presidente da Associação de Criadores de Gado do Mato Grosso (Acrimat), principal Estado produtor do país.

Segundo ele, o setor não foi consultado sobre a possibilidade de abertura das importações de gado paraguaio. “O que chama atenção é principalmente o aspecto sanitário. O mercado é livre e cada um tem que procurar o que é melhor. Mas não existe animal pronto porque não tem animal pronto mesmo. Tivemos dois anos de seca violenta”, destaca o pecuarista.

Segundo o Ministério da Agricultura, caso seja aprovada, a autorização para importação de gado vivo do Paraguai será válida para qualquer empresa que cumpra os requisitos sanitários estabelecidos pelo Brasil junto ao governo paraguaio – sem definição de cotas ou limites de volume.

“O Paraguai é um país reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa com vacinação em todo o seu território. Dessa maneira, cumpre, plenamente, todas as exigências brasileiras para a importação de carne bovina”, afirmou a pasta em nota.  Com informações do Globo Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[09/04/2021] - Arroba: carne pode subir no mercado doméstico?
[09/04/2021] - Incertezas travam mercado do boi
[09/04/2021] - Preço do boi firme no Rio Grande do Sul
[09/04/2021] - JBS nega ter vendido carne imprópria
[09/04/2021] - Milho: preços seguem acima de R$ 100
[09/04/2021] - Alta de custos preocupa setor de aves e suínos
[09/04/2021] - Nelore: pesquisa acha gene de qualidade da carne

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[09/04/2021] - Petrobras anuncia queda no preço do diesel
[09/04/2021] - Inflação: IPCA subiu menos que a expectativa
[09/04/2021] - IGP-M perde força em abril
[09/04/2021] - Austrália: exportações têm pior nível em 10 anos
[08/04/2021] - Arroba: frigoríficos pagam acima da referência
[08/04/2021] - Scot: boi China chega a R$ 320
[08/04/2021] - CEPEA: peste suína puxa vendas de carne do Brasil
[08/04/2021] - Carcaça bovina sobe com alta da arroba
[08/04/2021] - PIB da Pecuária deve crescer quase 30% em MT
[08/04/2021] - JBS: operação investiga venda de carne imprópria
[08/04/2021] - Falta de chuvas pode prejudicar ainda mais o milho
[08/04/2021] - Brasil baterá recorde na produção de grãos
[08/04/2021] - Agro responde por 82% das exportações de Goiás
[07/04/2021] - Arroba: frigoríficos não completam escala em SP
[07/04/2021] - Boi já chega a R$ 307 em Mato Grosso
[07/04/2021] - Arroba: tendência é bater os R$ 320
[07/04/2021] - Vender carne bovina no Brasil não é bom negócio?
[07/04/2021] - Bolsonaro pede que Rússia libere mais frigoríficos
[07/04/2021] - Produtor recebe cada vez menos pelo leite
[07/04/2021] - Leite: produção caiu, mas demanda não ajuda
[07/04/2021] - Milho: preço dispara e bate os R$ 100
[07/04/2021] - Milho: qual a expectativa para os preços?
[07/04/2021] - Crédito rural está ameaçado
[07/04/2021] - Tereza: ambiente e comércio são aliados
[07/04/2021] - Embrapa trabalha em vacina contra o carrapato
[06/04/2021] - Boi volta a bater recorde
[06/04/2021] - Arroba: frigoríficos seguram compras e olham
[06/04/2021] - Preço da carne bovina exportada subiu quase 5%
[06/04/2021] - Bezerro deve continuar caro?
[06/04/2021] - Frigol fecha unidade citando mercado interno ruim
[06/04/2021] - Produtores de suínos reclamam da margem do varejo
[06/04/2021] - Milho já chega próximo dos R$ 100 na Bolsa
[06/04/2021] - Preço do milho disponível bate recorde
[06/04/2021] - Fazenda é invadida por 500 garimpeiros em MT
[05/04/2021] - Exportações de carne subiram quase 6% em março
[05/04/2021] - Bezerro caro deve derrubar confinamento em 10%
[05/04/2021] - Arroba bate recorde e acumula alta de 18% em 2021
[05/04/2021] - Preço do boi vai continuar subindo em abril?
[05/04/2021] - Scot: arroba voltou a subir em SP
[05/04/2021] - Milho disparou e subiu quase 10% em março
[05/04/2021] - Mato Grosso muda emissão de GTA
[01/04/2021] - Arroba do boi volta a subir e bate recorde em SP
[01/04/2021] - CEPEA: alta do bezerro é sinal de alerta
[01/04/2021] - Lácteos valorizam, mas produtor não vê alta
[01/04/2021] - Agro tem a maior geração de emprego desde 2011
[01/04/2021] - Epidemia de peste suína volta ao norte da China
[01/04/2021] - ABCZ cancela a Expozebu presencial
[01/04/2021] - Setor de rações espera crescer apesar dos preços
[31/03/2021] - Não está fácil fechar a conta do boi
[31/03/2021] - Arroba: o que diz o mercado futuro?

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br