Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
287,00 269,00 286,00
GO MT RJ
284,00 274,00 269,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2250,00
Garrote 18m 2690,00
Boi Magro 30m 3430,00
Bezerra 12m 2010,00
Novilha 18m 2430,00
Vaca Boiadeira 2660,00

Atualizado em: 21/1/2021 11:52

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Normas podem reduzir produção de frigos em 50%

 
 
 
Publicado em 10/07/2020

O distanciamento mínimo de dois metros na linha de produção para conter a disseminação da Covid-19 em frigoríficos determinado pela Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, deve reduzir em até 50% a produção no Estado. A estimativa é de entidades representativas da indústria.

Em ofício enviado ao governador do Estado, Carlos Roberto Massa Júnior, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (SINDIAVIPAR) e o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (OCEPAR) pedem a “revisão imediata do Decreto” estadual. Maior produtor nacional de aves, o Paraná responde por 40% das exportações brasileiras de frango e 16% dos embarques de suínos.

“O principal ponto em questão é o distanciamento dos colaboradores, que dificulta severamente a produção de aves e de suínos em todo o estado, e contraria a Portaria Conjunta Nº 19, de 18 de junho de 2020, publicada pelos Ministérios da Saúde, da Agricultura e da Economia (Secretaria Especial do Trabalho e Previdência)”, apontam as entidades.

Portaria nº 19

A Portaria Conjunta nº 19 foi publicada pelo governo federal com o intuito de criar um protocolo único de manejo da Covid-19 na indústria frigorífica, mas tem sido questionada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e entidades representativas dos trabalhadores por propor regras mais flexíveis que as impostas pelas autoridades estaduais ao setor.

Pelo documento federal, a recomendação mínima de um metro é dispensada diante do uso de máscara cirúrgica. Já a Resolução publicada pela Secretaria de Estado da Saúde do Paraná determina o distanciamento de 1,5 metro mesmo com o uso de equipamentos de proteção individual ou a presença de anteparos físicos entre os trabalhadores.

“Com a manutenção do distanciamento de 1,5 metro como padrão mínimo, a operação das plantas em todo o estado continuará a ser impactada severamente por um quadro de insegurança jurídica, frente à incongruência supracitada entre a norma estadual e a norma nacional”, afirma o ofício enviado ao governo do Estado e que prevê impactos sobre “os compromissos assumidos pela cadeia produtiva com o abastecimento e com as exportações”.

Ainda de acordo com a indústria paranaense, existe um “conjunto variado de atividades em que se demanda trabalho conjunto – em duplas” e a exigência de um distanciamento mínimo, “impedirá a execução de diversos processos, bem como, aumentará o risco de acidentes
e de adoecimento osteomuscular dos trabalhadores”. Com isso, as entidades pedem que o governo estadual “apenas ratifique” as determinações federais para o setor, mais brandas que a Resolução publicada pela Secretaria de Saúde paranaense.

“Embora existam diferentes pontos de vista, a harmonização das normas garantirá a segurança jurídica a quem produz, assim como possibilitará a manutenção dos trabalhos com o propósito de proteger a saúde do colaborador e não permitir que falte alimentos para a população brasileira”, reitera a ABPA em nota.

Distanciamento já adotado

O distanciamento de 1,5 metro, contudo, já vinha sendo adotado pelo setor mesmo antes da publicação das normas estaduais. Em dois Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) firmados nos dias 29 e 30 de junho, os frigoríficos Frango Pioneiro Indústria e Comércio de Alimentos Ltda, em Joaquim Távora, e Jaguafrangos Indústria e Comércio de Alimentos Ltda, em Jaguapitã, comprometeram-se com a adotar esse parâmetro.

Em nota divulgada nesta quinta-feira (9/7), a Procuradoria Geral do Trabalho afirma haver um aumento da pressão da indústria para que sejam revogadas as portarias estaduais de controle e combate a Covid-19 no setor frigorífico. Segundo o órgão, “o afrouxamento das medidas de prevenção agora, seria uma ameaça à saúde pública” e “os estados têm autonomia legislativa para estabelecer regras mais protetivas do que a lei federal, conforme reconhecido pelo STF e previsto no artigo 2º da própria Portaria Conjunta nº 19, do Governo Federal”.

“No caso do Paraná, inclusive, a Resolução 855 foi publicada posteriormente à norma federal evidenciando que a autoridade sanitária regional reputou necessária uma série de medidas mais preventivas para conter a transmissão do vírus entre trabalhadores e trabalhadoras do setor”, avalia o órgão.Com informações do Globo Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[21/01/2021] - JBS vai mesmo processar os irmãos Batista
[21/01/2021] - Arroba: boi já volta ao patamar de R$ 300
[21/01/2021] - CEPEA: arroba tem a maior alta da história
[21/01/2021] - China: peste suína volta a aparecer
[21/01/2021] - Leite: cooperativas sofrerão com alta do ICMS
[21/01/2021] - Bolsonaro é contra venda de terra a estrangeiro
[20/01/2021] - Arroba: frigoríficos começam a dar férias

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/01/2021] - A disparada do boi em Mato Grosso do Sul
[20/01/2021] - China reabilita unidades da JBS
[20/01/2021] - Entidade descarta greve dos caminhoneiros
[20/01/2021] - Milho: alta de preço não tem fim
[19/01/2021] - Arroba começou a semana estável em SP
[19/01/2021] - Boi está em alta em Goiás
[19/01/2021] - Exportações perderam força na última semana
[19/01/2021] - Leite: preços devem ficar firmes, segundo o CEPEA
[19/01/2021] - ANTT publica tabela com fretes mais caros
[19/01/2021] - Atacado continua puxando índice de inflação
[19/01/2021] - Quadrilha simulava compra de gado em Goiás
[18/01/2021] - Governo de SP decide taxar leite pasteurizado
[18/01/2021] - Leite: aumento do ICMS pode fechar fazendas
[18/01/2021] - Arroba: movimento de alta continua
[18/01/2021] - Carne sobe no atacado
[18/01/2021] - Milho: preços em disparada preocupam
[18/01/2021] - China ainda tenta recuperar produção de carne
[18/01/2021] - JBS vai antecipar pagamento de dívida
[18/01/2021] - Polícia recupera gado roubado em MG
[15/01/2021] - Arroba: frigoríficos seguem oferecendo mais
[15/01/2021] - Greve dos caminhoneiros: se ocorrer será pontual
[15/01/2021] - IGP-10 recua com queda de preços ao consumidor
[15/01/2021] - Doria cumpre parcialmente acordo com produtores
[15/01/2021] - Marfrig emite dívida ao menor juro de sua história
[14/01/2021] - Arroba: frigoríficos voltaram a pagar R$ 290
[14/01/2021] - CEPEA: boi já recuperou queda de dezembro
[14/01/2021] - China importou quase 10 milhões de t de carne
[14/01/2021] - Leite subiu mas não melhorou situação do produtor
[14/01/2021] - Caminhoneiros ameaçam Bolsonaro
[14/01/2021] - Doria ainda não mandou publicar redução do ICMS
[14/01/2021] - Secretário promete que redução de ICMS vai sair
[14/01/2021] - Pagamento por serviços ambientais vira lei
[13/01/2021] - BNDES desiste de vender ações da JBS
[13/01/2021] - Safras: alta do boi é muito agressiva
[13/01/2021] - Arroba: frigoríficos pagam até R$ 11 a mais
[13/01/2021] - Analista prevê boi firme até março
[13/01/2021] - Milho: EUA esperam safra menor no Brasil
[12/01/2021] - Exportações de carne começaram o ano em forte alta
[12/01/2021] - Agro: exportações dispararam em janeiro
[12/01/2021] - Exportações do Agro passaram de US$ 100 bi
[12/01/2021] - Arroba: frigoríficos estão precisando de boi
[12/01/2021] - Arroba: boi dispara também em Goiás
[12/01/2021] - Pecuaristas de MT estão otimistas
[12/01/2021] - Carne continua em falta na China
[12/01/2021] - Empresa da JBS paga multa para encerrar processo
[12/01/2021] - Bolsonaro cobra apoio da bancada do Agro
[12/01/2021] - Minério de ferro pressiona e IGP-M segue em alta
[11/01/2021] - Analista prevê ano favorável para a pecuária
[11/01/2021] - Arroba: preço do boi tem forte alta
[11/01/2021] - Milho: preços em disparada

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br