Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
217,00 203,00 210,00
GO MT RJ
206,00 192,00 200,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2010,00
Garrote 18m 2310,00
Boi Magro 30m 2780,00
Bezerra 12m 1402,00
Novilha 18m 1680,00
Vaca Boiadeira 2090,00

Atualizado em: 3/7/2020 11:56

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

MP da regularização fundiária deve cair

 
 
 
Publicado em 13/05/2020

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), decidiu retirar da pauta a medida provisória 910, sobre a regularização fundiária. Depois de horas de discussão no plenário, Maia interveio e afirmou que iria adiar a votação por falta de entendimento entre os parlamentares. Segundo ele, o assunto voltará à pauta na próxima semana.

A retirada de pauta foi uma derrota política para o governo. Isso porque a proposta corre o risco de perder sua validade sem ser votada pelos deputados e senadores até a próxima terça-feira, 19. Na semana passada, Bolsonaro usou as redes sociais para pedir apoio à aprovação da matéria.

Ao encerrar a sessão, Maia afirmou que, mesmo se a proposta fosse aprovada hoje, tinha dúvidas se haveria tempo hábil para que a MP fosse analisada no Senado. Ele afirmou que a MP 910 está contaminada por radicalismos e pode desgastar a relação harmoniosa entre os líderes, comprometendo votações futuras. "O relator avançou no seu texto e, se não fosse o enfrentamento ideológico entre ambientalistas e agronegócio, estaríamos votando a favor do relatório do deputado Zé Silva", disse Maia.

No decorrer da sessão, líderes da oposição cobraram o cumprimento do acordo de que as votações remotas seriam exclusivamente de temas relacionados ao novo coronavírus.

Maia disse que, se forçasse a votação da MP hoje, poderia haver um processo consistente de obstrução em todas as propostas levadas ao Plenário.

Maia convocou uma reunião entre todos os líderes partidários para as 9 horas desta quarta-feira (13) para decidir a pauta das próximas duas semanas.

A proposta corre o risco de perder sua validade sem não for votada pela Casa e também pelo Senado até dia 19.

Na semana passada, Bolsonaro usou as redes sociais para pedir apoio à aprovação da MP. "Colocá-la em votação, e não deixá-la caducar, é um compromisso com a dignidade desses produtores (rurais) e com o desenvolvimento do nosso Brasil", escreveu nas redes sociais. O apelo de Bolsonaro ocorreu após uma reunião, no Palácio da Alvorada, com Nabhan Garcia, secretário especial de Assuntos Fundiários, também mentor da proposta.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, também tem atuou pela aprovação da medida. No fim de abril, ela afirmou "estar lutando" para que a proposta do governo não caduque.

Na segunda, o relator da medida provisória, Zé Silva (SD-MG), participou de reunião ao lado do ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, com demais líderes do Centrão. Silva disse que vinha atuando como "engenheiro de consenso".

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que havia um acordo de lideranças prevendo que a matéria só seria pautada se houvesse consenso entre Ministério da Agricultura, a bancada do agronegócio e a bancada do meio ambiente.

Além de Tereza Cristina e de integrantes da bancada do agronegócio, diretamente interessados na aprovação da MP, líderes do Centrão também pretendem procurar o presidente da Câmara ainda nesta quarta para convencê-lo a pôr a proposta em votação na próxima semana.

A MP estabelece novos critérios para a regularização fundiária de imóveis da União e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

No alvo estão assentamentos ocupados até 2012, com área de até 15 módulos fiscais, unidade que varia de 5 a 110 hectares. O avanço da proposta também marca o início de uma nova forma de articulação política do governo, que ensaia a formação de uma base parlamentar.

O governo argumenta que, ao titular as posses, vai conseguir ter maior controle da terra e, ainda, responsabilizar proprietários por danos ao meio ambiente. 

"É importante saber por que nós tomamos a decisão dos seis módulos fiscais. Primeiro, nós estamos garantindo que eles tenham acesso a essa tecnologia moderna, que é o sensoriamento remoto. Mas não basta o que tem sido dito aí porque as pessoas só leram a medida provisória —, não basta fazer uma declaração de que é proprietário. Ele precisa apresentar dez documentos, dez quesitos que nós estamos condicionando na medida provisória", argumentou o relator da proposta no plenário da Câmara, Zé Silva (Solidariedade-MG).

O deputado lembra que o proprietário precisará apresentar o Cadastro Ambiental Rural (CAR) regularizado, uma planta com a responsabilidade técnica. Também não pode ter sido beneficiário de regularização ou de qualquer outro assentamento, ser funcionário público, ter trabalhadores em condição análoga à de trabalho escravo ou indícios de fracionamento fraudulento, embargos ou infração ambiental.

Caso deputados decidam pelo projeto de lei, ele seria votado na próxima quarta-feira, segundo a sugestão de Baleia.

Maia disse em plenário contar com a concordância do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para pautar o tema na Casa, seja por meio de MP, seja na forma de um projeto. Com informações da Agência Cãmara e da Reuters.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[03/07/2020] - Um alerta urgente para toda a Pecuária Brasileira
[03/07/2020] - Qual será o real impacto do embargo chinês aqui?
[03/07/2020] - Arroba: frigoríficos precisam comprar boi
[03/07/2020] - Arroba do boi já chegou a R$ 214 em MG
[03/07/2020] - Preço do boi disparou também no Rio Grande do Sul
[03/07/2020] - Expointer 2020 é oficialmente cancelada
[02/07/2020] - Exportações de carne bateram recorde em junho

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[02/07/2020] - Dependência da China preocupa produtores do Sul
[02/07/2020] - Tereza conversa com chineses sobre embargo
[02/07/2020] - Quais foram os frigoríficos liberados pelo México?
[02/07/2020] - Arroba: disputa pelo boi está cada vez maior
[02/07/2020] - Margem dos frigoríficos está menor
[02/07/2020] - A grande vitória do Brasil na pandemia
[02/07/2020] - Dólar trava queda no preço do milho
[02/07/2020] - Acordo com a UE deve sair, apesar de Macron
[02/07/2020] - Ataques destroem propriedades rurais na Argentina
[01/07/2020] - China pode suspender mais frigoríficos brasileiros
[01/07/2020] - Ação da China vai derrubar o preço do boi?
[01/07/2020] - Boi sobe com liberação de frigoríficos pelo México
[01/07/2020] - Arroba: sem chance de queda?
[01/07/2020] - Pecuaristas goianos estão segurando a venda de boi
[01/07/2020] - Varejo repassa alta do boi para carne
[01/07/2020] - Leite: preço dispara com oferta menor
[01/07/2020] - Para onde vai o preço do milho?
[01/07/2020] - EUA: exportações de carne a Hong Kong devem cair
[01/07/2020] - MAPA terá sistema de registro de máquina agrícola
[30/06/2020] - China suspende mais três frigoríficos brasileiros
[30/06/2020] - Por que a China está embargando frigoríficos?
[30/06/2020] - China também pode liberar novas unidades
[30/06/2020] - China também suspendeu frigoríficos holandeses
[30/06/2020] - Arroba: frigoríficos disputam boi em São Paulo
[30/06/2020] - Frigoríficos aceleraram abates em Mato Grosso
[30/06/2020] - Reposição subiu mais de 10% no Paraná
[29/06/2020] - Unidade da JBS é proibida de exportar à China
[29/06/2020] - Exportadores dos EUA desistem de vender à China
[29/06/2020] - Arroba dispara com disputa entre os frigoríficos
[29/06/2020] - Reabertura do comércio em SP pode puxar mais o boi
[29/06/2020] - Alta da arroba já chegou ao preço da carne?
[29/06/2020] - Marfrig e Minerva disputam mercado no Paraguai
[29/06/2020] - Marfrig contrata empréstimo de US$ 500 milhões
[29/06/2020] - Argentina tenta controlar nuvem de gafanhotos
[26/06/2020] - Consultoria prevê disparada da arroba do boi
[26/06/2020] - Arroba do boi já deixa pra trás os R$ 215
[26/06/2020] - Justiça interdita unidade da JBS novamente
[26/06/2020] - Sem acordo, outra unidade da JBS ficará fechada
[26/06/2020] - Alta na reposição dão tem data para acabar
[26/06/2020] - Brasil decreta emergência por nuvem de gafanhotos
[26/06/2020] - Foco de raiva é motivo de alerta aos pecuaristas
[25/06/2020] - Pecuária brasileira depende perigosamente da China
[25/06/2020] - Boi pronto está em falta no mercado
[25/06/2020] - Compras da China puxam alta forte do boi
[25/06/2020] - Prepare seu coração pras coisas que vou contar
[25/06/2020] - Nuvem de gafanhotos chegará ao Brasil?
[24/06/2020] - Frigoríficos declaram: carne está livre de vírus
[24/06/2020] - Frigoríficos dizem temer novo embargo da China
[24/06/2020] - Ministério confirma novas exigências chinesas
[24/06/2020] - Importações da China tiveram alta de quase 50%

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br