Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
247,00 242,00 247,00
GO MT RJ
236,00 238,00 240,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2180,00
Garrote 18m 2430,00
Boi Magro 30m 3010,00
Bezerra 12m 1860,00
Novilha 18m 2330,00
Vaca Boiadeira 2440,00

Atualizado em: 25/9/2020 09:08

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

JBS paralisa abates para pressionar a arroba

 
 
 
Publicado em 12/12/2019

A JBS vai paralisar temporariamente onze abatedouros de bovinos no Brasil a partir da próxima semana. As unidades voltarão a funcionar em janeiro, após um período de 15 dias de férias coletivas – aproveitando Natal e Ano Novo. A medid foi confirmada pela companhia. Em nota à reportagem, a JBS informou que a “Friboi irá conceder férias coletivas em onze de suas unidades. A medida é parte do planejamento da empresa para este período do ano. As unidades retomam as atividades na primeira quinzena de janeiro”.

Na avaliação de uma fonte da indústria, movimentos dessa magnitude servem para “proteger as margens”. Relativamente, o negócio de carne bovina da JBS no país é mais dependente do mercado interno na comparação com outros concorrentes. Nos atuais preços do boi gordo, as contas dos abatedouros que concentram as vendas no Brasil não fecham, avaliou outra fonte.

Esse parece ser um caso de alguns dos abatedouros de bovinos que serão paralisados temporariamente. O Valor apurou que as unidades da JBS em Alta Floresta, Colíder e Confresa, em Mato Grosso, e Redenção (PA) estão na lista dos abatedouros que darão férias coletivas. Nenhum deles têm habilitação para exportar para a China, o mercado que melhor remunera.

Acompanhe as cotações da arroba do boi gordo e da reposição em: www.pecuaria.com.br/cotacoes.php

Com a decisão de paralisar 11 de seus 35 abatedouros de bovinos no país, a JBS pode intensificar o movimento de ajuste das cotações do boi, que já vem ocorrendo nas últimas semanas. A dona da Friboi é a maior indústria de carne bovina, respondendo por cerca de 30% dos abates fiscalizados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF). Na sequência, aparecem Marfrig e Minerva Foods, que têm capacidade para abater 14,8 mil e 11,9 mil cabeças de gado no país, respectivamente.

O preço do boi gordo, que bateu recorde no mês passado e ultrapassou R$ 230 por arroba, já recuou mais de R$ 20 desde o pico histórico de 29 de novembro. Ontem, o indicador Esalq/B3 para o boi gordo no Estado de São Paulo -referência para o restante do país -, estava em R$ 207,40 por arroba, o que representa uma queda de 10,3% no acumulado do mês.

No mercado futuro, os contratos de boi gordo também operam em baixa. Os lotes com entrega para dezembro caíram ontem 3% na B3, para R$ 194,40 por arroba.

De acordo com um pecuarista, o preço de balcão oferecido pela JBS em São Paulo já é de R$ 190 por arroba. “Acho que fecham a compra a R$ 200”, ponderou esse produtor, ressaltando que o preço de balcão dá a dimensão da pressão que os frigoríficos vem exercendo para ajustar os preços.

Entre analistas, parece consenso que os níveis de preços registrados em novembro estavam fora da realidade. Além disso, o mercado chinês, um dos grandes responsáveis pela disparada das cotações do boi e também da carne, reduziu bastante o ritmo de compras. “O mercado deu uma esfriada”, admitiu o executivo de um grande frigorífico. As vendas para o país asiático só devem voltar a ganhar força depois do Ano Novo Chinês, em janeiro.

A retomada das encomendas, porém, deve se dar em ritmo menos intenso que o registrado em novembro. Na terça-feira, o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Antonio Camardelli, projetou que a China comprará entre 50 mil e 60 mil toneladas mensais em 2020. Em novembro, foram mais de 80 mil. Nesse cenário, o boi deve se estabilizar em patamar mais baixo do que o de novembro. “Nem a exportação à China consegue pagar um boi acima de R$ 215”, afirmou um executivo. Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[25/09/2020] - Arroba: boi China já se aproxima de R$ 260
[25/09/2020] - Alta do boi está perdendo força?
[25/09/2020] - Tesouro dos EUA monitorava atividades da JBS
[25/09/2020] - Empresa suspeita tem relação com a JBS
[25/09/2020] - Alemanha cerca fronteira contra peste suína
[25/09/2020] - Prazo para entrega do ITR termina no dia 30
[24/09/2020] - JBS: BNDES aumenta pressão contra os Batista

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[24/09/2020] - Arroba: frigoríficos sobem a oferta pelo boi
[24/09/2020] - Arroba: vai sobrar boi no final do ano?
[24/09/2020] - Reposição já subiu mais de 80% na Bahia
[24/09/2020] - Leite: alta generalizada nos preços
[24/09/2020] - Milho: alta continua em algumas praças
[24/09/2020] - Filipinas detecta novos focos de peste suína
[24/09/2020] - Polícia apreende gado contrabandeado do Paraguai
[23/09/2020] - Reservas de carne da China estão acabando
[23/09/2020] - Arroba: escalas de abate diminuíram. E agora?
[23/09/2020] - Exportações de carne seguem em bom ritmo
[23/09/2020] - JBS vai aumentar monitoramento de pecuaristas
[23/09/2020] - CEO de empresa da JBS é acusado de fraude
[23/09/2020] - JBS faz nova antecipação no banco do grupo
[23/09/2020] - Minerva usará software de ONG em monitoramento
[23/09/2020] - Agência eleva nota de crédito da Marfrig
[22/09/2020] - Está chegando a hora da queda do boi?
[22/09/2020] - Arroba: alta deu uma trégua
[22/09/2020] - Exportações de carnes seguem em crescimento
[22/09/2020] - Falta de boi deixa frigoríficos ociosos em MT
[22/09/2020] - Milho bate recorde de preço em Mato Grosso
[22/09/2020] - Caroço de algodão subiu mais de 35%
[22/09/2020] - Pecuaristas somam prejuízos com fogo no Pantanal
[22/09/2020] - Bolsonaro: Brasil é vítima de campanha difamatória
[22/09/2020] - Governo anuncia pavimentação da BR-319
[21/09/2020] - Agro registra superávit comercial recorde em 2020
[21/09/2020] - Bolsonaro: Agro evitou colapso do Brasil
[21/09/2020] - Arroba do boi chega a R$ 250 no Pará
[21/09/2020] - Arroba do boi sobe no Norte e no Centro-Oeste
[21/09/2020] - Milho: compradores saem do mercado
[21/09/2020] - Governo crê em lobby contra acordo UE-Mercosul
[21/09/2020] - Peste suína: mais seis casos na Alemanha
[21/09/2020] - Sementes não-solicitadas são entregues no RS
[21/09/2020] - OPINIÃO: Desmatamento é conto do vigário
[18/09/2020] - Produção da Pecuária poderá bater os R$ 200 bi
[18/09/2020] - DISPARADA: bezerro já subiu quase 70%
[18/09/2020] - Arroba: mercado firme por falta de boi
[18/09/2020] - Comissão Europeia tenta aprovar acordo UE-Mercosul
[18/09/2020] - Bolsonaro: Brasil preserva e sofre ataques
[18/09/2020] - IGP-M dispara 4,5% na segunda prévia de setembro
[18/09/2020] - Produtor recebe sementes não-solicitadas
[17/09/2020] - Preço do boi tem espaço para subir ainda mais?
[17/09/2020] - Arroba: ágio do boi China está cada vez menor
[17/09/2020] - Cepea: boi segue nas máximas históricas
[17/09/2020] - Minerva pode distribuir dividendo milionário
[17/09/2020] - Tereza: produtor sabe que preservar é importante
[17/09/2020] - Mourão: pressão européia tem fundo comercial
[16/09/2020] - Frigoríficos sofrem pressão nas vendas à China
[16/09/2020] - Arroba: frigoríficos reduzem ágio pelo boi China
[16/09/2020] - Bezerro vai continuar valorizado, prevê analista
[16/09/2020] - Frigoríficos preocupados com ameaça européia

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br