Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
124,00 113,00 120,00
GO MT RJ
113,00 116,00 118,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1090,00
Garrote 18m 1320,00
Boi Magro 30m 1660,00
Bezerra 12m 830,00
Novilha 18m 1070,00
Vaca Boiadeira 1320,00

Atualizado em: 21/7/2017 10:44

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Itaú endurece negociação com JBS por R$ 1 bilhão

 
 
 
Publicado em 13/06/2017

O Itaú Unibanco ameaça deixar as negociações com a JBS e cobrar antecipadamente cerca de R$ 1 bilhão que tem a receber da empresa. A intenção foi manifestada ao grupo de bancos que discute a renovação de empréstimos feitos às empresas da família Batista, segundo executivos do alto escalão de duas instituições envolvidas nas conversas.

Procurado, o Itaú negou que esteja endurecendo nas negociações. Em nota, afirmou que "não há nenhum movimento nesse sentido".

Participam do grupo de credores os maiores bancos do país: Banco do Brasil, Caixa, Bradesco e Santander, além do próprio Itaú. A avaliação da cúpula dessas instituições é que, como há muito dinheiro em jogo, a negociação é o melhor caminho a ser seguido nesse momento.

Juntos, os cinco têm quase R$ 25 bilhões a receber das empresas da família Batista. Entre eles, o Itaú é o que tem exposição menor. A conta dos bancos públicos —BB e Caixa— beira os R$ 15 bilhões.

Com a delação de Joesley e Wesley Batista e a profunda crise que se abateu sobre a JBS, os bancões foram chamados a renegociar financiamentos. A empresa não pede dinheiro novo por ora, mas quer um prazo maior para honrar seus compromissos.

Em tratativas desse tipo, é comum que as conversas sejam duras. Desde o início, porém, Itaú e Caixa assumiram posição mais belicosa, de acordo com executivos que participam das negociações.

A instituição estatal recuou recentemente e mostrou-se disposta a dialogar. Já o Itaú optou por subir o tom.

O movimento pode levar a um perigoso efeito cascata e, por isso, a posição do Itaú tem causado grande desconforto entre os demais bancos.

Num cenário em que de fato exija a quitação da dívida e a JBS não honre o pagamento, as outras instituições ficariam numa situação muito difícil, explica o executivo de um dos bancos envolvidos.

Cláusulas nos contratos de financiamento dos outros bancos os obrigariam a também pedir a quitação antecipada, uma vez que a companhia estaria inadimplente com o Itaú. Não há dinheiro para pagar à vista todos ao mesmo tempo.

Outra possibilidade seria a JBS quitar a dívida com o Itaú, evitando o calote e a reação em cadeia dos outros bancos. Mas isso deixaria o caixa da empresa mais debilitado.

No fim de março, a JBS tinha R$ 10 bilhões em caixa e R$ 58 bilhões em dívidas —um terço vencendo até o início do ano que vem. O endividamento do grupo J&F, somadas a JBS e outras empresas, está perto de R$ 70 bilhões.

Nos bastidores, os bancos tentam demover o Itaú da ideia de rompimento e lembram que os grandes bancos também são credores de outras empresas que podem enfrentar dificuldades. Para eles, o melhor é insistir num acordo e rolar dívidas, como foi feito com a Odebrecht.

Para que um acerto saia, os bancos tentam atrelar a renovação das linhas à venda de empresas do conglomerado —além da JBS, os Batista são donos de Alpargatas, da Eldorado Celulose e da Vigor.

Em nota, a JBS afirmou que não comenta negociações específicas com os bancos e que "tem mantido discussões construtivas e produtivas com os parceiros financeiros".  Com informações da Folha.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[21/07/2017] - Pecuaristas pressionam por redução do ICMS
[21/07/2017] - Arroba: oferta encurta e pressão perde força
[21/07/2017] - Arroba: mercado futuro sinaliza alta
[21/07/2017] - Reposição: queda forte em Minas Gerais
[21/07/2017] - Agro sofrerá duro impacto com medidas de Temer
[21/07/2017] - Marfrig avalia reabrir outra unidade
[21/07/2017] - Maggi: MAPA trabalha para reabrir frigoríficos

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[21/07/2017] - Chamado de bandido, Joesley quer processar Temer
[21/07/2017] - Mexicana oferece R$ 6 bi para ficar com a Vigor
[21/07/2017] - Acordo comercial depende da UE, diz ministro
[21/07/2017] - Crise diminui confiança do produtor rural
[21/07/2017] - Cai volume de entregas de adubos
[21/07/2017] - Governo publica medida para disciplinar demarcação
[20/07/2017] - Arroba: oferta está menor e reduz pressão de baixa
[20/07/2017] - Arroba: ofertas de frigoríficos variam
[20/07/2017] - Confinamento deve ter forte queda
[20/07/2017] - Governo vai abrir mercado à UE para evitar embargo
[20/07/2017] - CVM abre novo inquérito para investigar a JBS
[20/07/2017] - Dona da JBS avança na venda da Vigor
[20/07/2017] - Vaca louca vai afetar as exportações dos EUA?
[20/07/2017] - Filipinas seguem EUA e suspendem carne do Brasil
[20/07/2017] - Raiva se espalha e alerta pecuaristas em SP
[20/07/2017] - Onça mata 10 bezerros e 4 cães de pecuarista em GO
[20/07/2017] - Exportações de milho ganham força
[19/07/2017] - Quando a arroba vai se recuperar?
[19/07/2017] - Arroba: pressão de baixa volta a derrubar o boi
[19/07/2017] - Alta das exportações não beneficiou o pecuarista
[19/07/2017] - Abates do MT caem para o menor nível em 7 anos
[19/07/2017] - Justiça desbloqueia R$ 800 mi de Joesley Batista
[19/07/2017] - CPI da JBS não sai do papel
[19/07/2017] - Governo retirará frigoríficos da MP do Funrural
[19/07/2017] - MAPA fará concurso para reforçar fiscalização
[19/07/2017] - Leite: pressão de baixa vai continuar?
[19/07/2017] - EUA registram caso de vaca louca
[18/07/2017] - Exportações de carne começaram julho com força
[18/07/2017] - EUA: Maggi crê em reabertura do mercado em 60 dias
[18/07/2017] - Secretário americano cobra ações do Brasil
[18/07/2017] - Arroba: queda do boi pode estar próxima do fim
[18/07/2017] - Reposição segue devagar no Tocantins
[18/07/2017] - Bancos aceitam prorrogar dívidas da JBS
[18/07/2017] - Agro lidera a geração de empregos em junho
[18/07/2017] - Quem são os interessados em comprar a Vigor?
[18/07/2017] - Fiscais usam exportações para fazer reivindicações
[17/07/2017] - Exportações de carne têm o melhor resultado do ano
[17/07/2017] - Entidade prevê Brasil e EUA líderes em carne
[17/07/2017] - Arroba: pressão de baixa menor em 2 regiões
[17/07/2017] - Reposição segue lenta e pressionada
[17/07/2017] - Confinamento menor deve ajudar a saída da crise
[17/07/2017] - Maggi tenta hoje levantar embargo dos EUA
[17/07/2017] - JBS vende operação de confinamento no Canadá
[17/07/2017] - Desmonte do grupo da JBS deve chegar a R$ 20 bi
[17/07/2017] - Justiça vai analisar incentivos dados à JBS
[17/07/2017] - Farelo de soja subiu mas preço é menor que em 2016
[17/07/2017] - Preço do milho segue pressionado
[17/07/2017] - Como prevenir a brucelose no rebanho?
[14/07/2017] - Países importadores reagem ao mensalinho da JBS
[14/07/2017] - MAPA suspeita que JBS queira desestabilizar setor

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br