Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
 
 
 
 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Preço da carne sobe em MT apesar da arroba
 
 
Publicado em 05/02/2007

Mesmo com o preço da arroba do boi em queda, o preço da carne continua subindo para o consumidor nos supermercados. Pesquisa realizada pela Associação dos Produtores Rurais de Mato Grosso (APR/MT) mostra que O valor da arroba do boi começou 2006 a R$ 47,66, chegou a R$ 56,60 em outubro e voltou a R$ 47,75 em dezembro. Em compensação, o quilo da carne não acompanhou essa redução, com aumentos de até 10% entre os meses dependendo do tipo da carne.

Os produtores não conseguem explicar por que o preço da carne do boi ao consumidor continua subindo, se o valor da arroba para o pecuarista está em queda livre. “Não dá para entender. Se o preço da arroba para o fornecedor cai, automaticamente também deveria baixar no varejo. Mas não vemos isso acontecer”, afirma o diretor executivo da APR, Paulo Resende.

Para ele, a cada dia que passa a única parte que ganha com lucros na venda da carne é o intermediário. Resende explicou que independe dos produtores os valores finais para o consumidor e, por isso, não podem fazer nada para reduzir os preços no varejo.

Resende diz que outro motivo que reforça essa curiosidade dos produtores é o fato dos valores da arroba da vaca e do boi serem diferenciados. A carne da vaca, segundo Resende, é inferior ao do boi em qualidade e, por isso, é mais barata.

“O comércio varejista repassa ao consumidor de Cuiabá carne de vaca e não de boi. A carne de boi vai para os grandes centros ou é destinada às exportações. Esse é outro motivo de dúvidas para os produtores. Se o consumidor da Grande Cuiabá compra carne de vaca, que é mais barata ao intermediário, por que continua pagando mais caro a cada dia?”, pergunta Resende.

A pesquisa da APR é realizada semanalmente em duas grandes redes de vendas de carne da Capital. Os técnicos da APR atualizam o preço do quilo de 13 diferentes cortes da carne e também de nove tipos de carnes resfriadas embaladas.

De acordo com a pesquisa, o preço do quilo do filé mignon em janeiro de 2006 estava em média R$ 15,95. Em dezembro, o quilo do mesmo corte estava em torno de R$ 16,94. Um dos poucos tipos de carne que apresentaram queda no preço foi a costela. Em janeiro o quilo era vendido, em média, por R$ 4,17, mas fechou o ano em torno de R$ 3,46.

O vice-presidente da Associação dos Supermercados de Mato Grosso (Asmat), José Katena, reconhece que não há motivos para a carne estar subindo para o consumidor. Katena explicou que, para os donos de supermercados, o preço da carne está estabilizado há algum tempo pelos frigoríficos. Lembrou que, inclusive, os supermercados estão fazendo ofertas com preços muito mais em conta aos consumidores.

“Os frigoríficos estão mantendo os preços estabilizados há alguns meses. Para nós, não chega a queda do preço da arroba do boi. Imagino que essa estabilização ocorra por conta dos custos que os frigoríficos têm. E nós temos que comprar as carnes com o carimbo do SIF (Serviço de Inspeção Federal”, frisou Katena.

SINDIFRIGO - O presidente do Sindicato dos Frigoríficos de Mato Grosso, Sindifrigo, Luiz Antônio Martins, informou que os frigoríficos trabalham de acordo com a planilha de custos. “Se sobe energia, frete, imposto ou se há a queda de um subproduto, a situação para nós fica apertada. Precisamos trabalhar com uma margem mínima de lucro”.

Segundo ele, não há “nada de espetacular” que faz o preço da carne subir ao consumidor. “Tudo faz parte de uma composição de custos. Na verdade, os donos de frigoríficos têm trabalhado com uma margem bem apertada”, explica Martins.

Fonte: Diário de Cuiabá

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir


   Leia também:
 
[01/09/2014] - Marina: promessa pode acirrar confronto com agro
[01/09/2014] - Pressão de alta na arroba do boi
[01/09/2014] - Alta da arroba continuará?
[01/09/2014] - Boi está 26% mais caro em Marabá
[01/09/2014] - Agro deve continuar crescendo, carnes são destaque
[01/09/2014] - JBS Foods quer captar R$ 3 bilhões em outubro
[01/09/2014] - Putin: UE dificilmente voltará ao mercado russo

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[29/08/2014] - Boi bate novo recorde nominal
[29/08/2014] - Demanda mundial cria novos espaços para o agro
[29/08/2014] - Reposição: oferta está curta em Rondônia
[29/08/2014] - Agro cresce enquanto Brasil entra em recessão
[29/08/2014] - Agro domina produtos brasileiros de exportação
[28/08/2014] - Pecuarista segura o boi e força alta na arroba
[28/08/2014] - Carne sobe forte com estiagem e falta de boi
[28/08/2014] - Diferença entre boi e vaca é a menor desde 2012
[28/08/2014] - Rússia: decreto abre mercado ás carnes brasileiras
[28/08/2014] - MAPA crê que Egito retirará embargo
[28/08/2014] - Oferta de leite aumenta mas preço se mantém
[28/08/2014] - ITR: prazo vai até 30 de setembro
[27/08/2014] - Demanda russa já mexe com o preço da carne
[27/08/2014] - Arroba em alta com oferta curta
[27/08/2014] - Carne: oferta encurta e preço pode subir
[27/08/2014] - Indonésia terá que explicar embargo ao Brasil
[27/08/2014] - Pecuaristas de MG podem adiar estação de monta
[26/08/2014] - Irã retira embargo sobre a carne bovina do MT
[26/08/2014] - Oferta curta puxa alta da arroba do boi
[26/08/2014] - Frigoríficos não conseguem repassar alta do boi
[26/08/2014] - Está faltando boi em Goiânia
[26/08/2014] - Mosca-do-estábulo ataca em outra região de SP
[26/08/2014] - Confiança do agro cai
[25/08/2014] - Como ficará o preço do boi gordo?
[25/08/2014] - Mercado do boi firme: escalas estão curtas
[25/08/2014] - Alta do boi puxa demanda por reposição em MG
[25/08/2014] - Erros no transporte dão prejuízo ao pecuarista
[25/08/2014] - Município declara emergência por estomatite
[25/08/2014] - Marfrig quer fornecer cortes ao varejo sob demanda
[25/08/2014] - Dilma atrasa envio de adidos agrícolas
[22/08/2014] - Falta boi e arroba se aproxima do recorde
[22/08/2014] - Arroba continua subindo com oferta curta
[22/08/2014] - Bezerro tem forte alta
[22/08/2014] - Rússia: 60% da carne exportada no MS
[22/08/2014] - Argentina vai barrar exportações de carne
[22/08/2014] - Pastos são invadidos por moscas na região de Bauru
[22/08/2014] - LBR define venda de unidades
[22/08/2014] - Roraima comemora fim de quarentena para o AM
[22/08/2014] - Cai o preço do farelo de soja
[21/08/2014] - Marfrig bate recorde em abates e exportações
[21/08/2014] - Nem pagando mais frigorífico acha boi para comprar
[21/08/2014] - CEPEA: boi e carne em alta
[21/08/2014] - Reposição firme no Tocantins
[21/08/2014] - Capacidade de abate do Minerva sobe 20%
[21/08/2014] - Mosca-do-estábulo assusta produtores do MS
[21/08/2014] - Doença já matou 500 bois em Minas Gerais
[21/08/2014] - Subida de Marina é pesadelo para o agro
[21/08/2014] - Políticos do agro ameaçam abandonar Marina
[21/08/2014] - Marina Silva promete diálogo com agro
[20/08/2014] - Cade aprova arrendamento do Rodopa pelo JBS

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br