Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
139,00 129,00 135,00
GO MT RJ
130,00 127,00 136,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1270,00
Garrote 18m 1530,00
Boi Magro 30m 1860,00
Bezerra 12m 940,00
Novilha 18m 1160,00
Vaca Boiadeira 1320,00

Atualizado em: 17/11/2017 10:35

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Proprietários tentam driblar nova lei ambiental

 
 
 
Publicado em 04/07/2011

A possibilidade prevista na reforma do Código Florestal de desobrigar as propriedades de até 4 módulos fiscais (20 a 400 hectares, dependendo da região do Brasil) de manter áreas de reserva legal está causando uma corrida aos cartórios para fracionar as propriedades em glebas menores.

Segundo oficiais de cartórios ouvidos pelo Estado, houve aumento de até 10%, em algumas regiões, nos pedidos de fracionamento. O texto do novo Código aprovado em maio pela Câmara dos Deputados prevê que as propriedades menores não precisam manter a reserva legal - a área com vegetação nativa que varia de 20% a 80% das terras.

Em Araçatuba (SP), ao menos oito donos de áreas rurais com mais de 4 módulos fiscais requisitaram o desmembramento de suas propriedades nos últimos dois meses. Em Mato Grosso, donos de terras correm aos cartórios em busca de informações sobre como ficar desobrigados de terem a reserva legal. Tabeliães e auxiliares de cartórios confirmam que houve um crescimento "grande", em torno de 8% a 10%, nesses pedidos.

Com a divisão de suas terras, esses proprietários podem escapar da obrigatoriedade de recomposição de reserva legal e de multas, caso o texto da reforma do Código Florestal, aprovado em maio pela Câmara, passe a valer.

"Os pedidos de fracionamento de imóveis estão ocorrendo desde que as discussões sobre a reforma do Código Florestal começaram", diz Marcelo Melo, diretor de Meio Ambiente da Associação dos Registradores Imobiliários do Estado de São Paulo (Arisp) e oficial do cartório de registros de imóveis de Araçatuba.

Dos oito pedidos de fracionamento que recentemente chegaram ao cartório, Melo negou todos, porque não apresentaram as escrituras públicas de compra e venda desses imóveis.

O fato de não apresentar escrituras levanta a suspeita de que esses fazendeiros estejam mesmo tentando driblar a legislação. Pelo menos um deles, segundo Melo, revelou, no balcão do cartório, que o motivo era esse mesmo. "Neguei os pedidos porque o Estatuto da Terra proíbe o desmembramento para a formação de minifúndios sem a apresentação da escritura", disse.

Melo lembra que, no ano passado, o deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), relator do texto aprovado na Câmara, prometeu incluir um dispositivo legal no novo Código proibindo o fracionamento de fazendas para burlar a legislação. "Ele prometeu, mas não cumpriu. Como deixou em aberto, há essa possibilidade de se burlar a legislação."

Nos municípios que compõem a Amazônia Legal, onde a reserva legal é de 80% da propriedade, a tendência se confirma. O escrivão Vilson Henrique Mendes dos Santos, do Cartório do 1.º Ofício de Cotriguaçu (MT), disse que os proprietários chegam sempre com a dúvida do que será previsto na nova lei. "Querem saber se vai haver desobrigação da reserva legal", diz. Segundo o escrivão, os proprietários são orientados a aguardar. "Ninguém ainda sabe", disse.

Donos de cartórios de Nova Ubiratã e Sorriso, regiões produtoras de soja, confirmam ainda que caíram os pedidos de registro de reserva legal, o que indica que produtores estão na expectativa quanto ao novo Código. "É preocupante que proprietários transfiram parte da matrícula dos imóveis para parentes de "confiança". Sem reserva legal, quem perde é o ambiente", diz Bruno Becker, oficial do cartório de Nova Ubiratã, município que esteve no epicentro do recente pico de desmate que ocorreu em Mato Grosso.  Com informações do portal Estadão.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[17/11/2017] - Arroba: mercado está movimentado
[17/11/2017] - Reposição começa a se novimentar
[17/11/2017] - Frigol reabre unidade em Goiás
[17/11/2017] - Marfrig quer avançar mais sobre o mercado da JBS
[17/11/2017] - JBS já levantou R$ 6 bi com vendas de ativos
[17/11/2017] - Polícia recupera carga milionária de sêmen
[17/11/2017] - Milho: produção deve cair em 2018

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[16/11/2017] - Arroba: mercado firma e pode subir mais
[16/11/2017] - Arroba: frigoríficos pagam bem acima da referência
[16/11/2017] - Rússia ameaça barrar importações de carnes
[16/11/2017] - Marfrig parcela dívida bilionária no Refis
[16/11/2017] - Funrural: mudanças na MP beneficiam frigoríficos
[16/11/2017] - Produtores expulsam índios invasores no Paraná
[16/11/2017] - Farelo de soja: dólar parou de subir
[16/11/2017] - MAPA ainda prevê queda para o PIB da Pecuária
[14/11/2017] - Confinamento surpreende e sobe 12% no MT
[14/11/2017] - Arroba: mercado firme com alta na demanda
[14/11/2017] - Minerva prevê dois anos favoráveis aos frigos
[14/11/2017] - Delação derrubou as vendas da JBS no Brasil
[14/11/2017] - Marfrig tem prejuízo de R$ 58,4 milhões
[14/11/2017] - China já representa quase 40% das exportações
[14/11/2017] - Leite: margens devem continuar apertadas
[14/11/2017] - CCPR tem até o final do mês para pagar pela Itambé
[14/11/2017] - Confiança da pecuária sobe e puxa índice do Agro
[14/11/2017] - Reforma Trabalhista já está valendo
[14/11/2017] - Empregado rural perde e deve pagar R$ 8,5 mil
[13/11/2017] - Arroba volta a subir
[13/11/2017] - Carne segue em alta no varejo
[13/11/2017] - Reposição começa a subir em Rondônia
[13/11/2017] - Turquia aumenta compras de boi em pé do Brasil
[13/11/2017] - Minerva retoma abates em unidade reaberta
[13/11/2017] - JBS: incertezas quanto ao futuro continuam
[13/11/2017] - MAPA acompanha risco de quebra da JBS
[13/11/2017] - JBS nega que esteja em dificuldades
[13/11/2017] - Para evitar embargo, Brasil libera trigo russo
[13/11/2017] - Exportações puxam para cima o preço do milho
[13/11/2017] - Empréstimo público pode pagar compra da Itambé
[13/11/2017] - Leite: uma maneira simples de aumentar a produção
[10/11/2017] - Arroba começa a subir com alta da carne
[10/11/2017] - Vendas de carne começam a melhorar
[10/11/2017] - Agro brasileiro exportou R$ 8 bi em um mês
[10/11/2017] - Lucro do Minerva tem alta de 81%
[10/11/2017] - Deputados protestam contra destruição de fazenda
[10/11/2017] - Mercosul: Brasil pode igualar exigência sanitária
[09/11/2017] - Mercado futuro indica alta para a arroba do boi
[09/11/2017] - Arroba não acompanhou alta das exportações
[09/11/2017] - Arroba sobe em algumas praças
[09/11/2017] - Reposição: chuvas devem puxar demanda
[09/11/2017] - Porte de arma no campo é aprovado em comissão
[08/11/2017] - Arroba: pressão de baixa está perdendo força
[08/11/2017] - Hong Kong e China puxam exportações de carne
[08/11/2017] - Exportações de boi em pé aumentaram 200%
[08/11/2017] - Dono da JBS se diz perseguido e fica em silêncio
[08/11/2017] - Criadores de Angus são contra retirada de vacina
[08/11/2017] - MP do Funrural é aprovada, apesar do PT
[08/11/2017] - UE cita corrupção para inspecionar carne do Brasil
[07/11/2017] - Arroba: cenários diferentes para o boi

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br