Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
330,00 312,00 328,00
GO MT RJ
315,00 309,00 309,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2620,00
Garrote 18m 2920,00
Boi Magro 30m 3610,00
Bezerra 12m 2300,00
Novilha 18m 2670,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 19/1/2022 10:45

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Exportações do Agro cresceram quase 20%

 
 
 
Publicado em 03/12/2021

Dados divulgados pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) mostram que as exportações brasileiras do agronegócio tiveram avanço no período de janeiro a outubro de 2021. A alta foi de 19,5% na comparação com o mesmo período de 2020, alcançando US$102,36 bilhões (43,4% do total nacional). Já as importações cresceram 21,8% no período, registrando US$12,65 bilhões (7,1% do total nacional). O superavit do agronegócio foi de US$89,71 bilhões no período, sendo 19,2% superior na comparação com o período de janeiro a outubro do ano passado.

Na análise do IEA os números mostram que o comércio exterior brasileiro só não foi deficitário devido ao bom desempenho do agronegócio, uma vez que os demais setores da economia, com exportações de US$133,44 bilhões e importações de US$164,65 bilhões, produziram um deficit de US$35,21 bilhões nos primeiros dez meses de 2021. No entanto a participação das exportações do agronegócio no total nacional recuou 6,0 pontos percentuais, e a das importações caiu 1,0 p.p. no período analisado.

Principais produtos exportados

Em relação aos grupos de produtos os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio brasileiro nos dez primeiros meses de 2021 foram: complexo soja (US$43,71 bilhões, sendo 82,2% de participação da soja em grãos), carnes (US$16,89 bilhões, com as carne bovina, de frango e suína representando desse total, respectivamente, 47,3%, 36,7% e 13,4%), produtos florestais (US$11,30 bilhões, com participações de 48,2% de celulose e 38,4% de madeira), complexo sucroalcooleiro (US$8,38 bilhões, dos quais 89,5% de açúcar) e grupo de café (US$4,96 bilhões, sendo o café verde com participação de 90,9%). Esses cinco grupos agregados representaram 83,2% das vendas externas setoriais brasileiras.

Na comparação com os meses de janeiro a outubro de2020, houve importantes variações nos valores exportados dos principais grupos de produtos do agronegócio brasileiro, com destaque para os grupos complexo soja (30,0%), carnes (19,8%), produtos florestais (19,7%), café (15,0%) e complexo sucroalcooleiro (5,0%).

Desses grupos relevantes, o complexo soja, que apresenta a maior participação (42,7%), registrou aumentos em valores (30,0%) e queda no volume exportado (0,5%) em relação ao mesmo período do ano anterior. O principal produto desse grupo, a soja em grão, teve elevação de 28,7% em valores e queda de 0,6% em volume. A China representa 58,3% das compras desse grupo, seguida por União Europeia (14,7%) e Tailândia (5,0%); os demais países importadores somam 22,0%.

O grupo de carnes, que tem a segunda posição na pauta brasileira, apresentou avanço de 19,8% em valores e 7,0% em volume. A carne bovina teve crescimento de 15,8% em valores e queda de 3,2% em volume exportado. Com resultado expressivo mostram-se a carne suína (21,2% e 13,2%) e a carne de frango (24,5% e 9,8%), com aumentos em valores e volume, respectivamente. Nesse grupo, a China se destacou como principal destino e representa 36,6% das compras de carnes; na sequência aparecem Hong Kong (8,0%), União Europeia (4,6%), Japão, Chile e Emirados Árabes Unidos (4,4%) e Arábia Saudita e Estados Unidos (4,3%), enquanto os demais países somam 29,1% de participação.

O grupo produtos florestais aparece na terceira posição na pauta brasileira, apresentando variações positivas em valores (19,7%) e em volume exportado (7,0%). Destaca- se expressivo aumento do valor e volume da madeira (47,9% e 27,6%, respectivamente), enquanto a celulose apresentou ganhos em valores (8,1%) e queda na quantidade (2,0%).

Já o papel apresentou variações positivas para valores (2,9%) e negativas para volumes (4,9%) nas exportações dos primeiros dez meses de 2021 quando confrontados com igual período de 2020. Os principais países importadores desse grupo são Estados Unidos (26,9% de participação), China (23,2%) e a União Europeia (18,0%). Os demais países participam com 31,9%.

Para o grupo sucroalcooleiro, os resultados do período de janeiro a outubro de 2021 apresentaram crescimento em valores (5,0%) e queda nas quantidades embarcadas (9,6%). O açúcar teve aumentos para valores (6,7%) e queda no volume (8,8%) no período analisado. Para o álcool etílico, os resultados apresentaram-se negativos de 8,0% e 22,0% para valores e quantidades embarcadas em comparação com o mesmo período de 2020. Assim como o Estado de São Paulo, os destinos das exportações desse grupo são bem diversificados em termos de participação dos países. Os resultados apontam a sequência composta por China (14,9%), Argélia (7,0%), Nigéria (6,4%), Bangladesh (5,7%), Canadá e Malásia (4,4%), Arábia Saudita (4,3%) e Estados Unidos (4,1%); outros países importadores somam 48,8% de participação.

O grupo do café apresenta ganho em valores (15,0%) e em quantidade (2,9%), sendo o café verde o principal produto, com variações positivas de 17,0% em valores e de 3,1% em quantidades exportadas pelo país. Quanto às participações dos países destinos das exportações em valores, a União Europeia representa 44,2% desse grupo, Estados Unidos com 19,0%, Japão com 7,3% e Rússia com 2,9%. Os demais países somam 26,5% de participação.

Previsão para este ano

Depois de decorridos os dez primeiros meses de 2021 e considerando o bom desempenho das variações positivas do agro brasileiro de 19,5% nas exportações e de 19,2% no saldo comercial se mantenha nos próximos meses, o cálculo da projeção para o final de 2021 é o valor das exportações possa ficar próximo a US$120,37 bilhões e o saldo do agro em US$104,47 bilhões, novo recorde brasileiro ultrapassando as maiores marcas para as exportações do ano de 2018 (US$101,17 bilhões) e do saldo comercial do agro de 2020 (US$87,65 bilhões). Com informações do IEA.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[19/01/2022] - Arroba: exportações podem bater recorde histórico
[19/01/2022] - Agro domina exportações em portos do Paraná
[19/01/2022] - Marfrig: ômicron não afeta abates
[19/01/2022] - Pecuaristas recusam acordo com frigorífico fechado
[19/01/2022] - Leite: ano pode ser complicado para o produtor
[19/01/2022] - Milho volta a rondar os R$ 100 a saca
[19/01/2022] - IGP-M volta a acelerar

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[18/01/2022] - Exportações de carne estão acima de janeiro 2021
[18/01/2022] - Arroba: cenário de estabilidade
[18/01/2022] - Escalas estão menores em Mato Grosso
[18/01/2022] - Briga por ICMS sobre o milho vai à Justiça
[18/01/2022] - Pecuaristas protestam contra a Globo Rural
[17/01/2022] - Arroba: nem pra cima, nem pra baixo
[17/01/2022] - Frigorífico fecha e deixa dívida milionária
[17/01/2022] - Milho volta a ser negociado acima de R$ 100 a saca
[17/01/2022] - JBS anuncia novo presidente da JBS Brasil
[17/01/2022] - Globo Rural ataca a Pecuária brasileira
[17/01/2022] - Estados decidem elevar ICMS sobre combustível
[14/01/2022] - PIB do Agro cresceu 10% em 2021
[14/01/2022] - Arroba: pecuarista vai segurar o boi
[14/01/2022] - Arroba: preços não acham espaço para cair
[14/01/2022] - Milho: produção deve crescer em 2022
[14/01/2022] - Varejo vendeu mais puxado por supermercados
[14/01/2022] - Exportações do Agro cresceram 9,5% em SP
[14/01/2022] - Câmara aprova incentivo a reservas em fazendas
[13/01/2022] - Arroba: frigoríficos seguem tentando pressão
[13/01/2022] - CEPEA: ano inicia com arroba em alta
[13/01/2022] - Chineses vão pagar mais caro pela carne suína
[13/01/2022] - Tereza Cristina visita áreas atingidas pela seca
[13/01/2022] - Safra tem perdas severas também no Paraná
[12/01/2022] - Consultoria prevê mercado bom para exportações
[12/01/2022] - Exportações de carne de MT bateram US$ 1,7 bi
[12/01/2022] - Arroba: frigoríficos e pecuaristas olham o mercado
[12/01/2022] - Onda de calor preocupa produtores do Sul do Brasil
[12/01/2022] - Chuvas começam a perder força no Brasil Central
[12/01/2022] - Polícia prende quadrilhas que roubam defensivos
[11/01/2022] - Arroba: frigoríficos tentam baixa, sem sucesso
[11/01/2022] - Exportações: China já movimenta o mercado
[11/01/2022] - Frigoríficos dos EUA reduzem produção por COVID
[11/01/2022] - Canadá registra caso de vaca louca
[11/01/2022] - Milho: como ficará o mercado em 2022?
[11/01/2022] - Peste Suína Africana se espalha pela Europa
[11/01/2022] - Peste suína também chega à Tailândia
[11/01/2022] - Inflação bateu recorde, puxada por combustíveis
[10/01/2022] - Neloristas cobram posicionamento claro do Bradesco
[10/01/2022] - Spoleto ataca e depois pede desculpas a produtores
[10/01/2022] - Exportações: faturamento cresceu apesar da China
[10/01/2022] - Arroba: boi exportação tem ágio de até R$ 15
[10/01/2022] - Milho: produtores seguram as vendas
[10/01/2022] - Agro responde por 77% das exportações de Goiás
[10/01/2022] - Crédito rural: contratações dispararam 30% em 2021
[17/12/2021] - Boi pode subir com força nos próximos dias
[17/12/2021] - MAPA quer que a China habilite novos frigoríficos
[17/12/2021] - Arroba: quem vai ceder primeiro?
[17/12/2021] - ABPA: cenário está muito bom para carne brasileira
[17/12/2021] - Frigoríficos pedem novas normas contra o Covid
[17/12/2021] - Leite: inflação está alta para o produtor

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br