Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
313,00 302,00 313,00
GO MT RJ
304,00 298,00 297,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2620,00
Garrote 18m 2900,00
Boi Magro 30m 3420,00
Bezerra 12m 2240,00
Novilha 18m 2680,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 3/12/2021 10:09

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Brasil é o único país que pode atender cota russa

 
 
 
Publicado em 23/11/2021

Desde setembro, a exportação de carne bovina brasileira para China está suspensa devido aos casos de vaca louca registrados em dois municípios do interior do Brasil.

De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), se o embargo continuar, estima-se um prejuízo de até US$ 1,8 bilhão (R$ 10 bilhões) para o setor.

Após a suspensão, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, anunciou que o governo russo abrirá uma cota de 300 mil toneladas de carne com tarifa zero de importação por seis meses.

Na última quarta-feira (17), a ministra reuniu-se em Moscou com o chefe do Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia, Sergei Dankvert, que garantiu a realização de uma visita de inspeção ao Brasil (ainda no primeiro trimestre de 2022), o que possibilitará a habilitação de novas plantas frigoríficas brasileiras para exportação, segundo o site Poder 360.

A Sputnik Brasil entrevistou Augusto Carneiro, trader da Sudambeef S.A responsável pelas vendas para Rússia e Leste Europeu no intuito de entender se a medida russa pode ajudar o setor agropecuário brasileiro diante do embargo chinês e se o setor pode colher benefícios futuros com a reaproximação comercial entre Moscou e Brasília.

Dentro da cota de 300 mil toneladas divulgada pela mídia e anunciada pela ministra, 200 mil toneladas se referem à carne bovina e 100 mil toneladas à carne suína, entretanto, não ficou claro se a cota seria para o Mercosul, para o Brasil ou também para outros países.

Carneiro diz que, para o setor, também não ficou esclarecido para quem a cota vale, e até agora, há apenas conhecimento sobre o volume de 300 mil toneladas, o qual contará somente com "carnes de corte, os miúdos bovinos e suínos ficaram de fora", diz o especialista.

Ao mesmo tempo, o trader ressalta que ainda não se sabe como vai ser a correspondência com os importadores, "se será através de empresas privadas ou de uma empresa estatal única", e que o setor aguarda a confirmação, uma vez que "dependendo da forma como ocorra, é que teremos a certeza da tarifação zero para as carnes".

"O Brasil é o país que mais tem condições de fornecer esse volume [de carnes], já que outros países não têm condições para atingir a cota de 200 mil toneladas de carne bovina ao longo do ano, o único que tem essa capacidade, incluindo a cota suína, é o Brasil, só que o país também tem o problema de não ter muita planta [frigorífica] aprovada e isso limita bastante o volume", explica o trader.

No entanto, o fato de uma delegação russa vir ao país para inspecionar as plantas "é um ótimo sinal, pois há muito tempo esse procedimento não acontece", mas Carneiro enfatiza que o interessante seria se a perícia acontecesse antes do primeiro trimestre de 2022, porque "só assim poderíamos ficar um bom tempo dentro do período da tarifação zero, o qual, até o momento, entendemos ser de apenas seis meses". Com informações da Sputinik Brasil. 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[03/12/2021] - Arroba: referências em alta
[03/12/2021] - Arroba: frigoríficos pagam bem mais
[03/12/2021] - Leite: mercado sofre ajuste
[03/12/2021] - Exportações do Agro cresceram quase 20%
[03/12/2021] - Agro precisa de apoio, diz FAESP
[03/12/2021] - Minerva conclui compra de frigoríficos
[03/12/2021] - Crédito rural: contratações cresceram 23,5%

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[02/12/2021] - Arroba: frigoríficos entram com força na compra
[02/12/2021] - CEPEA: boi volta a bater nas máximas
[02/12/2021] - Rússia habilita mais duas unidades para exportação
[02/12/2021] - Vizinhos da Rússia também querem importar carne
[02/12/2021] - Por que o PIB do Agro caiu?
[02/12/2021] - Inflação medida pelo IPC também perdeu força
[01/12/2021] - Arroba: boi segue em alta
[01/12/2021] - Arroba: frigoríficos já estão pagando mais em SP
[01/12/2021] - EUA devem aumentar importação de carne do Brasil
[01/12/2021] - Exportações: volume caiu, mas preço da carne subiu
[01/12/2021] - Deputados debatem aumento de custo na pecuária
[01/12/2021] - MAPA prorroga vacinação em 14 estados
[01/12/2021] - Câmara aprova indenização a pecuaristas
[30/11/2021] - Arroba: frigoríficos pagam acima da referência
[30/11/2021] - Scot vê oferta curta de boi
[30/11/2021] - Boi gordo em alta em Goiás
[30/11/2021] - Abates aumentaram 18% em Mato Grosso
[30/11/2021] - Frigoríficos prevêem disparada do boi
[30/11/2021] - Leite: preço do leite caiu com força
[30/11/2021] - Senado aprova preço mínimo para perecíveis
[30/11/2021] - Tereza: produtor precisa ser pago por preservação
[29/11/2021] - Arroba: mercado agora espera sinal do consumo
[29/11/2021] - Embargo chinês é jogada comercial, diz produtor
[29/11/2021] - Ministro chama ameaça da UE de protecionismo
[29/11/2021] - Milho: preços reagem após 2 meses de queda
[29/11/2021] - Vacinação contra aftosa é prorrogada em SP
[29/11/2021] - Leite: indústrias reclamam de queda nas vendas
[29/11/2021] - IGP-M perde força e fica abaixo das previsões
[26/11/2021] - Arroba: boi em alta, carne também subiu
[26/11/2021] - Arroba: preços também subiram em SP
[26/11/2021] - Margem do pecuarista deve subir se China voltar
[26/11/2021] - Confinamento cresceu em 2021 e deve crescer mais
[26/11/2021] - EUA: Brasil lidera produtividade agropecuária
[26/11/2021] - Economia: atividade cresceu 2% em outubro
[26/11/2021] - Senado aprova projeto que pode reduzir frete
[25/11/2021] - Arroba: mercado em alta
[25/11/2021] - CEPEA vê arroba do boi a R$ 310
[25/11/2021] - Milho cai em Mato Grosso do Sul
[25/11/2021] - Produtores de suínos comemoram abertura russa
[25/11/2021] - Arbitragens mostram a briga por trás da JBS
[24/11/2021] - Rússia libera exportações de 12 frigoríficos
[24/11/2021] - Arroba: o que fazer agora?
[24/11/2021] - Arroba: reabertura chinesa já mexe com o preço
[24/11/2021] - Tereza: embargo chinês pode cair em dezembro
[24/11/2021] - Lácteos: preços em queda no Paraná
[24/11/2021] - MAPA bota em marcha a diplomacia dos insumos
[24/11/2021] - Vacina será comunicada online em Mato Grosso
[24/11/2021] - Governo americano vai subsidiar frigoríficos
[24/11/2021] - Molina paga R$ 20 milhões para encerrar processo
[23/11/2021] - China dá primeiro sinal de fim do embargo

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br