Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
313,00 301,00 313,00
GO MT RJ
304,00 298,00 297,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2590,00
Garrote 18m 2900,00
Boi Magro 30m 3420,00
Bezerra 12m 2240,00
Novilha 18m 2680,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 2/12/2021 11:14

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Ações de frigoríficos nem sentiram embargo chinês

 
 
 
Publicado em 01/10/2021

O embargo da China à carne bovina brasileira passou despercebido pelas ações de JBS, Marfrig e Minerva, os principais frigoríficos brasileiros com foco no produto. Diversificado e com operações em outros países, o trio viu seus papéis subirem na B3 desde a suspensão das exportações, em 4 de setembro, também em consequência da baixa disponibilidade de gado no Brasil.

As primeiras informações sobre os dois casos atípicos do mal da “vaca louca” em Mato Grosso e Minas Gerais começaram a circular na semana do dia 30 de agosto nas redes sociais de produtores rurais. O Ministério da Agricultura manteve-se em silêncio por alguns dias, até a confirmação dos resultados.

Nesse período de incerteza, o papel que mais sentiu foi o da Minerva. Entre os dias 30 de agosto e 3 de setembro, as ações da maior exportadora de carne bovina da América do Sul caíram 7,7%, para R$ 7,79. As da JBS, líder global em proteínas animais, que obtém a maior parte de sua receita nos EUA — onde o mercado está favorável aos resultados —, recuaram 0,3%, para R$ 31,10, e as da Marfrig, a segunda maior companhia de carnes, também forte nos Estados Unidos, até subiram: 1,76%, a R$ 20,04.

A confirmação dos casos atípicos saiu no dia 4, um sábado. Depois, o Brasil suspendeu voluntariamente suas vendas à China, como prevê o protocolo sanitário bilateral firmado com o país asiático, que vinha absorvendo 60% dos embarques brasileiros de carne bovina.

Mas a notícia não abalou os grandes frigoríficos, embora tenha prejudicado os negócios de empresas de menor porte do segmento. As ações das três companhias fecharam ontem em patamares mais elevados que em 3 de setembro.

Para acalmar os investidores, a Minerva anunciou logo no dia 6 mudanças logísticas para se adequar à situação. A empresa informou que manteria o fornecimento aos chineses por meio de três plantas de sua subsidiária Athena Foods localizadas no Uruguai e na Argentina. Com isso, entre os dias 3 e 30 de setembro, os papéis da empresa acumularam alta de 34,1%, para R$ 10,45.

No caso da Marfrig — que também viu investidores elevarem a aposta em uma fusão com a BRF, da qual a empresa de Marcos Molina comprou fatia de quase 32% —, a valorização no mesmo período foi de 28%, a R$ 25,66. E, se quase não sentiu os tremores da “vaca louca” atípica, a JBS foi a que menos subiu desde o dia 3, ainda que o aumento (de 19,2%, para R$ 37,07) tenha sido expressivo.

Mas nem só de JBS, Marfrig e Minerva vive o segmento de carne bovina, e para algumas empresas o silêncio chinês, que ainda não sinalizou quando será a reabertura, já se tornou ensurdecedor. Nesse contexto, cresce a pressão por uma revisão do protocolo bilateral com a China.

Afinal, em casos como o atual, o Brasil tem que suspender “voluntariamente” as vendas, mesmo que a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) ateste que não há riscos para a saúde humana e animal, como agora. Mas não pode voluntariamente retomar os embarques. Com informações do Valor.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[02/12/2021] - Arroba: frigoríficos entram com força na compra
[02/12/2021] - CEPEA: boi volta a bater nas máximas
[02/12/2021] - Rússia habilita mais duas unidades para exportação
[02/12/2021] - Vizinhos da Rússia também querem importar carne
[02/12/2021] - Por que o PIB do Agro caiu?
[02/12/2021] - Inflação medida pelo IPC também perdeu força
[01/12/2021] - Arroba: boi segue em alta

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[01/12/2021] - Arroba: frigoríficos já estão pagando mais em SP
[01/12/2021] - EUA devem aumentar importação de carne do Brasil
[01/12/2021] - Exportações: volume caiu, mas preço da carne subiu
[01/12/2021] - Deputados debatem aumento de custo na pecuária
[01/12/2021] - MAPA prorroga vacinação em 14 estados
[01/12/2021] - Câmara aprova indenização a pecuaristas
[30/11/2021] - Arroba: frigoríficos pagam acima da referência
[30/11/2021] - Scot vê oferta curta de boi
[30/11/2021] - Boi gordo em alta em Goiás
[30/11/2021] - Abates aumentaram 18% em Mato Grosso
[30/11/2021] - Frigoríficos prevêem disparada do boi
[30/11/2021] - Leite: preço do leite caiu com força
[30/11/2021] - Senado aprova preço mínimo para perecíveis
[30/11/2021] - Tereza: produtor precisa ser pago por preservação
[29/11/2021] - Arroba: mercado agora espera sinal do consumo
[29/11/2021] - Embargo chinês é jogada comercial, diz produtor
[29/11/2021] - Ministro chama ameaça da UE de protecionismo
[29/11/2021] - Milho: preços reagem após 2 meses de queda
[29/11/2021] - Vacinação contra aftosa é prorrogada em SP
[29/11/2021] - Leite: indústrias reclamam de queda nas vendas
[29/11/2021] - IGP-M perde força e fica abaixo das previsões
[26/11/2021] - Arroba: boi em alta, carne também subiu
[26/11/2021] - Arroba: preços também subiram em SP
[26/11/2021] - Margem do pecuarista deve subir se China voltar
[26/11/2021] - Confinamento cresceu em 2021 e deve crescer mais
[26/11/2021] - EUA: Brasil lidera produtividade agropecuária
[26/11/2021] - Economia: atividade cresceu 2% em outubro
[26/11/2021] - Senado aprova projeto que pode reduzir frete
[25/11/2021] - Arroba: mercado em alta
[25/11/2021] - CEPEA vê arroba do boi a R$ 310
[25/11/2021] - Milho cai em Mato Grosso do Sul
[25/11/2021] - Produtores de suínos comemoram abertura russa
[25/11/2021] - Arbitragens mostram a briga por trás da JBS
[24/11/2021] - Rússia libera exportações de 12 frigoríficos
[24/11/2021] - Arroba: o que fazer agora?
[24/11/2021] - Arroba: reabertura chinesa já mexe com o preço
[24/11/2021] - Tereza: embargo chinês pode cair em dezembro
[24/11/2021] - Lácteos: preços em queda no Paraná
[24/11/2021] - MAPA bota em marcha a diplomacia dos insumos
[24/11/2021] - Vacina será comunicada online em Mato Grosso
[24/11/2021] - Governo americano vai subsidiar frigoríficos
[24/11/2021] - Molina paga R$ 20 milhões para encerrar processo
[23/11/2021] - China dá primeiro sinal de fim do embargo
[23/11/2021] - Brasil é o único país que pode atender cota russa
[23/11/2021] - Frigoríficos recebem mais pela carne exportada
[23/11/2021] - Arroba: frigoríficos não acham boi pra comprar
[23/11/2021] - Boi subiu quase 10% em Goiás
[23/11/2021] - Aprosoja: UE pratica protecionismo disfarçado
[22/11/2021] - Arroba: em SP a referência já bate os R$ 310
[22/11/2021] - Arroba: boi também subiu na Bahia e no Rio

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br