Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
313,00 301,00 313,00
GO MT RJ
304,00 298,00 297,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2590,00
Garrote 18m 2900,00
Boi Magro 30m 3420,00
Bezerra 12m 2240,00
Novilha 18m 2680,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 2/12/2021 11:14

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Carne bovina disparou também nos EUA

 
 
 
Publicado em 30/09/2021

Em Washington, uma bandeja de bifes no supermercado dificilmente custa menos de US$ 10 (R$ 54). Um Big Mac, com acompanhamentos e taxas, está na mesma faixa de preço. O governo de Joe Biden tem achado esses valores muito caros, e decidiu intervir para tentar aumentar a competição no mercado de carne.

Desde dezembro de 2020, o preço da proteína bovina para consumo doméstico subiu 14%, a de porco 12,1%, e a de aves, 6,6%, segundo dados do governo americano. Isso impacta a inflação dos alimentos em geral, o que pode atrapalhar a retomada econômica no pós-pandemia.

A Casa Branca apontou os grandes frigoríficos como culpados pela alta. Os quatro principais nomes do setor são as americanas Cargill e Tyson Foods, a JBS, de origem brasileira, e a National Beef, controlada pela também brasileira Marfrig. Juntos, respondem por 55% a 85% do mercado americano de carne, dependendo do tipo de origem animal, e estão aumentando os preços ao cliente final, embora os preços pagos aos fazendeiros tenham se mantido.

"Os processadores de carne estão gerando lucros recordes durante a pandemia, à custa dos consumidores e fazendeiros. O preço do bife subiu muito mais do que o preço de compra dos animais", acusou o governo, em um comunicado.

A gestão Biden também destaca que os frigoríficos dos EUA têm batido recordes históricos nas margens de lucro, que têm chegado a 18%, ante 12% antes da pandemia, e que só a JBS gerou US$ 2,3 bilhões (R$ 12,5 bilhões) em dividendos em 2020.

A Casa Branca anunciou medidas, como o reforço nas investigações e ações judiciais contra empresas suspeitas de combinar preços. Em um desses processos, em fevereiro, o Pilgrim's Pride, parte do grupo JBS, se declarou culpado e teve de pagar uma multa de US$ 107 milhões (R$ 579,6 milhões) por participar de uma conspiração nacional para fixar preços de frango e dificultar a concorrência. A investigação segue em andamento.

Em outra frente, o governo prometeu US$ 1,4 bilhão (R$ 7,6 bilhões) para ajudar pequenos produtores, processadores e distribuidores de carne. Além disso, o Departamento de Agricultura investirá mais US$ 500 milhões (R$ 2,7 bilhões) em recursos para ajudar novos competidores que queiram entrar nesse mercado, a serem gastos em empréstimos e assistência técnica.

Haverá também apoio para produtores afetados por problemas ambientais, como as secas e queimadas que atingem o oeste e o meio-oeste do país.

As empresas dizem que a alta de preços não é culpa da forma como trabalham, mas sim da alta na demanda e da dificuldade em encontrar funcionários para cobrir os turnos nos frigoríficos e fábricas.

"Com a pandemia, tivemos um absenteísmo significativo. Isso gerou queda drástica na capacidade de operar, o que levou a um excesso de oferta de gado e à falta de oferta de bife, enquanto a demanda por produtos de carne estava em uma alta histórica. Com isso, o preço do gado caiu, enquanto o preço do bife subiu", disse Shane Miller, presidente da Tyson Fresh Meats, em uma audiência no Senado dos EUA, no fim de julho, na qual executivos foram chamados para explicar a subida de preços.

Miller ressaltou que o ciclo de criação de gado, do nascimento ao abate, leva cerca de três anos. Assim, se os frigoríficos param de comprar animais subitamente, gera-se um excedente. "Os fornecedores de animais não podem simplesmente 'desligar' o suprimento porque o mercado demanda menos", disse.

O presidente da Tyson disse esperar que a indústria consiga retomar seu ritmo normal à medida que os trabalhadores voltarem a atuar em ritmo normal. Para atrair mais funcionários, as empresas estão pagando a partir de US$ 22 por hora de expediente —o salário mínimo federal é de US$ 7,25 por hora, e oferecendo mais benefícios.

O executivo criticou a ideia de ampliar a participação de frigoríficos menores no mercado. "Trabalhamos com milhares de pequenos negócios, mas ter os americanos dependendo apenas de uma rede de pequenos processadores criaria ineficiência no sistema e as famílias pagariam muito mais por sua carne", alertou Miller.

A JBS também defende o modelo em vigor. "A eficiência do sistema atual, cuja estrutura teve poucas mudanças significativas nos últimos 25 anos, permite aos americanos gastar uma parte menor de sua renda em comida do que em qualquer outro país do mundo e a ter alguns dos menores preços de proteínas entre os países desenvolvidos", disse a empresa, em nota. Procurada pela Folha, a Marfrig não quis se pronunciar.

"Nos últimos três meses, tivemos encontros com autoridades da Casa Branca e do Departamento de Agricultura, nos quais houve discussões robustas, mas em nenhum deles os funcionários do governo sugeriram que a alta de preços ocorria por causa da estrutura da indústria", disse Julie Anna Potts, presidente do Meat Institute, entidade que reúne empresários do setor de carne, em uma carta pública divulgada na terça (14).

Kevin Grier, consultor do mercado de carne norte-americano há 25 anos, avalia que as medidas do governo Biden não terão efeito nos preços. Para ele, os valores só baixarão conforme houver mudanças na demanda e mais gente se dispuser a trabalhar nos frigoríficos, o que pode ocorrer conforme os pagamentos emergenciais criados na pandemia vão sendo retirados.

“Com o dinheiro extra vindo dos auxílios, muitas famílias que compravam coxas de frango passaram a levar bifes. A principal razão para a alta dos preços é a demanda estar muito forte, e as medidas anunciadas pela Casa Branca [para intervir no setor] não terão como mudar isso”, avalia. Com informações da Folha.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[02/12/2021] - Arroba: frigoríficos entram com força na compra
[02/12/2021] - CEPEA: boi volta a bater nas máximas
[02/12/2021] - Rússia habilita mais duas unidades para exportação
[02/12/2021] - Vizinhos da Rússia também querem importar carne
[02/12/2021] - Por que o PIB do Agro caiu?
[02/12/2021] - Inflação medida pelo IPC também perdeu força
[01/12/2021] - Arroba: boi segue em alta

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[01/12/2021] - Arroba: frigoríficos já estão pagando mais em SP
[01/12/2021] - EUA devem aumentar importação de carne do Brasil
[01/12/2021] - Exportações: volume caiu, mas preço da carne subiu
[01/12/2021] - Deputados debatem aumento de custo na pecuária
[01/12/2021] - MAPA prorroga vacinação em 14 estados
[01/12/2021] - Câmara aprova indenização a pecuaristas
[30/11/2021] - Arroba: frigoríficos pagam acima da referência
[30/11/2021] - Scot vê oferta curta de boi
[30/11/2021] - Boi gordo em alta em Goiás
[30/11/2021] - Abates aumentaram 18% em Mato Grosso
[30/11/2021] - Frigoríficos prevêem disparada do boi
[30/11/2021] - Leite: preço do leite caiu com força
[30/11/2021] - Senado aprova preço mínimo para perecíveis
[30/11/2021] - Tereza: produtor precisa ser pago por preservação
[29/11/2021] - Arroba: mercado agora espera sinal do consumo
[29/11/2021] - Embargo chinês é jogada comercial, diz produtor
[29/11/2021] - Ministro chama ameaça da UE de protecionismo
[29/11/2021] - Milho: preços reagem após 2 meses de queda
[29/11/2021] - Vacinação contra aftosa é prorrogada em SP
[29/11/2021] - Leite: indústrias reclamam de queda nas vendas
[29/11/2021] - IGP-M perde força e fica abaixo das previsões
[26/11/2021] - Arroba: boi em alta, carne também subiu
[26/11/2021] - Arroba: preços também subiram em SP
[26/11/2021] - Margem do pecuarista deve subir se China voltar
[26/11/2021] - Confinamento cresceu em 2021 e deve crescer mais
[26/11/2021] - EUA: Brasil lidera produtividade agropecuária
[26/11/2021] - Economia: atividade cresceu 2% em outubro
[26/11/2021] - Senado aprova projeto que pode reduzir frete
[25/11/2021] - Arroba: mercado em alta
[25/11/2021] - CEPEA vê arroba do boi a R$ 310
[25/11/2021] - Milho cai em Mato Grosso do Sul
[25/11/2021] - Produtores de suínos comemoram abertura russa
[25/11/2021] - Arbitragens mostram a briga por trás da JBS
[24/11/2021] - Rússia libera exportações de 12 frigoríficos
[24/11/2021] - Arroba: o que fazer agora?
[24/11/2021] - Arroba: reabertura chinesa já mexe com o preço
[24/11/2021] - Tereza: embargo chinês pode cair em dezembro
[24/11/2021] - Lácteos: preços em queda no Paraná
[24/11/2021] - MAPA bota em marcha a diplomacia dos insumos
[24/11/2021] - Vacina será comunicada online em Mato Grosso
[24/11/2021] - Governo americano vai subsidiar frigoríficos
[24/11/2021] - Molina paga R$ 20 milhões para encerrar processo
[23/11/2021] - China dá primeiro sinal de fim do embargo
[23/11/2021] - Brasil é o único país que pode atender cota russa
[23/11/2021] - Frigoríficos recebem mais pela carne exportada
[23/11/2021] - Arroba: frigoríficos não acham boi pra comprar
[23/11/2021] - Boi subiu quase 10% em Goiás
[23/11/2021] - Aprosoja: UE pratica protecionismo disfarçado
[22/11/2021] - Arroba: em SP a referência já bate os R$ 310
[22/11/2021] - Arroba: boi também subiu na Bahia e no Rio

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br