Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
295,00 287,00 293,00
GO MT RJ
286,00 278,00 292,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2500,00
Garrote 18m 2940,00
Boi Magro 30m 3620,00
Bezerra 12m 2190,00
Novilha 18m 2620,00
Vaca Boiadeira 2840,00

Atualizado em: 17/9/2021 08:46

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

FGV: indicador mostra que Agro deve crescer mais

 
 
 
Publicado em 15/07/2021

O avanço nas importações de insumos e equipamentos pela agropecuária e pela indústria de transformação em junho sinaliza perspectivas de crescimento nessas atividades nos próximos meses, segundo os dados do Indicador de Comércio Exterior (Icomex) do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

A indústria de transformação aumentou em 46,9% o volume importado de bens intermediários em junho deste ano ante junho de 2020. A atividade industrial também importou 47,2% mais bens de capital em junho de 2021 ante junho de 2020. Se excluída a influência das plataformas de petróleo, ainda houve crescimento de 46,7% nas importações de máquinas e equipamentos pela indústria, o que indica investimentos no setor.

Na agropecuária, o volume de bens intermediários importados cresceu 22,9% em junho deste ano ante junho do ano passado. A importação de máquinas e equipamentos para o setor avançou 61,4% no período.

"Os ganhos de receitas nas exportações e previsões de uma demanda mundial em recuperação sugerem que o setor está se preparando para as novas safras que irão ser cultivadas para as vendas de 2022. Na indústria, aumento de 46,9% nas compras de bens intermediários e de 47,2% das máquinas sugere um sinal positivo em termos do nível de atividade do setor", justificou o Ibre/FGV, em nota oficial.

A importação de bens de consumo duráveis no País avançou 191,5%; a de bens de consumo não duráveis aumentou 46,4%; e a de bens de consumo semiduráveis subiu 5,3%.

"As elevadas taxas de variação no volume importado dos bens duráveis na indústria de transformação e similares ao das exportações é um indicativo do comércio intra-indústria do setor automotivo", explicou o Ibre/FGV.

O setor automotivo impulsionou o aumento na exportação de bens duráveis em junho. O mercado argentino absorveu 41% das exportações brasileiras de automóveis para passageiros no mês.

O volume de exportações de bens de consumo duráveis teve um salto de 191,4% em junho deste ano ante junho de 2020, enquanto o de bens de capital aumentou 39,7%. As exportações de bens de consumo semiduráveis cresceram 54,0%, e as de bens intermediários avançaram 8,0%, enquanto as de bens não duráveis subiram 3,2%.

Em junho, a balança comercial brasileira teve um superávit de US$ 10,4 bilhões. O volume exportado cresceu 9,8% em relação a junho de 2020, enquanto o volume importado aumentou 42,6%.

No acumulado de janeiro a junho de 2021, o superávit comercial foi de US$ 36,7 bilhões. O volume exportado aumentou 6,6%, e o importado cresceu 20,7%.

A China é o principal responsável pelo saldo positivo da balança comercial brasileira em 2021. O comércio com os chineses de janeiro a junho resultou num superávit de US$ 25,2 bilhões para o Brasil.

Já o comércio com os Estados Unidos de janeiro a junho levou a um déficit de US$ 3,1 bilhões para o Brasil. O Brasil também registrou déficits expressivos no comércio com a Alemanha (US$ 3,07 bilhões), Rússia (US$ 1,48 bilhões) e Índia (US$ 1,12 bilhões).

"Os bons resultados da balança comercial em 2021 reforçam tendências que passaram a ser estruturais no comércio brasileiro: a crescente dependência da China e das commodities. Para elevar a participação de outros países é necessário que o país ofereça, em bases competitivas, um leque maior de produtos no comércio mundial. Ressalta-se ainda que o aumento da participação da China é explicado mais pelos preços do que aumento do volume exportado, como iremos analisar", ressaltou a FGV, na nota do Icomex. Com informações do portal Estadão.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[17/09/2021] - O que os frigoríficos pretendem fazer agora?
[17/09/2021] - Rússia restringe compras de MG e MT
[17/09/2021] - Arroba: frigoríficos derrubam as cotações em SP
[17/09/2021] - Carne estocada pode ir para o mercado interno
[17/09/2021] - Empregos: Agro já recuperou o nível pré-pandemia
[17/09/2021] - Agro será o setor mais beneficiado com o 5G

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[16/09/2021] - Arábia Saudita retira embargo ao Brasil
[16/09/2021] - CEPEA: embargo chinês deve ser revertido logo
[16/09/2021] - Boi caiu, mas preço da carne continua o mesmo
[16/09/2021] - Arroba: incerteza ainda trava negociações
[16/09/2021] - Pedido de vistas interrompe julgamento no STF
[16/09/2021] - MST abraça capitalismo e capta dinheiro no mercado
[15/09/2021] - Arroba: pecuaristas recusam valores menores em SP
[15/09/2021] - Frigoríficos e pecuaristas travam disputa em MT
[15/09/2021] - Em Goiás, o PIB do Agro deve registrar alta de 11%
[15/09/2021] - Prévia do PIB sobe acima das previsões
[15/09/2021] - Governo renova programa de promoção do Agro
[15/09/2021] - Julgamento do marco temporal deve ser interrompido
[14/09/2021] - Exportações de carne bovina: 83% de alta em 1 ano
[14/09/2021] - Exportações do Agro: o maior valor desde 2013
[14/09/2021] - PIB da Pecuária: alta de mais de 5% em 2021
[14/09/2021] - Sauditas embargam frigoríficos de Minas Gerais
[14/09/2021] - Chineses podem usar EEB para renegociar preços
[14/09/2021] - Arroba: negócios não acontecem a valores menores
[14/09/2021] - Arroba: frigoríficos tentam forçar baixa
[14/09/2021] - Produtor de leite sente o peso dos custos altos
[13/09/2021] - Brasil deve enviar missão do MAPA à China
[13/09/2021] - Arroba: bloqueio chinês deve acabar logo
[13/09/2021] - Arroba: cenário de estabilidade em SP
[13/09/2021] - Milho: mercado aposta em queda de preço
[13/09/2021] - Entrega de fertilizantes dispararam em junho
[13/09/2021] - Bolsonaro: fim do marco temporal é o fim do Agro
[10/09/2021] - Pecuaristas acusam JBS de manipulação da arroba
[10/09/2021] - Arroba: entregar boi só por necessidade
[10/09/2021] - Arroba: frigoríficos culpam caminhoneiros
[10/09/2021] - Movimento dos caminhoneiros acabou
[10/09/2021] - Abates caíram, retenção de fêmeas continua
[10/09/2021] - Consultorias debatem: quantos bois há no Brasil?
[10/09/2021] - Leite: aquisição cai 1% no trimestre
[10/09/2021] - MAPA proíbe a entrada de produtos suínos no Brasil
[10/09/2021] - STF: primeiro voto é contra marco temporal
[10/09/2021] - Pecuaristas argentinos ameaçam nova greve
[09/09/2021] - Arroba: pecuarista não aceita menos pelo boi
[09/09/2021] - CEPEA: exportações devem voltar logo
[09/09/2021] - Arroba: boi já reage no mercado futuro
[09/09/2021] - Nos EUA, carne cara, boi barato
[09/09/2021] - Frigoríficos: governo dos EUA prepara ação
[09/09/2021] - Polícia garante livre fluxo de cargas nas estradas
[09/09/2021] - Bolsonaro conversa com caminhoneiros
[09/09/2021] - Frigoríficos: transporte está normal
[08/09/2021] - Vaca louca: produção brasileira não está em risco
[08/09/2021] - Pecuarista é quem vai assumir prejuízo?
[08/09/2021] - Ações de frigoríficos subiram na segunda
[08/09/2021] - Exportações de carne bateram recorde em agosto
[08/09/2021] - Arroba: frigoríficos travam as compras
[08/09/2021] - Frigol dá férias coletivas

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br