Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
303,00 291,00 299,00
GO MT RJ
286,00 294,00 292,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2940,00
Garrote 18m 3360,00
Boi Magro 30m 3970,00
Bezerra 12m 2610,00
Novilha 18m 3190,00
Vaca Boiadeira 3300,00

Atualizado em: 5/5/2021 09:49

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Marfrig nega compra de frigoríficos em dificuldade

 
 
 
Publicado em 16/04/2021

Mesmo com a operação dos Estados Unidos gerando caixa e as exportações para a China bem posicionadas, com auxílio do dólar, não espere que a Marfrig saia às compras neste momento em que o parque frigorífico nacional deve passar a contar com empresas deficitárias à beira da quebradeira.

Parte das perguntas que os investidores fazem a Eduardo Puzziello, diretor de Relações com Investidores, sobre a “alocação [futura] de capital” do grupo, está ligada às expectativas que todo o mercado está depositando sobre todos os players. Sem demanda interna e boi caro, a ociosidade cresceu e plantas mais dependentes do consumo doméstico estão parando.

A resposta é não, apesar de que ele concorde com a situação crítica dos frigoríficos de menor porte. “Muitos vão sair do mercado e não voltarão ou voltam menores ainda”.

A prioridade da Marfrig é abaixar cada vez mais a relação alavancagem, “já nos mais baixos níveis históricos. A dívida líquida é de 1.6 vezes o Ebitda”.

O mercado já viu uma fração desse movimento acontecer em janeiro, um mês depois de o ex-executivo da Athena Food no Chile assumir o RI. A Marfrig retirou dois bonds de US$ 1,750 bilhão, pagando 7%, e lançou outro de US$ 1,5 bilhão por 10 anos, por 3,95%. Os US$ 250 milhões de diferença foram cobertos com caixa próprio.

“Vamos ter uma economia de US$ 60 milhões ao ano por quatro anos”, diz, em referência ao prazo de vigência das duas dívidas que foram compradas.

Arrendamentos também não estão nos planos num primeiro momento. Mesmo porque é conhecida da pecuária nacional a corrida para esse tipo de negócio em 2014 e 2015, ainda longe da explosão da demanda chinesa, e as companhias tiveram que sair devolvendo as unidades arrendadas. E a JBS (JBSS3) foi a líder nessa ponta, seguido da Marfrig.

Mas é difícil para os investidores não observarem as oportunidades que vão surgindo?

À indagação, especialmente quando o mercado enxerga a Marfrig como uma “empresa americana listada [com ações em bolsa] no Brasil” – 72% da receita líquida e 80% do Ebitda foram “americanos” em 2020 -, o executivo é taxativo.

Das 11 indústrias no Brasil, duas estão paradas, e a geração de negócios para a China e outros mercados compradores já é atendida suficientemente, além do que elas oferecem de oferta para o Brasil.

Ainda se estivessem frigoríficos candidatos com habilitação para exportação aos chineses e ao EUA, vá lá. Mas isso acaba sendo raridade, apesar de esses também estão sofrendo com a conjuntura atual da pecuária bovina brasileira.

“Então, pensar num ativo que esteja na mesa e que necessite de recursos em sustentabilidade e questões trabalhistas [além de autorizações para exportação], fica difícil”, afirma Eduardo Puzziello.

O ROI (retorno sobre investimento) ficaria muito alongado e quebraria a qualidade da gestão de passivo que a empresa quer perseguir.

As operações no exterior atualmente também estão ajustadas à demanda. As quatro plantas do Uruguai e uma (das duas) argentina também atendem os Estados Unidos, além de três do Brasil.

Dito isto, na conta de chegar da Marfrig só cabe os “pequenos movimentos” atuais de uso do capital.

Os US$ 100 milhões que serão empegados nos próximos tempos no Paraguai, com a parceria firmada com produtores locais que garantirão matéria-prima de qualidade para o mercado externo, anunciada em 2020, e o upgrade na planta de hambúrgueres de Várzea Grande.

Além da mais recente decisão, de mais que dobrar a capacidade de abate da filial de Iowa, nos EUA, de 1,1 mil bois/dia para 2,5 mil, que consumirá US$ 100 milhões até final de 2022. Com informações do Money Times.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[05/05/2021] - Arroba: pressão continua
[05/05/2021] - Arroba: frigoríficos compram pouco
[05/05/2021] - Frigoríficos: unidades em férias já voltaram
[05/05/2021] - Lácteos têm pequena alta, mas cenário preocupa
[05/05/2021] - Lucro do Minerva cai com alta do boi
[05/05/2021] - Inseminação pode crescer 25% em 2021
[05/05/2021] - Europeus não querem regularização no Brasil
[05/05/2021] - Regularização fundiária não favorece a grilagem

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[04/05/2021] - Frigoríficos seguram as compras
[04/05/2021] - Preço do boi tem pequena queda em Goiás
[04/05/2021] - Arroba: boi não cai em Mato Grosso
[04/05/2021] - Safra de milho deverá ser menor que o esperado
[04/05/2021] - Preço do milho pode subir ainda mais
[03/05/2021] - Exportações de carnes: o melhor abril da história
[03/05/2021] - Bolsonaro defende direito de propriedade
[03/05/2021] - Arroba: frigoríficos já escalados para esta semana
[03/05/2021] - Confinadores tentam reduzir custos
[03/05/2021] - Milho: produtores continuam segurando vendas
[03/05/2021] - Deputado quer criar mais despesa para pecuarista
[03/05/2021] - Criminosos simulam compra e roubam gado
[03/05/2021] - Governo prorroga dívidas de produtores rurais
[30/04/2021] - Força Nacional vai atuar contra grupo armado em RO
[30/04/2021] - Agro: maior geração de empregos desde 2007
[30/04/2021] - Arroba: pressão aumenta mas pecuarista resiste
[30/04/2021] - Leite: preço reage e volta a subir
[30/04/2021] - Milho: governo anuncia medidas para ampliar oferta
[30/04/2021] - Milho: já tem gente querendo R$ 110 pela saca
[30/04/2021] - Vacinação contra aftosa começa amanhã
[29/04/2021] - Queda do boi não deve durar muito
[29/04/2021] - Scot: oferta aumentou, mas boi segue a R$ 312
[29/04/2021] - Alta do boi não compensa valorização do milho
[29/04/2021] - Custo da recria e engorda disparou em MT
[29/04/2021] - Pressão de ambientalistas atrasa regularização
[28/04/2021] - Roubo de gado atrai crime organizado
[28/04/2021] - Grupo armado invade fazenda e tortura funcionários
[28/04/2021] - Polícia faz operação contra carne de gado roubado
[28/04/2021] - Arroba: boi China continua em alta
[28/04/2021] - Arroba: frigoríficos testam preços menores
[28/04/2021] - Leite não sobe mesmo na entressafra
[28/04/2021] - Milho: tarifa zero não afetou preços
[28/04/2021] - Preço do milho segue em disparada na bolsa
[28/04/2021] - Milho: baixo volume de chuvas em Goiás
[28/04/2021] - BNDES pode vender fatia da JBS nos próximos meses
[28/04/2021] - Criação de emprego perde ritmo em março
[27/04/2021] - Pecuarista pode virar refém dos grandes frigos
[27/04/2021] - Exportações devem ter o melhor abril da história
[27/04/2021] - Arroba: oferta aumenta e boi recua em SP
[27/04/2021] - Boi subiu em Goiás
[27/04/2021] - Será que compensa confinar em 2021?
[27/04/2021] - Como está o preço do milho hoje?
[27/04/2021] - Gado de produtor recém-falecido é furtado em GO
[26/04/2021] - Arroba: oferta tem leve melhora em MS e GO
[26/04/2021] - Arroba: frigoríficos aumentam pressão em SP
[26/04/2021] - Leite: preços devem começar uma recuperação
[26/04/2021] - Preço do milho segue renovando máximas
[26/04/2021] - Trigo pode substituir o milho na ração?
[23/04/2021] - Arroba: vai faltar muito boi na entressafra
[23/04/2021] - Frigoríficos pressionam o boi em São Paulo

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br