Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
301,00 291,00 297,00
GO MT RJ
285,00 294,00 292,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2940,00
Garrote 18m 3360,00
Boi Magro 30m 3970,00
Bezerra 12m 2610,00
Novilha 18m 3010,00
Vaca Boiadeira 3220,00

Atualizado em: 7/5/2021 10:29

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Cinco mil casos de roubo de gado no RS

 
 
 
Publicado em 12/04/2021

Cada vez mais comum em diversas partes do país, o abigeato também preocupa os pecuaristas do Rio Grande do Sul. Em todo o estado foram mais de 5 mil ocorrências registradas pelas autoridades em 2020.

Dionísio Gavião é produtor em Itaqui, município que fica na fronteira-oeste do Rio Grande do Sul, às margens do Rio Uruguai. Do outro lado da fronteira, está a Argentina. Ele conta que o roubo de gado, nesta parte do estado, é um frequente desafio para os policiais.

“O Rio Uruguai é uma terra sem lei. Eu tive oito animais furtados em um ano. Conversei com o pessoal da Polícia Civil onde tive um apoio. Essa mesma turma de criminosos age por semana, levando em torno de quatro animais’’, diz Gavião.

O produtor conta que os criminosos carneiam o animal nas margens do rio dentro de um barco. ‘’Eles dão risada da gente porque eles sabem que eles são intocáveis ali, ninguém vai atrás deles. Eles vão embora com a vaca carneada”, relata.

Glauco Monteiro, que também é produtor rural em Itaqui, diz que nem todas as ocorrências envolvendo o roubo de gado no município são registradas na polícia. A preocupação dele é com novo status sanitário no estado de livre de febre aftosa sem vacinação.

‘’O rio é um local onde não existe fiscalização nenhuma. A Marinha, que deveria fiscalizar, não anda no rio. A Polícia Federal também não vem nesta região. Temos um risco grave para o plano de controle da aftosa com esse trânsito de animais e todo o tipo de mercadorias transportadas pelo rio. Tinha que ter uma política de fronteira mais efetiva”, diz Monteiro.

Ação da polícia contra o abigeato

O comando da Polícia Militar, que atua na área de fronteira do Rio Grande do Sul, nos municípios de São Borja, Itaqui, Maçambará e Garruchos, afirma que o roubo de gado está em declínio, passou de 42 para 30, nos primeiros três meses deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado.

‘’Nós tivemos em 2020, uma elevação dos registros do crime de abigeato, na área geral do batalhão, nos quatro municípios. Mais para o meio do ano, adotamos uma segunda etapa da estratégia que foi começar a atuar basicamente com maior intensidade nas áreas onde tínhamos um aumento dos indicadores do crime de abigeato. No final do ano percebemos uma leve diminuição nesse tipo de crime’’ afirma o major Hélio Soares dos Santos Júnior, comandante do segundo batalhão de policiamento de área de fronteira.

As quadrilhas especializadas no roubo de gado têm estratégias bem montadas. Elas estudam com atenção o local, o que exige um trabalho de inteligência policial para prender os responsáveis. Em uma operação realizada nesta semana em Vale Verde, no Vale do Rio Pardo, no Rio Grande do Sul, foram encontrados, 37 animais roubados, espalhados em diversas propriedades da região.

“Tivemos como resultado a apreensão de 116 cabeças de gado administrativamente, 52 cabeças de gado criminalmente. Outras 15 cabeças de gado foram apreendidas dia 29 de março. As ações dão um lastro para todo esse trabalho de inteligência policial e de providência na área do abigeato que é um dos crimes que mais assola a comunidade rural”, destaca o coronel Valmir José dos Reis, comandante do comando regional de Polícia Ostensiva do Vale do Rio Pardo.

Ronaldo Zechlinski de Oliveira, presidente do sindicato rural de Rio Grande, diz que teve 17 animais roubados no ano passado. Segundo ele, o roubo de gado é um crime de difícil punição.

‘’O que nos deixa mais triste na questão do abigeato é a impunidade. O abigeatário sai da delegacia, antes daquele que foi sua vítima porque a nossa justiça é muito branda com esse crime. No nosso entendimento isso pune o produtor rural, porque esse sim fica com o prejuízo”, diz Oliveira.

O Rio Grande do Sul tem quatro delegacias da Polícia Civil especializadas em crimes rurais. Em 2016, quando mais de 9 mil casos de roubo de gado foram registrados, foi criada uma força-tarefa para conter a ação das quadrilhas no estado. O número de ocorrências, desde então, vem caindo, segundo André de Matos Mendes, delegado que chefia a delegacia de Polícia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e de Abigeato no município de Bagé.

‘’Fechamos 2020, com queda de 50% nas ocorrências e com uma boa perspectiva para 2021, onde já no primeiro bimestre tivemos uma queda de 36% no número de registros de ocorrência de abigeato. As delegacias foram criadas e passaram a trabalhar com uma visão diferenciada de quem é o criminoso que ataca o campo, entendendo que o crime organizado chegou no meio rural’’.

Para Fábio Rodrigues, diretor da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), diante do aumento no número de casos de abigeato, o cuidado dentro das propriedades deve ser redobrado.

“Nós, produtores rurais, devemos estar atentos da porteira para dentro, onde cabe nossa fiscalização, nossa presença, nosso cuidado e da porteira para fora com os órgãos de repressão do estado do Rio Grande do Sul”, ressalta. Com informações do Canal Rural.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[07/05/2021] - Arroba: volume de negócios está fraco
[07/05/2021] - Quanto está valendo o boi em São Paulo?
[07/05/2021] - China: importações de carne próximas a recorde
[07/05/2021] - Arábia Saudita embarga frigoríficos brasileiros
[07/05/2021] - O que está por trás do embargo saudita?
[07/05/2021] - Câmara aprova cota para leite nacional na merenda
[07/05/2021] - Polícia faz operação contra roubo de gado em MS

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[07/05/2021] - Bolsonaro vai a manifestação de produtores rurais
[06/05/2021] - Queda do boi não vai durar muito
[06/05/2021] - Arroba: frigoríficos pagam menos em SP
[06/05/2021] - Leite: produtor recebeu mais, mas riscos continuam
[06/05/2021] - Custo de produção do leite segue nas alturas
[06/05/2021] - Qual a previsão para o preço do milho?
[06/05/2021] - Governo esgota orçamento para crédito subsidiado
[06/05/2021] - Crédito rural cresceu 12% em um ano
[06/05/2021] - Bolsonaro deve mandar Força Nacional a Rondônia
[06/05/2021] - Tereza pede aprovação rápida da regularização
[05/05/2021] - Arroba: pressão continua
[05/05/2021] - Arroba: frigoríficos compram pouco
[05/05/2021] - Frigoríficos: unidades em férias já voltaram
[05/05/2021] - Lácteos têm pequena alta, mas cenário preocupa
[05/05/2021] - Lucro do Minerva cai com alta do boi
[05/05/2021] - Inseminação pode crescer 25% em 2021
[05/05/2021] - Europeus não querem regularização no Brasil
[05/05/2021] - Regularização fundiária não favorece a grilagem
[04/05/2021] - Frigoríficos seguram as compras
[04/05/2021] - Preço do boi tem pequena queda em Goiás
[04/05/2021] - Arroba: boi não cai em Mato Grosso
[04/05/2021] - Safra de milho deverá ser menor que o esperado
[04/05/2021] - Preço do milho pode subir ainda mais
[03/05/2021] - Exportações de carnes: o melhor abril da história
[03/05/2021] - Bolsonaro defende direito de propriedade
[03/05/2021] - Arroba: frigoríficos já escalados para esta semana
[03/05/2021] - Confinadores tentam reduzir custos
[03/05/2021] - Milho: produtores continuam segurando vendas
[03/05/2021] - Deputado quer criar mais despesa para pecuarista
[03/05/2021] - Criminosos simulam compra e roubam gado
[03/05/2021] - Governo prorroga dívidas de produtores rurais
[30/04/2021] - Força Nacional vai atuar contra grupo armado em RO
[30/04/2021] - Agro: maior geração de empregos desde 2007
[30/04/2021] - Arroba: pressão aumenta mas pecuarista resiste
[30/04/2021] - Leite: preço reage e volta a subir
[30/04/2021] - Milho: governo anuncia medidas para ampliar oferta
[30/04/2021] - Milho: já tem gente querendo R$ 110 pela saca
[30/04/2021] - Vacinação contra aftosa começa amanhã
[29/04/2021] - Queda do boi não deve durar muito
[29/04/2021] - Scot: oferta aumentou, mas boi segue a R$ 312
[29/04/2021] - Alta do boi não compensa valorização do milho
[29/04/2021] - Custo da recria e engorda disparou em MT
[29/04/2021] - Pressão de ambientalistas atrasa regularização
[28/04/2021] - Roubo de gado atrai crime organizado
[28/04/2021] - Grupo armado invade fazenda e tortura funcionários
[28/04/2021] - Polícia faz operação contra carne de gado roubado
[28/04/2021] - Arroba: boi China continua em alta
[28/04/2021] - Arroba: frigoríficos testam preços menores
[28/04/2021] - Leite não sobe mesmo na entressafra
[28/04/2021] - Milho: tarifa zero não afetou preços

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br