Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
261,00 251,00 256,00
GO MT RJ
247,00 247,00 247,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2230,00
Garrote 18m 2610,00
Boi Magro 30m 3330,00
Bezerra 12m 1910,00
Novilha 18m 2460,00
Vaca Boiadeira 2650,00

Atualizado em: 21/10/2020 09:55

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Leite: alta generalizada nos preços

 
 
 
Publicado em 24/09/2020

Com um menor volume de captação e de comercialização e com a demanda aquecida, os preços do leite se mantiveram valorizados semana a semana ao longo de agosto e entraram em setembro em alta. Se nos dois meses anteriores os queijos sustentavam os preços, agora a alta é generalizada por todos os derivados. O movimento registrado no Paraná reflete o que ocorre no restante do país.

O cenário foi apresentado em reunião do Conselho Paritário Produtores/Indústria do Paraná (Conseleite-PR), realizada por meio de videoconferência, nesta terça-feira (15). O colegiado aprovou o valor de referência projetado de R$ 1,9860 para o leite entregue em setembro a ser pago em outubro – o maior patamar desde o início da série histórica.

“Os preços continuaram subindo de forma sistemática. Até o momento, meados de setembro, ainda não percebemos sinal de recuo dos preços, nem mesmo de estabilidade. Eles seguem em alta”, disse o professor José Roberto Canziani, da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e um dos responsáveis pelo levantamento. “Preço não é causa de nada. É resultado. Resultado das forças de oferta e demanda”, acrescentou.

De modo geral, o mercado de lácteos paranaense vem se recuperando desde maio, quando o valor de referência projetado chegou a R$ 1,2767. Desde então, os queijos vinham puxando os preços – principalmente, a muçarela, que respondeu por 49% do mix de comercialização e que chegou a ter valorização de 75,7% entre maio e o primeiro decêndio de setembro. Com representatividade expressiva, o queijo prato oscilou positivamente em 57,7% no período. Requeijão e provolone também registraram alta.

Agora, no entanto, a alta também chegou aos derivados fluidos. O leite pasteurizado também vem em variações positivas sucessivas. O UHT, por sua vez, teve valorização acumulada de 37,6%, desde maio. Apesar da alta expressiva, o produto – que é representativo por ser consumido de forma significativa por todas as classes sociais – não chegou ao seu recorde de preço, já que houve picos maiores em julho de 2016 e de 2018. Outro produto com valorização acentuada é o leite em pó, que oscilou 48,3%, entre maio e o primeiro decêndio de setembro. Mesmo produtos que vinham em estabilidade, como a bebida láctea e o doce de leite, agora registraram alta de preço.

A única exceção do levantamento é a manteiga, cujo preço permanece no mesmo patamar. “O movimento foi positivo como um todo. As capacidades de pagamento continuam elevadas não só entre os queijos, mas também entre os outros produtos. Poucas vezes assistimos variações de capacidade de pagamento desta magnitude”, observou a professora Vânia Guimarães, da UFPR.

O setor vê o movimento como reflexo do mercado, mas avalia que o momento é de cautela. “Tivemos uma pequena queda na captação e, até por causa da manutenção do auxílio emergencial, a demanda se manteve aquecida. Isso se refletiu nos preços, de acordo com a lógica da relação oferta e demanda”, avaliou o presidente da Comissão Técnica de Bovinocultura de Leite da FAEP, Ronei Volpi. “Com a redução pela metade no valor do auxílio emergencial, precisamos ver se haverá reflexos na demanda”, acrescentou. Com informações da FAEP.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[21/10/2020] - Arroba: alta do boi continua
[21/10/2020] - Arroba dispara na Bolsa e passa de R$ 280
[21/10/2020] - Exportações seguem fortes
[21/10/2020] - JBS vai emitir dívida para comprar bois
[21/10/2020] - Leite: possível queda de preço preocupa o produtor
[21/10/2020] - Milho: preços dispararam hoje na Bolsa
[21/10/2020] - Milho: preços em alta em Goiás
[21/10/2020] - Milho: retirada de imposto não deve reduzir preços
[21/10/2020] - Exportação de milho deve superar expectativas
[21/10/2020] - Sementes misteriosas: já são 525 casos

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/10/2020] - Brasil registra primeiro caso de Covid em animais
[20/10/2020] - Guerra JBS x BNDES entra em fase decisiva
[20/10/2020] - Exportações podem crescer 8% em outubro
[20/10/2020] - Arroba: começo de semana estável
[20/10/2020] - Como está a demanda chinesa pelo boi?
[20/10/2020] - MT tem a maior área plantada de milho desde 2014
[20/10/2020] - Estoques de milho continuarão curtos em MT
[20/10/2020] - Alta do IGP-M perde força
[20/10/2020] - EUA e Brasil dão passo para acordo comercial
[20/10/2020] - EUA e Brasil podem dobrar comércio em 5 anos
[19/10/2020] - Arroba: frigoríficos vão em busca de vacas
[19/10/2020] - Mercado futuro segue prevendo arroba a R$ 280
[19/10/2020] - Carne sem osso subiu em SP
[19/10/2020] - JBS diz que parcelou incentivo irregular de MS
[19/10/2020] - Governo zera imposto de importação do milho
[19/10/2020] - Importação de milho pode reduzir custo do leite
[19/10/2020] - Milho dispara e passa de R$ 70 a saca
[19/10/2020] - Brasil e EUA iniciam hoje acordo comercial
[19/10/2020] - Bolsonaro defende acordo comercial com os EUA
[16/10/2020] - Arroba: boi segue rumo aos R$ 270
[16/10/2020] - Medida do governo pode derrubar arroba do boi
[16/10/2020] - Exportações de carne têm reação em outubro
[16/10/2020] - Boi: rebanho cresceu pela primeira vez em 3 anos
[16/10/2020] - Leite: produção é a segunda maior desde 1974
[16/10/2020] - Preço do milho dispara na bolsa
[16/10/2020] - JBS: Brasil produz mais carne com menos terra
[16/10/2020] - JBS: operação mira grupo de Cid Gomes
[16/10/2020] - MAPA amplia rede de adidos agrícolas
[16/10/2020] - Mudanças fazem ITR disparar em algumas cidades
[15/10/2020] - Mercado futuro já projeta arroba a R$ 280
[15/10/2020] - Arroba: preço das fêmeas subiu
[15/10/2020] - Procura por bezerros está forte no Rio de Janeiro
[15/10/2020] - JBS: Batistas tentam pôr fim a escândalos nos EUA
[15/10/2020] - Produtores são vítimas de golpe em Santa Catarina
[15/10/2020] - Inmet prevê retorno consistente da chuva
[14/10/2020] - O tombo forte do confinamento
[14/10/2020] - Arroba: boi foi além dos R$ 260
[14/10/2020] - Arroba: mercado começou a semana devagar
[14/10/2020] - China: alta de 38% nas importações de carne bovina
[14/10/2020] - Exportações de carne: alta continua em outubro?
[14/10/2020] - Empresa da JBS pagará milhões em ação por cartel
[14/10/2020] - Arroba do boi disparou quase 40% em Mato Grosso
[14/10/2020] - Como está o mercado do milho em outubro?
[14/10/2020] - Pesquisadora: boi ajuda a conter incêndios
[14/10/2020] - Setor de serviços segue em recuperação
[13/10/2020] - Arroba: boi volta a subir em Mato Grosso
[13/10/2020] - Carne sobe no atacado em SP
[13/10/2020] - Pecuária lidera alta no PIB do Agro de Mato Grosso
[13/10/2020] - Justiça manda JBS testar funcionários no RS
[13/10/2020] - Como refrescar o gado durante o calor intenso?

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br