Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
291,00 269,00 290,00
GO MT RJ
286,00 277,00 271,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2290,00
Garrote 18m 2730,00
Boi Magro 30m 3510,00
Bezerra 12m 2060,00
Novilha 18m 2530,00
Vaca Boiadeira 2740,00

Atualizado em: 25/1/2021 10:39

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Confinamento deve cair 16% em Mato Grosso

 
 
 
Publicado em 20/05/2020

As incertezas que atingem os mercados nacional e mundial estão sendo decisivas para o planejamento do confinamento de bovinos em Mato Grosso para 2020. A desconfiança começa a ganhar forma dentro da primeira estimativa realizada, em abril, pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) e aponta para queda inicial de 16,45% no volume de animais que deverão deixar os pastos para serem terminados (engordados) em cochos, onde recebem alimentação suplementar.

Se os dados se confirmarem ao longo deste primeiro semestre, cerca de 577,55 mil bovinos serão confinados, o que revela perdas em quantidade de animais na comparação com abril de 2019. Ampliando a comparação, a retração na oferta pode se aproximar de 30%, em relação ao número efetivo de outubro do ano passado, quando o rebanho de bovinos confinados somou 824,22 cabeças.

O cenário percebido nesse primeiro levantamento é de bastante apreensão por parte dos pecuaristas para essa modalidade da atividade. Além da pandemia do novo coronavírus e dos rumos dos preços da arroba do boi gordo – preocupações que mais ameaçam a tomada de decisão do confinador – existem ainda ansiedade em relação aos valores dos insumos – especialmente do milho -, das cotações dos animais de reposição, que serão as cabeças a serem confinadas, e especialmente, sobre o apetite do mercado interno e externo. Os analistas destacam que se essas variantes de fato impactaram na decisão do confinador, a redução de um ano ao outro no rebanho, de 29,93%, será a maior desde 2013. “Se confirmado, teremos a maior variação de um ano para outro da intenção de não confinar”, alertam.

Além da menor intenção em confinar, a sondagem do Imea se deparou com um dado que pode mudar consolidação da modalidade este ano no Estado: do montante total de animais que serão confinados, há ainda um total de 251.799 bovinos para serem adquiridos pelos confinadores. Cerca da metade do rebanho estimado ainda não está nas mãos do pecuarista e por isso, mais sujeito às variantes do mercado, o que aumenta a chance da quantidade final de confinados ser ainda menor que o previsto nesse primeiro levantamento.

“Com isso, a maior parte da entrega de animais, até agora, está concentrada no primeiro semestre, movimento incomum historicamente. Porém, a volatilidade dos preços e os altos custos de produção estão pesando mais na balança. • Toda esta conjuntura, inclusive, deixou os produtores mais cautelosos e 31,71% dos entrevistados não irão confinar este ano e ainda 14,63% seguem sem previsão. Vale destacar que quatro propriedades que faziam parte do levantamento destruíram a estrutura de confinamento, o que, por sua vez, corroborou com a queda na capacidade estática do Estado”, informam os analistas.

Os analistas destacam ainda que por outro lado, esta instabilidade sobre o confinamento e o mercado em geral, incentivou mais produtores utilizarem proteção de preços e menos contratos a termo no mercado físico.

Na segunda semana de maio, mesmo com a arroba em relativa estabilidade, os preços no mercado de reposição não pararam de subir em Mato Grosso. “Diante disso, este cenário pode estar atrelado a menor oferta de animais, configurado pelo atual momento do ciclo pecuário. Assim, a relação de troca do produtor tem diminuído e desencorajado o confinamento em 2020, pois, além do maior custo com aquisição de animais, as cotações de milho estão em altos patamares e a pandemia tem desaquecido a demanda interna”, reiteram os analistas do Imea.

Apesar diferencial interno, as exportações seguem em bom ritmo e àqueles que possuem animais padrão ‘China e Europa’ ainda têm conseguido negócios bem acima da referência estadual.

Com a aproximação da seca, a oferta de gado tem aumentado, resultando em uma leve queda nas cotações do boi e da vaca gorda. As variações semanais foram -0,24% e -0,09%, respectivamente.

A pesquisa contou com a participação de 123 pessoas (dentre elas técnicos, gerentes e/ou proprietários), de uma base total do Imea de 173 unidades de confinamento, representando 71,10% da amostra. A maior parcela dos entrevistados (53,66%) afirmou que apresentam intenção de confinar em 2020. “Mais de 14% ainda não têm previsão de confinar e 31,7% não irão confinar. Mesmo que seja comum um maior receio no início do ano, este é o pior cenário desde 2013, pois de abril de 2019 para abril 2020 subiu 18,2 p.p., ou 1,3 vez a quantidade de produtores que não irão confinar”.Com informações do Diário de Cuiabá.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[22/01/2021] - Arroba do boi volta a bater recorde de preço
[22/01/2021] - Pecuaristas atentos à manobra dos frigoríficos
[22/01/2021] - China tem foco de Covid em frigorífico
[22/01/2021] - Veja como as ONGs trabalham contra o Brasil
[22/01/2021] - PIB do Agro cresceu 16,81% até outubro de 2020
[22/01/2021] - Indonésia importará boi em pé e carne bovina
[22/01/2021] - JBS EUA vai pagar para funcionário tomar a vacina

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[21/01/2021] - JBS vai mesmo processar os irmãos Batista
[21/01/2021] - Arroba: boi já volta ao patamar de R$ 300
[21/01/2021] - CEPEA: arroba tem a maior alta da história
[21/01/2021] - China: peste suína volta a aparecer
[21/01/2021] - Leite: cooperativas sofrerão com alta do ICMS
[21/01/2021] - Bolsonaro é contra venda de terra a estrangeiro
[20/01/2021] - Arroba: frigoríficos começam a dar férias
[20/01/2021] - A disparada do boi em Mato Grosso do Sul
[20/01/2021] - China reabilita unidades da JBS
[20/01/2021] - Entidade descarta greve dos caminhoneiros
[20/01/2021] - Milho: alta de preço não tem fim
[19/01/2021] - Arroba começou a semana estável em SP
[19/01/2021] - Boi está em alta em Goiás
[19/01/2021] - Exportações perderam força na última semana
[19/01/2021] - Leite: preços devem ficar firmes, segundo o CEPEA
[19/01/2021] - ANTT publica tabela com fretes mais caros
[19/01/2021] - Atacado continua puxando índice de inflação
[19/01/2021] - Quadrilha simulava compra de gado em Goiás
[18/01/2021] - Governo de SP decide taxar leite pasteurizado
[18/01/2021] - Leite: aumento do ICMS pode fechar fazendas
[18/01/2021] - Arroba: movimento de alta continua
[18/01/2021] - Carne sobe no atacado
[18/01/2021] - Milho: preços em disparada preocupam
[18/01/2021] - China ainda tenta recuperar produção de carne
[18/01/2021] - JBS vai antecipar pagamento de dívida
[18/01/2021] - Polícia recupera gado roubado em MG
[15/01/2021] - Arroba: frigoríficos seguem oferecendo mais
[15/01/2021] - Greve dos caminhoneiros: se ocorrer será pontual
[15/01/2021] - IGP-10 recua com queda de preços ao consumidor
[15/01/2021] - Doria cumpre parcialmente acordo com produtores
[15/01/2021] - Marfrig emite dívida ao menor juro de sua história
[14/01/2021] - Arroba: frigoríficos voltaram a pagar R$ 290
[14/01/2021] - CEPEA: boi já recuperou queda de dezembro
[14/01/2021] - China importou quase 10 milhões de t de carne
[14/01/2021] - Leite subiu mas não melhorou situação do produtor
[14/01/2021] - Caminhoneiros ameaçam Bolsonaro
[14/01/2021] - Doria ainda não mandou publicar redução do ICMS
[14/01/2021] - Secretário promete que redução de ICMS vai sair
[14/01/2021] - Pagamento por serviços ambientais vira lei
[13/01/2021] - BNDES desiste de vender ações da JBS
[13/01/2021] - Safras: alta do boi é muito agressiva
[13/01/2021] - Arroba: frigoríficos pagam até R$ 11 a mais
[13/01/2021] - Analista prevê boi firme até março
[13/01/2021] - Milho: EUA esperam safra menor no Brasil
[12/01/2021] - Exportações de carne começaram o ano em forte alta
[12/01/2021] - Agro: exportações dispararam em janeiro
[12/01/2021] - Exportações do Agro passaram de US$ 100 bi
[12/01/2021] - Arroba: frigoríficos estão precisando de boi
[12/01/2021] - Arroba: boi dispara também em Goiás
[12/01/2021] - Pecuaristas de MT estão otimistas

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br