Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
217,00 202,00 210,00
GO MT RJ
205,00 190,00 200,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 2010,00
Garrote 18m 2310,00
Boi Magro 30m 2780,00
Bezerra 12m 1402,00
Novilha 18m 1680,00
Vaca Boiadeira 2090,00

Atualizado em: 6/7/2020 11:04

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

EDITORIAL: Vender na baixa para comprar na alta?

 
 
 
Publicado em 09/11/2007

Adriano Garcia
Editor do Pecuária.com.br

Falta visão de longo prazo. Esta é uma constatação fácil de se chegar baseado no que vimos nos últimos anos. O pânico tomou conta do mercado após a crise da aftosa de 2005: produtores liqüidando rebanho por qualquer preço, genética apurada após anos de trabalho sendo vendida a preços baixíssimos, como se o apocalipse estivesse aí, logo após a porteira. Muitos reaplicaram suas economias, transformadas em dinheiro vivo após a venda do rebanho, na nova (e literal) salvação da lavoura: a cana-de-açúcar. Como sempre ocorre nestes casos, a maioria perdeu (e perderá) dinheiro novamente.

O Brasil há alguns anos tem mudado. A estabilização da economia acabou com a necessidade de urgência que existia no passado. Hoje não há mais emergência na preservação do valor do dinheiro, a inflação está em níveis razoáveis, porém ainda há um longo caminho para que possamos falar o mesmo das taxas de juros. O agronegócio é uma atividade por si só cíclica, com altas e baixas que ocorrem ao longo do tempo, o que demanda planejamento de longo prazo. Casos imprevistos, como a crise da aftosa, não estão nem estiveram no horizonte de ninguém, embora a inoperância do Estado no Brasil não seja nenhuma surpresa. O empresário rural que pretende lucrar sempre em sua atividade deve levar em consideração este fator, preparando adequadamente seu negócio para o ciclo de baixa durante o ciclo de alta.

Quem não se lembra da "exuberância" do mercado de touros e doadoras nos anos de 2004-2005? Muita gente entrou no mercado naquela época, pagando por animais PO preços que até hoje estão altos demais para a realidade. Muitos destes são os mesmos que, durante a crise de 2005-2006-2007, venderam seu rebanho a qualquer preço para entrar na cana-de-açúcar. Reclamando do monopólio dos frigoríficos, fecharam contratos de exclusividade com usinas de açúcar, saindo de um mercado concentrado para cair em outro. A mesma abundância de matéria-prima para pouco comprador que existia há um ou dois anos no boi (e passa, agora, por uma reversão de tendência) passará a ocorrer na cana, trazendo novos e renovados prejuízos para quem mudou completamente de ramo e o culpado será o agronegócio.

Diversificação e perseverança são as palavras-chave para a solução. Para aqueles que receiam os ciclos de baixa, uma associação de diversas atividades na mesma propriedade pode ser a solução ideal. Para outros, que não dispõem de área suficiente ou capital para trabalhar mais de uma atividade, a receita é paciência. Antes agüentar um ou dois anos de baixa para recuperação do que fazer investimentos pesados para retreinamento de pessoal, compra de equipamentos e mudança de toda a atividade de fazenda, para, depois, descobrir que vendeu na baixa para comprar na alta. De novo.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[06/07/2020] - China suspende importações de mais duas unidades
[06/07/2020] - Justiça permite que JBS reabra unidade
[06/07/2020] - Tereza Cristina fala sobre o embargo chinês
[06/07/2020] - Abrafrigo confirma recorde na exportação de carne
[06/07/2020] - Arroba; mercado firme para o boi
[06/07/2020] - Reabertura de restaurantes pode puxar preço do boi
[06/07/2020] - Varejo segue repassando alta do boi para a carne
[06/07/2020] - Milho chega perto de R$ 50 a saca

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[03/07/2020] - Um alerta urgente para toda a Pecuária Brasileira
[03/07/2020] - Qual será o real impacto do embargo chinês aqui?
[03/07/2020] - Arroba: frigoríficos precisam comprar boi
[03/07/2020] - Arroba do boi já chegou a R$ 214 em MG
[03/07/2020] - Preço do boi disparou também no Rio Grande do Sul
[03/07/2020] - Expointer 2020 é oficialmente cancelada
[02/07/2020] - Exportações de carne bateram recorde em junho
[02/07/2020] - Dependência da China preocupa produtores do Sul
[02/07/2020] - Tereza conversa com chineses sobre embargo
[02/07/2020] - Quais foram os frigoríficos liberados pelo México?
[02/07/2020] - Arroba: disputa pelo boi está cada vez maior
[02/07/2020] - Margem dos frigoríficos está menor
[02/07/2020] - A grande vitória do Brasil na pandemia
[02/07/2020] - Dólar trava queda no preço do milho
[02/07/2020] - Acordo com a UE deve sair, apesar de Macron
[02/07/2020] - Ataques destroem propriedades rurais na Argentina
[01/07/2020] - China pode suspender mais frigoríficos brasileiros
[01/07/2020] - Ação da China vai derrubar o preço do boi?
[01/07/2020] - Boi sobe com liberação de frigoríficos pelo México
[01/07/2020] - Arroba: sem chance de queda?
[01/07/2020] - Pecuaristas goianos estão segurando a venda de boi
[01/07/2020] - Varejo repassa alta do boi para carne
[01/07/2020] - Leite: preço dispara com oferta menor
[01/07/2020] - Para onde vai o preço do milho?
[01/07/2020] - EUA: exportações de carne a Hong Kong devem cair
[01/07/2020] - MAPA terá sistema de registro de máquina agrícola
[30/06/2020] - China suspende mais três frigoríficos brasileiros
[30/06/2020] - Por que a China está embargando frigoríficos?
[30/06/2020] - China também pode liberar novas unidades
[30/06/2020] - China também suspendeu frigoríficos holandeses
[30/06/2020] - Arroba: frigoríficos disputam boi em São Paulo
[30/06/2020] - Frigoríficos aceleraram abates em Mato Grosso
[30/06/2020] - Reposição subiu mais de 10% no Paraná
[29/06/2020] - Unidade da JBS é proibida de exportar à China
[29/06/2020] - Exportadores dos EUA desistem de vender à China
[29/06/2020] - Arroba dispara com disputa entre os frigoríficos
[29/06/2020] - Reabertura do comércio em SP pode puxar mais o boi
[29/06/2020] - Alta da arroba já chegou ao preço da carne?
[29/06/2020] - Marfrig e Minerva disputam mercado no Paraguai
[29/06/2020] - Marfrig contrata empréstimo de US$ 500 milhões
[29/06/2020] - Argentina tenta controlar nuvem de gafanhotos
[26/06/2020] - Consultoria prevê disparada da arroba do boi
[26/06/2020] - Arroba do boi já deixa pra trás os R$ 215
[26/06/2020] - Justiça interdita unidade da JBS novamente
[26/06/2020] - Sem acordo, outra unidade da JBS ficará fechada
[26/06/2020] - Alta na reposição dão tem data para acabar
[26/06/2020] - Brasil decreta emergência por nuvem de gafanhotos
[26/06/2020] - Foco de raiva é motivo de alerta aos pecuaristas
[25/06/2020] - Pecuária brasileira depende perigosamente da China
[25/06/2020] - Boi pronto está em falta no mercado

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br