Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
197,00 176,00 188,00
GO MT RJ
181,00 179,00 181,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1870,00
Garrote 18m 2100,00
Boi Magro 30m 2700,00
Bezerra 12m 1270,00
Novilha 18m 1580,00
Vaca Boiadeira 1860,00

Atualizado em: 7/4/2020 10:49

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

MAPA e produtores ampliam trabalho na China

 
 
 
Publicado em 11/02/2020

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, buscou na iniciativa privada a comandante da nova unidade especial que cuidará das relações com a China, principal destino das exportações brasileiras do agronegócio. Ex-diretora da consultoria de investimentos Vallya e com mestrado em Estudos Contemporâneos da China pela Universidade de Renmin, Larissa Wachholz morou em Pequim por cinco anos e fala mandarim. Em dezembro, ela aceitou o convite de Tereza Cristina para assumir o “Núcleo China”, ligado diretamente a seu gabinete.

A criação da unidade estratégica foi uma surpresa até para quem trabalha na área internacional do ministério. A ideia partiu da ministra, que não contou a novidade para ninguém antes de anunciá-la em encontro com ministros chineses em outubro de 2019, durante visita ao país.

Para o longo prazo, Larissa Wachholz estabeleceu quatro áreas prioritárias de atuação: abertura comercial, atração de investimentos, central de informações e ações de inovação e sustentabilidade. Mas a agenda emergencial não escapa do radar. Um dos desafios imediatos tem sido monitorar os efeitos do coronavírus e da trégua comercial Estados Unidos-China sobre as exportações agrícolas brasileiras. No caso do cessar-fogo entre Washington e Pequim, ela conta ter recebido uma mensagem tranquilizadora das autoridades chinesas. “Elas têm nos dito que vão operar de acordo com regras de mercado.”

Em bom português: mesmo diante dos compromissos assumidos de aumentar as compras de produtos agrícolas americanos, a China prometeu ao Brasil manter suas escolhas de fornecedores com base em preço, não em questões políticas. “Mas temos avaliado o assunto com lupa”, diz Larissa. Apesar disso, ela constata que haverá redução nos embarques brasileiros de soja à China, que terão de ser redirecionados a outros mercados.

Destino de mais de um terço das exportações agrícolas brasileiras – US$ 31 bilhões em compras em 2019 -, a China é o principal parceiro comercial do Brasil, mas a pauta setorial de exportações é baseada em soja e carnes. Uma das metas do novo núcleo é promover a diversificação do comércio com a abertura para novos produtos, como frutas. O movimento pode estabilizar os fluxos comerciais e diminuir “solavancos” do mercado mundial.

O desafio também é entender melhor as complexidades do maior comprador dos produtos agrícolas nacionais e identificar oportunidades. Larissa avalia, por exemplo, que os chineses confiam na qualidade do alimento brasileiro, mas estão cada vez mais atentos aos debates sobre sustentabilidade. “É uma preocupação que tende a crescer e a gente quer mostrar a sustentabilidade do agro brasileiro e dar ao consumidor chinês esse conforto”.

O núcleo também quer atrair investimentos de empresas chinesas para o Brasil, tanto na área de logística como na de construção de ferrovias e rodovias para ajudar no escoamento das exportações. Atrair aportes em indústrias de processamento de alimentos também está nos planos. Seria uma forma de elevar o valor agregado das exportações – vender farelo em vez de soja em grão, café torrado e moído no lugar de café verde, cortes de carne no lugar do produto in natura.

O setor produtivo fez o caminho inverso para se aproximar mais da China. Em janeiro, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) abriu um escritório de negócios em Xangai. A entidade contratou uma consultora chinesa, fluente em português e que já morou no Brasil, para representar os produtores brasileiros, mapear oportunidades comerciais e prospectar mais abertura de mercados.

“Comércio é olho no olho, precisa ter confiança”, diz Lígia Dutra, superintendente de Relações Internacionais da CNA. A entidade quer impulsionar cinco segmentos: lácteos, mel, fresh (hortaliças, frutas e flores), cafés especiais e aquicultura. Outra unidade deve ser aberta na Ásia, em um país a definir, em 2021. “Precisamos da China para fazer negócio hoje”, disse. Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[07/04/2020] - Qual a estratégia dos frigoríficos?
[07/04/2020] - China pode segurar compras de carne brasileira
[07/04/2020] - Mato Grosso: seis frigoríficos fechados
[07/04/2020] - Coronavírus fecha três frigoríficos nos EUA
[07/04/2020] - Arroba: pressão de baixa aumentou
[07/04/2020] - Frigoríficos exportadores estão pagando mais
[07/04/2020] - Mercado da carne vive indefinição
[07/04/2020] - Desesperados, produtores de leite desabafam
[07/04/2020] - Megaleite é cancelada
[07/04/2020] - Dólar abre a terça em forte queda

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[06/04/2020] - Frigoríficos seguram as compras
[06/04/2020] - O que o pecuarista deve fazer agora?
[06/04/2020] - Atacado da carne segue devagar
[06/04/2020] - China vai habilitar novos frigoríficos
[06/04/2020] - Para onde vai o mercado do leite?
[06/04/2020] - Leite: custo de produção segue em alta
[06/04/2020] - Preço do milho segue batendo recordes
[06/04/2020] - Venda de máquinas agrícolas: alta de 10%
[06/04/2020] - Crédito rural disparou em março
[03/04/2020] - Arroba: frigoríficos acham boi e seguram compras
[03/04/2020] - O boi vai cair mesmo em abril?
[03/04/2020] - Exportações de carne bovina bateram recorde
[03/04/2020] - JBS anuncia a contratação de 3 mil funcionários
[03/04/2020] - Milho passa de R$ 60 a saca
[03/04/2020] - China importa suínos por avião
[03/04/2020] - Bolsonaro pode determinar volta ao trabalho
[02/04/2020] - Exportações de carne cresceram com força em março
[02/04/2020] - Alta do boi vai continuar?
[02/04/2020] - Mercado do boi está instável
[02/04/2020] - Custo de produção do leite continua subindo
[02/04/2020] - MAPA diz que abastecimento está tranquilo
[02/04/2020] - Bolsonaro quer reunião para retorno às atividades
[02/04/2020] - Dólar perde força após atuação do BC
[02/04/2020] - MP corta contribuição de produtores ao Senar
[01/04/2020] - Governo estuda pacote bilionário para o agro
[01/04/2020] - Arroba: compras da China trazem firmeza ao mercado
[01/04/2020] - Abates tiveram forte queda em março
[01/04/2020] - Boi magro dispara no Paraná
[01/04/2020] - Supermercados e indústrias travam guerra por preço
[01/04/2020] - Leite: MAPA muda normas para beneficiar pequenos
[01/04/2020] - MAPA vai monitorar abastecimento no País
[01/04/2020] - Aftosa: parte de MT interromperá vacinação
[01/04/2020] - Governo argentino quer intervir no preço da carne
[31/03/2020] - Brasil faz a maior exportação de bois da história
[31/03/2020] - Arroba: preço do boi está subindo
[31/03/2020] - Já tem frigorífico pagando R$ 205 pela arroba
[31/03/2020] - A demanda da China vai puxar o preço do boi?
[31/03/2020] - China: habilitação de novas unidades travou
[31/03/2020] - A quarentena afetou o preço da carne bovina?
[31/03/2020] - Leite: preço ao produtor subiu
[31/03/2020] - Supermercados se queixam de forte alta do leite
[31/03/2020] - Consumo de queijo desaba com coronavírus
[31/03/2020] - Milho sobe quase 4% em Mato Grosso
[31/03/2020] - Dólar volta a bater os R$ 5,20
[31/03/2020] - Como prevenir o coronavirus em propriedades rurais
[31/03/2020] - PGR pede liberação das estradas
[30/03/2020] - Exportações à China voltaram a ganhar força
[30/03/2020] - Arroba: pressão dos frigoríficos não funcionou
[30/03/2020] - Carne: consumidor muda e mercado tenta se adaptar
[30/03/2020] - Milho: vendedores esperam que preços subam mais

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br