Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
197,00 176,00 188,00
GO MT RJ
181,00 179,00 181,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1870,00
Garrote 18m 2100,00
Boi Magro 30m 2700,00
Bezerra 12m 1270,00
Novilha 18m 1580,00
Vaca Boiadeira 1860,00

Atualizado em: 7/4/2020 10:49

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Minerva quer voltar a distribuir lucro

 
 
 
Publicado em 17/01/2020

Na Minerva Foods, maior exportadora de carne bovina da América do Sul, o tempo dos dividendos está mais próximo. Após uma década de crescimento sustentado por dívidas - remunerando os credores, sobretudo internacionais -, a empresa fará uma oferta de ações de R$ 1,4 bilhão. A ideia é que, com os recursos da emissão, o grupo reduza a dívida, o que poderá viabilizar a distribuição de dividendos já em 2020, apurou o Valor. Procurada, a empresa não quis comentar.

Com o patrimônio líquido negativo em R$ 767 milhões - as obrigações superam o valor dos ativos -, a Minerva distribuiu dividendos pela última vez em abril de 2017. Foram R$ 60,1 milhões, referentes ao resultado do ano anterior. De lá para cá, a empresa só teve prejuízos, relacionados ao maior endividamento para adquirir frigoríficos na América do Sul e também pelo impacto da apreciação do dólar sobre o valor em reais da dívida em moeda estrangeira. Entre janeiro e setembro de 2019, a Minerva acumulou prejuízo de R$ 227 milhões.

A expectativa, porém, é que esse cenário se altere com a captação. Do total de R$ 1,4 bilhão da oferta de ações, R$ 1,1 bilhão reforçará o caixa da companhia. O restante ficará com os Vilela de Queiroz, que venderão 15 milhões de ações. A oferta total é de 95 milhões de ações (80 milhões de novos papéis serão emitidos). A previsão é que a operação seja concluída até o começo de fevereiro.

A oferta de ações, comunicada no fim da noite de quarta-feira, enterra de vez o projeto de abrir o capital da subsidiária Athena Foods, que reúne os negócios da Minerva fora do Brasil, na bolsa de Santiago, no Chile. Essa operação, que injetaria mais de R$ 1 bilhão no caixa da empresa, já estava na berlinda.

Em maio do ano passado, o IPO da Athena foi adiado em razão das condições adversas do mercado e, no fim do ano, a crise política no Chile e a eleição de Alberto Fernandez à presidência da Argentina azedaram o humor dos investidores. O país do Mercosul responde por um terço das vendas da Athena. Como um todo, a Minerva fatura R$ 18 bilhões ao ano - desse total, a subsidiária responde por cerca de 40%.

Ao emitir novas ações no Brasil, a Minerva contorna a inviabilidade do IPO no Chile e, de quebra, ampliará a liquidez dos papéis na B3, tendo em vista que a família Vilela de Queiroz, que controla a companhia, venderá parte de suas ações na oferta (ver mais em Ajustes na hoding dos Vilela de Queiroz). Como o interesse dos investidores na Minerva já vinha aumentando - na esteira das mudanças provocadas pela peste suína africana na China -, fontes próximas à empresa creem que o grupo poderá ingressar no Ibovespa em maio, quando a composição do índice será atualizada.

Entre os investidores, a oferta de ações da Minerva foi bem recebida, a despeito da diluição que a operação pode provocar. Na B3, as ações da empresa subiram 4,1% ontem, a R$ 14,99. Nos últimos doze meses, o papel subiu 176%. Nesse período, o valor de mercado da Minerva na bolsa passou de R$ 2 bilhões para R$ 6 bilhões. O volume de negócios com as ações também aumentou, passando de uma média diária de R$ 11 milhões para R$ 29 milhões. Ontem, o volume ficou acima da média, perto de R$ 124 milhões.

Se tudo correr como o planejado, a Minerva reduzirá o índice de endividamento rapidamente. Em setembro, a relação entre a dívida líquida e o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) estava em 3,8 vezes. Somado à geração de caixa, o montante que será levantado com a oferta de ações (R$ 1,1 bilhão) permitirá reduzir o índice a menos de 3 vezes.

Além disso, a companhia tem um aumento de capital da ordem de R$ 800 milhões já contratado, o que levaria o índice de alavancagem para um patamar confortável, perto de 2 vezes, estimou uma fonte. Esse montante adicional, que entrará no caixa da Minerva até 2021, é reflexo do bônus de subscrição dado aos acionistas que participaram da capitalização feita no fim de 2018, quando o endividamento havia disparado e o grupo teve de recorrer ao sócios - notadamente a gestora saudita Salic e os Vilela de Queiroz - para arrumar as contas.

Desde então, a situação operacional melhorou na maior parte dos países onde a Minerva produz carne bovina - o Uruguai é a exceção, devido aos preços elevados do gado. Com o ritmo acelerado das exportações de carne do Brasil e também da Argentina, a Minerva vem gerando caixa, mas o peso das dívidas ainda a impedia de remunerar o acionista, um incômodo prestes a terminar. Com informações do Valor.
 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[07/04/2020] - Qual a estratégia dos frigoríficos?
[07/04/2020] - China pode segurar compras de carne brasileira
[07/04/2020] - Mato Grosso: seis frigoríficos fechados
[07/04/2020] - Coronavírus fecha três frigoríficos nos EUA
[07/04/2020] - Arroba: pressão de baixa aumentou
[07/04/2020] - Frigoríficos exportadores estão pagando mais
[07/04/2020] - Mercado da carne vive indefinição
[07/04/2020] - Desesperados, produtores de leite desabafam
[07/04/2020] - Megaleite é cancelada
[07/04/2020] - Dólar abre a terça em forte queda

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[06/04/2020] - Frigoríficos seguram as compras
[06/04/2020] - O que o pecuarista deve fazer agora?
[06/04/2020] - Atacado da carne segue devagar
[06/04/2020] - China vai habilitar novos frigoríficos
[06/04/2020] - Para onde vai o mercado do leite?
[06/04/2020] - Leite: custo de produção segue em alta
[06/04/2020] - Preço do milho segue batendo recordes
[06/04/2020] - Venda de máquinas agrícolas: alta de 10%
[06/04/2020] - Crédito rural disparou em março
[03/04/2020] - Arroba: frigoríficos acham boi e seguram compras
[03/04/2020] - O boi vai cair mesmo em abril?
[03/04/2020] - Exportações de carne bovina bateram recorde
[03/04/2020] - JBS anuncia a contratação de 3 mil funcionários
[03/04/2020] - Milho passa de R$ 60 a saca
[03/04/2020] - China importa suínos por avião
[03/04/2020] - Bolsonaro pode determinar volta ao trabalho
[02/04/2020] - Exportações de carne cresceram com força em março
[02/04/2020] - Alta do boi vai continuar?
[02/04/2020] - Mercado do boi está instável
[02/04/2020] - Custo de produção do leite continua subindo
[02/04/2020] - MAPA diz que abastecimento está tranquilo
[02/04/2020] - Bolsonaro quer reunião para retorno às atividades
[02/04/2020] - Dólar perde força após atuação do BC
[02/04/2020] - MP corta contribuição de produtores ao Senar
[01/04/2020] - Governo estuda pacote bilionário para o agro
[01/04/2020] - Arroba: compras da China trazem firmeza ao mercado
[01/04/2020] - Abates tiveram forte queda em março
[01/04/2020] - Boi magro dispara no Paraná
[01/04/2020] - Supermercados e indústrias travam guerra por preço
[01/04/2020] - Leite: MAPA muda normas para beneficiar pequenos
[01/04/2020] - MAPA vai monitorar abastecimento no País
[01/04/2020] - Aftosa: parte de MT interromperá vacinação
[01/04/2020] - Governo argentino quer intervir no preço da carne
[31/03/2020] - Brasil faz a maior exportação de bois da história
[31/03/2020] - Arroba: preço do boi está subindo
[31/03/2020] - Já tem frigorífico pagando R$ 205 pela arroba
[31/03/2020] - A demanda da China vai puxar o preço do boi?
[31/03/2020] - China: habilitação de novas unidades travou
[31/03/2020] - A quarentena afetou o preço da carne bovina?
[31/03/2020] - Leite: preço ao produtor subiu
[31/03/2020] - Supermercados se queixam de forte alta do leite
[31/03/2020] - Consumo de queijo desaba com coronavírus
[31/03/2020] - Milho sobe quase 4% em Mato Grosso
[31/03/2020] - Dólar volta a bater os R$ 5,20
[31/03/2020] - Como prevenir o coronavirus em propriedades rurais
[31/03/2020] - PGR pede liberação das estradas
[30/03/2020] - Exportações à China voltaram a ganhar força
[30/03/2020] - Arroba: pressão dos frigoríficos não funcionou
[30/03/2020] - Carne: consumidor muda e mercado tenta se adaptar
[30/03/2020] - Milho: vendedores esperam que preços subam mais

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br