Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
200,00 185,00 193,00
GO MT RJ
190,00 188,00 181,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1830,00
Garrote 18m 2170,00
Boi Magro 30m 2690,00
Bezerra 12m 1370,00
Novilha 18m 1620,00
Vaca Boiadeira 1850,00

Atualizado em: 19/2/2020 09:56

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Carne ajuda e inflação tem menor nível em 26 anos

 
 
 
Publicado em 07/02/2020

A inflação oficial brasileira começou o ano sob menor pressão dos preços das carnes e arrefeceu mais do que o esperado em janeiro, registrando a taxa mais baixa para o mês em 26 anos.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) desacelerou a alta a 0,21% em janeiro, de 1,15% em dezembro, de acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esse é o menor nível para o mês de janeiro desde o início do Plano Real, em 1994.

Com isso, o acumulado em 12 meses até janeiro para o IPCA passou a 4,19%, pouco acima do centro da meta de inflação para este ano de 4%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Em 2019, o IPCA acumulou avanço de 4,31%, terminando acima do centro da meta oficial, porém dentro do limite pelo quarto ano seguido.

"Foi uma taxa abaixo da média para janeiro e o que se vê é um ajuste em uma taxa que subiu muito em dezembro por conta da pressão das carnes. Parte dessa alta foi devolvida agora", explicou Pedro Kislanov, o gerente da pesquisa do IBGE.

"O choque de oferta de dezembro passou e trouxe para baixo o grupo alimentação, um dos principais do IPCA", completou.

Ambos os resultados ficaram abaixo das expectativas em pesquisa da Reuters com analistas que apontavam alta de 0,34% em janeiro, acumulando em 12 meses avanço de 4,32%.

Em janeiro o destaque ficou para a queda dos preços das carnes de 4,03%, após alta de 18,06% em dezembro, registrando o impacto negativo mais intenso sobre o índice do mês (-0,11 ponto).

Com isso, a alimentação no domicílio registrou alta de 0,20% no mês, de 4,69% em dezembro, levando a alta do grupo Alimentação e Bebidas a desacelerar para 0,39% em janeiro, de 3,38% um mês antes.

Três grupos registraram deflação no início do ano: Vestuário (-0,48%), Saúde e Cuidados Pessoais (-0,32%) e Artigos de Residência (-0,07).

Por outro lado, Habitação registrou o maior impacto no índice do mês e maior alta, de 0,55%, depois de recuo de 0,82% em dezembro. A pressão veio das altas de 1,39% nos preços de condomínio e de 0,61% do aluguel residencial.

"Não há sinais de pressão de demanda e de consumo, mesmo com mais gente entrando no mercado de trabalho. Estamos num contexto de recuperação gradual da economia", disse Kislanov.

Em meio às discussões sobre os cenários para a taxa básica de juros ao longo deste ano, na quarta-feira, o Banco Central reduziu a Selic em 0,25 ponto percentual, à nova mínima histórica de 4,25% ao ano, e indicou o fim do atual ciclo de cortes na taxa básica de juros, em meio à leitura de que os ajustes já feitos ainda vão surtir efeito na economia e com foco crescente nas expectativas de inflação para 2021.

No comunicado da decisão, o BC indicou que, considerando os juros constantes no mesmo patamar e o câmbio também constante em 4,25 reais, suas projeções de inflação estão em torno de 3,5% para o IPCA em 2020 e 3,8% para 2021.

"(O IPCA deu) algum alívio na percepção inflacionária mas com pouca expectativa baixista em taxas (de juros), especialmente após a clara sinalização de interrupção do ciclo de afrouxamento pelo Copom", disse em nota a equipe da Commcor. Com informações da Reuters.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[19/02/2020] - Carnaval pode puxar a demanda pelo boi
[19/02/2020] - Pecuarista segura as vendas esperando a alta
[19/02/2020] - Um estado onde o boi subiu mais de 10%
[19/02/2020] - Reposição: preços continuam subindo
[19/02/2020] - Qual o novo patamar para a arroba do boi?
[19/02/2020] - Minerva lucra com exportações à China
[19/02/2020] - JBS faz mais um investimento bilionário nos EUA
[19/02/2020] - Câmara aprova a MP do Agro
[19/02/2020] - Caminhoneiros param para pressionar o STF

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[18/02/2020] - Arroba: o Carnaval vai puxar as cotações?
[18/02/2020] - Boi: mercado está devagar. O que analistas dizem?
[18/02/2020] - Exportações devem cair em fevereiro. Por quê?
[18/02/2020] - Exportação de boi em pé caiu em janeiro
[18/02/2020] - Frigoríficos: disparada do boi não fazia sentido
[18/02/2020] - Marfrig dispara e lidera altas na bolsa
[18/02/2020] - China reduz impostos sobre a carne bovina dos EUA
[18/02/2020] - Contêineres de carne se acumulam na China
[18/02/2020] - Avanço do coronavírus tem queda
[18/02/2020] - Coronavírus: menos de 5% dos casos são graves
[18/02/2020] - IGP-M fica estável na segunda prévia de fevereiro
[18/02/2020] - Caminhoneiros querem paralisação nacional hoje
[18/02/2020] - CNA não crê em acordo com caminhoneiros
[18/02/2020] - Equipe econômica mantém previsão de alta do PIB
[17/02/2020] - Arroba: o que esperar desta semana?
[17/02/2020] - Vírus pode aumentar exportações de carne do Brasil
[17/02/2020] - China: controle do coronavírus começa a funcionar
[17/02/2020] - STJ nega sequestro milionário nas contas da JBS
[17/02/2020] - CNA prevê alta forte para a pecuária em 2020
[17/02/2020] - Alta do milho preocupa produtores de leite
[17/02/2020] - Preço do milho volta a subir
[17/02/2020] - UE faz campanha clara contra o Brasil, diz Tereza
[17/02/2020] - Produtores rurais argentinos planejam greve
[17/02/2020] - Caminhoneiros protestam no Porto de Santos
[14/02/2020] - Arroba do boi já bateu até R$ 210. Sobe mais?
[14/02/2020] - Arroba: frigoríficos compraram boi pro Carnaval
[14/02/2020] - Minerva aposta em forte alta nas exportações
[14/02/2020] - Mais um país abre mercado à carne do Brasil
[14/02/2020] - IBGE: desemprego caiu em 16 estados
[14/02/2020] - Prévia do PIB de 2019 decepciona
[14/02/2020] - Coronavírus pode adiar saída do BNDES da JBS
[14/02/2020] - Fux adia novamente julgamento da tabela de frete
[14/02/2020] - CNA: tabelamento de frete prejudica o setor
[13/02/2020] - Arroba do boi segue em ritmo de alta
[13/02/2020] - Exportações podem bater recorde em fevereiro
[13/02/2020] - Vendas à China seguiram fortes em janeiro
[13/02/2020] - Exportações de carne salvam balança do agro
[13/02/2020] - Província chinesa registra 242 mortes em um dia
[13/02/2020] - Por que os números do coronavírus subiram tanto?
[13/02/2020] - Coronavírus vai afetar economia do Brasil, diz BC
[13/02/2020] - Frigoríficos do MS esperam crescimento com China
[13/02/2020] - Abates recuaram no quarto trimestre de 2019
[13/02/2020] - Tabela de frete: governo pede adiamento ao STF
[12/02/2020] - Arroba: pecuarista segura o boi à espera da alta
[12/02/2020] - O preço da carne bovina vai subir?
[12/02/2020] - Preço do garrote subiu quase 50% no Tocantins
[12/02/2020] - Milho dispara e bate recorde de preço
[12/02/2020] - China diz que baterá metas econômicas em 2020
[12/02/2020] - Qual será o impacto econômico do coronavírus?
[12/02/2020] - Câmara aprova texto da MP do Crédito Rural

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br