Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
163,00 153,00 158,00
GO MT RJ
148,00 147,00 156,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1540,00
Garrote 18m 1850,00
Boi Magro 30m 2160,00
Bezerra 12m 1200,00
Novilha 18m 1410,00
Vaca Boiadeira 1540,00

Atualizado em: 23/10/2019 10:13

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Desespero toma conta de pecuaristas na China

 
 
 
Publicado em 03/10/2019

Questionado sobre a morte de milhares de porcos devido à peste suína africana, doença contagiosa que atingiu a China, o criador Sun Dawu suspira e garante que seu trabalho foi "totalmente destruído".

"É muito doloroso vê-los morrer. Enterramos todos os porcos mortos a cinco metros do chão", garante, em sua enorme fazenda da província de Hebei, nos arredores de Pequim, enquanto espanta as moscas em seu entorno.

O vírus, que não é perigoso para o homem, mas mortal para os porcos, chegou rapidamente a todas as regiões chinesas e provocou prejuízos econômicos significativos ao setor. Ele também fez o preço da carne, muito consumida na China, disparar.

Sun Dawu se sente impotente e frustrado pela atitude passiva das autoridades e, por isso, decidiu publicar fotos de seus porcos mortos nas redes sociais.

As imagens viralizaram e acabaram levando as autoridades locais a tomar ação.

Em toda a China, milhares de porcos foram sacrificados como medida de precaução. A população total desses animais caiu cerca de 40% em um ano, enquanto a escassez fez os preços aumentarem pelo menos 50%.

Mais de um ano depois da aparição da doença, no nordeste do país, os criadores ainda têm dúvidas se devem reconstituir suas reservas de animais.

No caso de Sun Dawu, seus porcos estão em bom estado de saúde, mas foram postos em quarentena, e ele não poderá vendê-los até a segunda metade de 2020 devido às restrições.

"Alguns criadores não se atrevem a declarar que seus animais estão doentes e continuam vendendo tranquilamente", lamenta Sun.

"Muitos porcos foram levados a frigoríficos ou transportados de caminhão para o sul e o oeste da China (...), fazendo com que a peste suína se espalhasse por todo o país", garante.

Oficialmente, mais de um milhão de animais morreram na China pela doença. Contudo, Dun Dawu, que perdeu oficialmente 15 mil cabeças, considera o dado inferior à realidade. Já o Ministério da Agricultura reconhece oficialmente apenas um caso, na província de Hebei.

Diante da confusão e da desconfiança sobre a veracidade dos dados oficiais, a maioria dos analistas acham que a crise do porco na China não acabou.

O país pode perder 200 milhões de animais, segundo um relatório do banco Rabobank.

Soma-se a esta crise sanitária a preocupação dos dirigentes do país, que temem uma agitação social.

"Historicamente, o aumento dos preços dos alimentos provoca manifestações nas cidades", aponta Victor Shih, da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos.

O governo pede para os cidadãos comerem menos carne, uma iniciativa que gerou piadas.

Além disso, a guerra comercial entre China e EUA há um ano e meio limita as importações de carne americana.

"O número de porcos em boa saúde continua diminuindo, e a China estará sob pressão para importá-los em massa do exterior, inclusive dos Estados Unidos", aponta Shih.

O governo chinês anunciou na semana passada aquisições "consideráveis" de carne de porco dos EUA, mas sem dar números.

O país teve que recorrer a 30.000 toneladas de carne congelada de suas reservas estratégicas. E as autoridades anunciaram que concederão subsídios de até 5 milhões de iuanes (US$ 697 mil) para estimular a produção de grandes criadores de gado.

Mas os trabalhadores com quem a AFP falou - relutantes em dar seu nome completo - são céticos.

"Perdi mais de 200.000 iuanes com o abate de mais de cem porcos", diz Zhang, criador de Hebei.

"Ninguém quer criar porcos, ninguém ousa criar porcos", diz outro fazendeiro nos arredores de Pequim. Com informações da AFP.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[23/10/2019] - Alta do boi deve continuar
[23/10/2019] - Exportações e entressafra estão puxando a arroba
[23/10/2019] - Arroba do boi continua em alta
[23/10/2019] - Carne sobe e reforça otimismo com o boi
[23/10/2019] - Quais negócios Bolsonaro planeja fechar na China?
[23/10/2019] - Polícia fecha frigorífico clandestino em fazenda
[23/10/2019] - CPI aprova relatório sem PT mas com JBS

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[23/10/2019] - Chineses compram frigorífico na Argentina
[22/10/2019] - Frigorífico é salvo por exportações à China
[22/10/2019] - Investidores otimistas com frigoríficos
[22/10/2019] - Exportações de carne caem, mas projetam recorde
[22/10/2019] - Carne sobe forte no atacado
[22/10/2019] - Arroba: confinamento não segura a alta do boi
[22/10/2019] - Mercado está otimista com o preço futuro do boi
[22/10/2019] - Está faltando boi no Mato Grosso
[22/10/2019] - CPI do BNDES pode ficar sem relatório final
[22/10/2019] - Preço do leite cai no RS
[22/10/2019] - Tereza chega à China para discutir exportações
[22/10/2019] - Aprovada renegociação de dívidas ruraiis
[21/10/2019] - Arroba: mercado vai para onde?
[21/10/2019] - Especulação no mercado de reposição
[21/10/2019] - Bolsonaro vai ao Oriente em busca de mercados
[21/10/2019] - JBS confirma que estuda venda de ações em NY
[21/10/2019] - Mercado reduz previsão de inflação
[21/10/2019] - Milho:preços sobem há 5 semanas
[21/10/2019] - Bolsonaro dá prazo para regularização ambiental
[18/10/2019] - O boi vai parar de subir?
[18/10/2019] - Arroba: boi segue em alta firme
[18/10/2019] - Americanos estimam que Brasil baterá recordes
[18/10/2019] - Como está o preço do boi em Santa Catarina?
[18/10/2019] - MP investigará incentivos dados à JBS
[18/10/2019] - CPI tentará aprovar relatório sem petistas
[18/10/2019] - Preço da uréia está menor em 2019
[18/10/2019] - Prioridade do Incra é a regularização de terras
[17/10/2019] - Arroba: boi sobe e frigoríficos oferecem mais
[17/10/2019] - CEPEA: boi e carne batem recordes de preço
[17/10/2019] - Preço do boi dispara também nos Estados Unidos
[17/10/2019] - Relator tira Lula e Dilma da CPI do BNDES
[17/10/2019] - Justiça absolve Temer em conversa com Joesley
[17/10/2019] - JBS prepara reestruturação
[17/10/2019] - Novo presidente do INCRA é pecuarista
[16/10/2019] - Mercado futuro já sinaliza arroba a R$ 170
[16/10/2019] - Estiagem prolongada preocupa pecuaristas no MS
[16/10/2019] - Qual a tendência para a arroba do boi?
[16/10/2019] - Reposição: oferta está curta em Goiás
[16/10/2019] - Varejo tenta puxar para cima o preço da carne
[16/10/2019] - BNDES: funcionários estariam travando venda da JBS
[16/10/2019] - Presidente da CPI do BNDES acusa Batistas e PT
[16/10/2019] - Bolsonaro tentará negociar acordo com o Japão
[16/10/2019] - O que muda com o fim da vacinação no Paraná?
[16/10/2019] - Milho está mais caro que em 2018
[16/10/2019] - Sérgio Moro atuará contra venda casada no crédito
[15/10/2019] - Exportações de carne bovina devem bater recorde
[15/10/2019] - China aumenta importação de carne bovina
[15/10/2019] - Arroba do boi volta a subir
[15/10/2019] - Arroba: diminui a diferença entre o MS e SP
[15/10/2019] - Preço da carne reage e sobe

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br