Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
163,00 153,00 158,00
GO MT RJ
148,00 147,00 156,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1540,00
Garrote 18m 1850,00
Boi Magro 30m 2160,00
Bezerra 12m 1200,00
Novilha 18m 1410,00
Vaca Boiadeira 1540,00

Atualizado em: 23/10/2019 10:13

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Governo anuncia MP para financiamento do Agro

 
 
 
Publicado em 02/10/2019

O governo apresentou na última segunda-feira (1º) uma Medida Provisória (MP) com uma série de medidas ligadas ao crédito e financiamento de dívidas de produtores rurais. É a MP do Agro. As iniciativas envolvem a ampliação do volume de créditos disponíveis para o agronegócio; facilitar os financiamentos por meio de um fundo solidário para a renegociação de dívidas e para construção de armazéns. Só com o fundo, a expectativa do governo é que haja um aporte inicial de R$ 5 bilhões.

De acordo com o secretário de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, a intenção do governo é expandir o financiamento por meio do mercado de capitais. Com a MP, o governo quer que outros agentes financeiros, além dos bancos, também possam financiar a produção. “Isso é um banho de financiamento”, disse Rodrigues durante coletiva.

Entre as medidas, a MP cria o chamado Fundo de Aval Fraterno (FAF) que permitirá aos produtores obter garantia solidária para renegociar eventuais dívidas de operações de crédito rural. Segundo o governo, a iniciativa visa reduzir a inadimplência por meio de uma espécie de credito, no qual a responsabilidade pelo pagamento é dividida entre os integrantes do fundo.

Esse fundo pode ser criado com a participação de dois a dez produtores. Cada produtor pode entrar com até 4% do financiamento total solicitado. Também podem participar credores e até instituições financeiras. A ideia é que o fundo sirva de garantia subsidiária para o pagamento da dívida, ou seja, depois que as garantias reais ou pessoais do devedor sejam acionadas.

Segundo o governo, a medida ajudaria a reduzir as taxas de juros dos empréstimos, uma vez que haveria certeza de pagamento no caso de inadimplência.

“Se participamos do mesmo FAF e você deixa de pagar, o fundo comum fica comprometido. A ideia é que é mais difícil você ficar inadimplente com o seu vizinho do que com o banco”, disse o subsecretário de Política Agrícola e Meio Ambiente da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, Rogério Boueri. “Temos a convicção de que os bancos vão olhar esses produtores com outros olhos”, acrescentou.

Outra medida que visa reduzir o custo dos empréstimos é voltada para grandes proprietários de terra e prevê que o produtor possa oferecer como garantia uma ou várias partes do imóvel. A proposta é reduzir a burocracia para realizar a operação.

“Se o produtor tem uma propriedade de R$ 10 milhões e quer dar a propriedade como garantia em um financiamento de R$ 500 mil, ele trava a propriedade. O que estamos propondo é que o produtor possa repartir essa propriedade”, disse Boueri.

Crédito com as CPRs

A MP também permite a utilização de diversos títulos agrícolas para expandir o financiamento do agronegócio. A ideia é buscar o dinheiro no mercado de capitais, usando entre outros títulos como a Cédula de Produto Rural (CPR).

Outro ponto é a subvenção (uma forma de ajuda) econômica para que empresas que produzem cereais possam financiar obras, adquirir máquinas e equipamentos necessários à construção de armazéns e a expandir a capacidade de armazenagem de grãos.

O Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Eduardo Sampaio, considerou a medida provisória um passo muito importante para incrementar o crédito privado para o agronegócio brasileiro. “A possibilidade de emissão do título em moeda estrangeira, associada a melhorias nas garantias e na transparência da CPR, devem carrear mais recursos externos para financiar as atividades dos agricultores e pecuaristas. Esperamos aumentar a oferta de financiamento privado a custos compatíveis para a atividade rural”, disse.

Segundo Sampaio, o crédito rural oficial "está ficando muito pequeno para a agricultura brasileira". "Precisamos do mercado de crédito privado para atender às necessidades do setor”, completou.

Fundo de Aval Fraterno

O principal objetivo do Fundo de Aval Fraterno é ampliar o acesso ao crédito rural. Com a criação do FAF, os produtores rurais terão acesso a garantias adicionais para quitar dívidas do crédito agrícola e reestruturar seus negócios. Para operacionalização do FAF, os produtores devem formar associações. O aval coletivo será dado pelos produtores associados, por integrantes da cadeia produtiva, como fornecedores de insumos e beneficiadores de produtos agropecuários, e pelas instituições financeiras.

Patrimônio de Afetação

A medida provisória permite que o produtor rural desmembre sua propriedade para dar como garantia em operações de crédito. Atualmente, o produtor precisa oferecer todo o imóvel como garantia, que, por vezes, vale mais que o valor do financiamento. O chamado patrimônio de afetação dará maior segurança ao sistema financeiro na concessão de crédito aos produtores rurais, ampliando o acesso aos recursos financeiros e permitindo melhor negociação do financiamento. São preservados os direitos de terceiros, a pequena propriedade rural, as áreas inferiores ao módulo rural e os bens de família.

Cédula Imobiliária Rural

Como desdobramento do patrimônio de afetação, é criada a Cédula Imobiliária Rural (CIR), que será emitida por proprietários de imóveis rurais e que poderá ser negociada no mercado de títulos e valores mobiliários. A CIR será registrada em entidade autorizada pelo Banco Central.

Cerealistas

A medida permite que empresas cerealistas tenham acesso a financiamentos para construção ou expansão de silos e armazéns por meio do Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA). Os recursos podem ser usados para financiar obras e comprar máquinas e equipamentos para construção. As operações serão feitas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) até 30 de junho de 2020, com taxas de juros subvencionadas pelo Tesouro Nacional. Até junho do ano que vem, serão disponibilizados R$ 200 milhões para financiamentos.

Equalização de taxas de juros

A MP abre a possibilidade de equalização de taxas de juros por todas as instituições financeiras que operam com crédito rural. Antes, era autorizada a bancos públicos federais, bancos cooperativos e confederações de cooperativas de crédito. A ideia é estimular a competitividade entre os agentes financeiros, redução de custos e taxas mais acessíveis para o produtor rural e melhor alocação dos recursos públicos.

CPR e títulos do agronegócio em moeda estrangeira

Por meio da medida provisória, a Cédula do Produto Rural (CPR) e os títulos do agronegócio poderão ser emitidos com cláusula prevendo que eles sejam referenciados em moeda estrangeira, como o dólar. O objetivo da mudança é aprimorar o mercado de crédito para melhor atender o produtor rural, dando mais flexibilidade de contratação, transparência e segurança jurídica. Com informações da Agência Brasil.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[23/10/2019] - Alta do boi deve continuar
[23/10/2019] - Exportações e entressafra estão puxando a arroba
[23/10/2019] - Arroba do boi continua em alta
[23/10/2019] - Carne sobe e reforça otimismo com o boi
[23/10/2019] - Quais negócios Bolsonaro planeja fechar na China?
[23/10/2019] - Polícia fecha frigorífico clandestino em fazenda
[23/10/2019] - CPI aprova relatório sem PT mas com JBS

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[23/10/2019] - Chineses compram frigorífico na Argentina
[22/10/2019] - Frigorífico é salvo por exportações à China
[22/10/2019] - Investidores otimistas com frigoríficos
[22/10/2019] - Exportações de carne caem, mas projetam recorde
[22/10/2019] - Carne sobe forte no atacado
[22/10/2019] - Arroba: confinamento não segura a alta do boi
[22/10/2019] - Mercado está otimista com o preço futuro do boi
[22/10/2019] - Está faltando boi no Mato Grosso
[22/10/2019] - CPI do BNDES pode ficar sem relatório final
[22/10/2019] - Preço do leite cai no RS
[22/10/2019] - Tereza chega à China para discutir exportações
[22/10/2019] - Aprovada renegociação de dívidas ruraiis
[21/10/2019] - Arroba: mercado vai para onde?
[21/10/2019] - Especulação no mercado de reposição
[21/10/2019] - Bolsonaro vai ao Oriente em busca de mercados
[21/10/2019] - JBS confirma que estuda venda de ações em NY
[21/10/2019] - Mercado reduz previsão de inflação
[21/10/2019] - Milho:preços sobem há 5 semanas
[21/10/2019] - Bolsonaro dá prazo para regularização ambiental
[18/10/2019] - O boi vai parar de subir?
[18/10/2019] - Arroba: boi segue em alta firme
[18/10/2019] - Americanos estimam que Brasil baterá recordes
[18/10/2019] - Como está o preço do boi em Santa Catarina?
[18/10/2019] - MP investigará incentivos dados à JBS
[18/10/2019] - CPI tentará aprovar relatório sem petistas
[18/10/2019] - Preço da uréia está menor em 2019
[18/10/2019] - Prioridade do Incra é a regularização de terras
[17/10/2019] - Arroba: boi sobe e frigoríficos oferecem mais
[17/10/2019] - CEPEA: boi e carne batem recordes de preço
[17/10/2019] - Preço do boi dispara também nos Estados Unidos
[17/10/2019] - Relator tira Lula e Dilma da CPI do BNDES
[17/10/2019] - Justiça absolve Temer em conversa com Joesley
[17/10/2019] - JBS prepara reestruturação
[17/10/2019] - Novo presidente do INCRA é pecuarista
[16/10/2019] - Mercado futuro já sinaliza arroba a R$ 170
[16/10/2019] - Estiagem prolongada preocupa pecuaristas no MS
[16/10/2019] - Qual a tendência para a arroba do boi?
[16/10/2019] - Reposição: oferta está curta em Goiás
[16/10/2019] - Varejo tenta puxar para cima o preço da carne
[16/10/2019] - BNDES: funcionários estariam travando venda da JBS
[16/10/2019] - Presidente da CPI do BNDES acusa Batistas e PT
[16/10/2019] - Bolsonaro tentará negociar acordo com o Japão
[16/10/2019] - O que muda com o fim da vacinação no Paraná?
[16/10/2019] - Milho está mais caro que em 2018
[16/10/2019] - Sérgio Moro atuará contra venda casada no crédito
[15/10/2019] - Exportações de carne bovina devem bater recorde
[15/10/2019] - China aumenta importação de carne bovina
[15/10/2019] - Arroba do boi volta a subir
[15/10/2019] - Arroba: diminui a diferença entre o MS e SP
[15/10/2019] - Preço da carne reage e sobe

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br