Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
157,00 144,00 153,00
GO MT RJ
144,00 143,00 149,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1480,00
Garrote 18m 1800,00
Boi Magro 30m 2100,00
Bezerra 12m 1130,00
Novilha 18m 1340,00
Vaca Boiadeira 1510,00

Atualizado em: 16/9/2019 09:57

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Marfrig lamenta fim da fusão com a BRF

 
 
 
Publicado em 16/08/2019

Para o frigorífico Marfrig, a união com a BRF era uma oportunidade, não uma mudança na estratégia da companhia. Ao menos, foi isso que Marcos Molina, presidente do conselho de administração, deixou implícito durante teleconferência com investidores, na tarde desta quinta-feita (15).

Perguntado se o acordo com a maior exportadora de frangos seria um desvio no plano de crescer no mercado de carne bovina ou simplesmente uma oportunidade, Molina afirmou que o foco nunca mudou. “Nunca fugimos disso. Nós tínhamos o nosso caminho e a BRF, o deles. Um dia sentamos para conversar, e tudo foi feito da forma mais profissional possível. Entretanto, decidimos não seguir juntos”, respondeu.

No fim de maio, BRF e Marfrig anunciaram início de discussões para uma possível fusão. Se tivesse sido levada adiante, o resultado seria uma empresa de cerca de 35 bilhões de reais em valor de mercado.

Segundo o presidente-executivo, Eduardo Miron, a expectativa é que o Marfrig tenha um desempenho ainda melhor no segundo semestre — apesar de a empresa já ter conseguido reverter o prejuízo do segundo trimestre do ano passado. Isso porque, por questões climáticas nos Estados Unidos, o desempenho nos primeiros seis meses do ano ficou aquém do potencial. O frigorífico tem uma operação importante em terras americanas com a National Beef, empresa que faturou 24,3 bilhões de reais no ano passado. “A demanda se arrastou para o segundo semestre”, disse. “Estamos no local certo e no momento certo.”

Até porque uma tragédia pode significar uma oportunidade para o Marfrig. Uma das indústrias da Tyson Foods pegou fogo no Kansas, e, segundo o fundador da Sterling Marketing, John Nalivka, a planta processou cerca de 5% do total de bovinos alimentados pelos Estados Unidos, em entrevista ao Meatingplace. “Todos nós sentimos quando acontece algo assim. Não é momento de celebração e, sim, de reflexão. Terá impacto, mas não sabemos ainda o quanto”, acrescentou Miron.

Outro mercado que pode despontar — graças a uma tragédia — é a China. O país vive uma epidemia de peste suína, que dizimou rebanhos de porcos, o que pode elevar o consumo de carne bovina. “Temos nove plantas na América do Sul aprovadas para exportar para a China, que é um mercado que remunera melhor do que os outros”, disse Miguel Gularte, presidente da operação da Marfrig na América do Sul.

As ações da companhia encerraram o pregão desta quinta-feira (15) em queda de 0,64% a 7,77 reais.

Resultados

O Marfrig reverteu no segundo trimestre prejuízo de quase 600 milhões de reais sofrido um ano antes, obtendo um terceiro lucro trimestral consecutivo graças à melhora no desempenho operacional — mesmo com a interrupção das exportações brasileiras para a China durante 10 dias.

A companhia, maior produtora de hambúrgueres do mundo, registrou lucro líquido de 86,5 milhões de reais, no segundo trimestre, e um faturamento de 12,2 bilhões de reais, alta de quase 10% em relação ao mesmo período de 2018.

A expectativa é alcançar no ano uma receita líquida entre 47 bilhões de reais e 49 bilhões de reais. “Estamos confiantes, reitero que vamos bater as nossas projeções”, disse Miron.Com informações do portal Exame. 

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[16/09/2019] - Arroba: boi subiu de olho nas exportações
[16/09/2019] - Preço da reposição sobe em MG
[16/09/2019] - Exportações de carnes seguram balança do Agro
[16/09/2019] - Egito libera importações de lácteos do Brasil
[16/09/2019] - Tereza discute exportações com sauditas
[16/09/2019] - Bolsonaro terá alta, mas continuará afastado

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[13/09/2019] - Marfrig aumenta produção para atender à China
[13/09/2019] - Arroba: China puxa alta do boi em algumas praças
[13/09/2019] - Burocracia pode ter causado queda nas exportações
[13/09/2019] - MT: bois abatidos estão mais pesados
[13/09/2019] - Projeto desburocratiza recuperação judicial rural
[12/09/2019] - China consome reserva de emergência de carne
[12/09/2019] - Frigoríficos liberados já estão vendendo à China
[12/09/2019] - Frigoríficos crêem em arroba mais alta
[12/09/2019] - Abates seguem em alta em 2019
[12/09/2019] - Arroba: escalas encurtaram
[12/09/2019] - Arroba: há espaço para alta
[12/09/2019] - Exportações de gado batem recorde
[12/09/2019] - Equador abre mercado para o boi em pé do Brasil
[12/09/2019] - PIB do setor de serviços surpreende e cresce
[12/09/2019] - JBS: deputados querem levar acusação aos EUA
[12/09/2019] - JBS: BNDES diz ver falhas nas operações
[12/09/2019] - JBS: comissão apurou negócio arriscado do BNDES
[12/09/2019] - Exportações de milho em alta
[12/09/2019] - MAPA anuncia medidas de corte de gastos
[12/09/2019] - Trump cogita acordo parcial com a China
[12/09/2019] - Imagem ambiental do Brasil é tema de audiência
[11/09/2019] - CARF mantém multa de R$ 4 bi à JBS e Bertin
[11/09/2019] - Arroba: demanda da China começa a puxar o boi
[11/09/2019] - Reposição: incertezas estão segurando negócios
[11/09/2019] - Leite: laticínios seguraram as compras
[11/09/2019] - CNA: subsídios não chegam ao produtor rural
[11/09/2019] - Tereza viaja aos países árabes para ampliar vendas
[11/09/2019] - Venda de terras a estrangeiros divide o setor
[11/09/2019] - China recuou na guerra comercial?
[10/09/2019] - Exportações começam setembro batendo recordes
[10/09/2019] - Exportações à China podem crescer em US$ 1 bi
[10/09/2019] - Mercado espera mais liberações da China
[10/09/2019] - Liberação chinesa já mexe com o preço do boi
[10/09/2019] - Arroba: demanda chinesa gera otimismo
[10/09/2019] - Reposição: procura baixa, preço em alta
[10/09/2019] - Arroba sobe também no MS
[10/09/2019] - Brasil negocia livre comércio com o México
[10/09/2019] - CPI em Goiás convoca Wesley Batista
[09/09/2019] - China libera mais 25 frigoríficos brasileiros
[09/09/2019] - JBS está fora da lista: arroba do boi deve subir
[09/09/2019] - Veja quais são os frigoríficos habilitados
[09/09/2019] - Molina pode comprar parte do BNDES na Marfrig
[09/09/2019] - Arroba já estava subindo antes da abertura chinesa
[09/09/2019] - Carne: vendas internas ainda decepcionam
[09/09/2019] - Milho: exterior puxa preços no Brasil
[09/09/2019] - Bolsonaro tem boa recuperação após cirurgia
[06/09/2019] - Por que a tendência da arroba é de alta?
[06/09/2019] - Atacado: carne sem osso não consegue subir
[06/09/2019] - Abrafrigo: preço da carne bovina exportada subiu
[06/09/2019] - Tereza: Agro brasileiro pode exportar mais aos EUA

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br