Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
156,00 144,00 151,00
GO MT RJ
144,00 143,00 149,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1480,00
Garrote 18m 1800,00
Boi Magro 30m 2100,00
Bezerra 12m 1130,00
Novilha 18m 1340,00
Vaca Boiadeira 1510,00

Atualizado em: 13/9/2019 10:23

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Desemprego sobe e dificulta retomada do consumo

 
 
 
Publicado em 16/05/2019

A taxa de desocupação no Estado de São Paulo subiu de 12,4% no quarto trimestre de 2018 para 13,5% no primeiro trimestre deste ano, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados na manhã desta quinta-feira, 16, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No primeiro trimestre de 2018, a taxa de desemprego em São Paulo estava em 14,0%. A taxa de desocupação no total do País no primeiro trimestre de 2019 foi de 12,7%, ante 13,1% no primeiro trimestre de 2018, como já havia divulgado o IBGE no fim de abril. No quarto trimestre do ano passado, a taxa de desocupação era de 11,6%.

Na passagem do quarto trimestre de 2018 para o primeiro trimestre deste ano, a taxa de desemprego subiu de forma estatisticamente significativa em 14 das 27 unidades da federação.

As maiores taxas de desemprego foram registradas no Amapá (20,2%), na Bahia (18,3%) e no Acre (18,0%). No Rio, a taxa de desemprego ficou em 15,3% e, em Minas Gerais, em 11,2%.

As menores taxas foram observadas em em Santa Catarina (7,2%), Rio Grande do Sul (8,0%) e Paraná e Rondônia (ambos com 8,9%).

Crise generalizada

A situação do mercado de trabalho, marcada por elevado desemprego e subutilização da mão de obra, assim como pelo crescimento de ocupações típicas da informalidade, está generalizada em todo o País, afirmou o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo.

"O grande destaque é que a situação que a gente vive hoje no Brasil não está localizada num Estado ou noutro. A queda na carteira (de trabalho) se dá em todos os Estados. O aumento da informalidade acontece em todos os Estados", afirmou.

Azeredo destacou que registrar taxas de desemprego mais elevadas é característica estrutural do mercado de trabalho no Nordeste. Só que, mesmo os Estados do Sul, que tradicionalmente registram as menores taxas, estão em situação pior do que estavam antes da crise. Santa Catarina já registrou níveis na casa de 2,0%, disse.

"Santa Catarina tem a taxa mais baixa, mas não estava acostumada com esse nível de desocupação. Hoje, Santa Catarina tem a taxa que o Brasil tinha em 2014", disse o pesquisador do IBGE.

Longa procura por trabalho

Um quarto dos 13,387 milhões de brasileiros desempregados no primeiro trimestre estão há dois anos ou mais em busca de trabalho, segundo a Pnad Contínua.

Do total de desempregados no primeiro trimestre, 24,8%, ou 3,319 milhões de pessoas, estão nessa condição há dois anos ou mais. Outros 6,074 milhões de trabalhadores estão desempregados de um mês a menos de um ano, o equivalente a 45,4% do total de desempregados, enquanto 2,108 milhões (15,7%) buscam trabalho há menos de um mês e 1,886 milhão (14,1% do total) o fazem há de um ano a menos de dois anos.

A taxa de desalento no Brasil ficou em 4,4% no primeiro trimestre, recorde da série histórica da Pnad Contínua, iniciada em 2012. O Maranhão teve a maior taxa, com 17,9%: o Estado tem 561 mil pessoas desalentadas. As menores taxas de desalento estão no Rio (1,2%) e em Santa Catarina (0,9%).

A população desalentada é definida como aquela que estava fora da força de trabalho por uma das seguintes razões: não conseguia trabalho, não tinha experiência, era muito jovem ou idosa ou não encontrou trabalho na localidade - e que, se tivesse conseguido trabalho, estaria disponível para assumir a vaga. Com informações do portal Estadão.

Em todo o Brasil são 4,843 milhões de pessoas nessa situação, 768 mil moram na Bahia, Estado que têm o maior contingente de desalentados. Com informações do portal Estadão.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[13/09/2019] - Marfrig aumenta produção para atender à China
[13/09/2019] - Arroba: China puxa alta do boi em algumas praças
[13/09/2019] - Burocracia pode ter causado queda nas exportações
[13/09/2019] - MT: bois abatidos estão mais pesados
[13/09/2019] - Projeto desburocratiza recuperação judicial rural
[12/09/2019] - China consome reserva de emergência de carne
[12/09/2019] - Frigoríficos liberados já estão vendendo à China

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[12/09/2019] - Frigoríficos crêem em arroba mais alta
[12/09/2019] - Abates seguem em alta em 2019
[12/09/2019] - Arroba: escalas encurtaram
[12/09/2019] - Arroba: há espaço para alta
[12/09/2019] - Exportações de gado batem recorde
[12/09/2019] - Equador abre mercado para o boi em pé do Brasil
[12/09/2019] - PIB do setor de serviços surpreende e cresce
[12/09/2019] - JBS: deputados querem levar acusação aos EUA
[12/09/2019] - JBS: BNDES diz ver falhas nas operações
[12/09/2019] - JBS: comissão apurou negócio arriscado do BNDES
[12/09/2019] - Exportações de milho em alta
[12/09/2019] - MAPA anuncia medidas de corte de gastos
[12/09/2019] - Trump cogita acordo parcial com a China
[12/09/2019] - Imagem ambiental do Brasil é tema de audiência
[11/09/2019] - CARF mantém multa de R$ 4 bi à JBS e Bertin
[11/09/2019] - Arroba: demanda da China começa a puxar o boi
[11/09/2019] - Reposição: incertezas estão segurando negócios
[11/09/2019] - Leite: laticínios seguraram as compras
[11/09/2019] - CNA: subsídios não chegam ao produtor rural
[11/09/2019] - Tereza viaja aos países árabes para ampliar vendas
[11/09/2019] - Venda de terras a estrangeiros divide o setor
[11/09/2019] - China recuou na guerra comercial?
[10/09/2019] - Exportações começam setembro batendo recordes
[10/09/2019] - Exportações à China podem crescer em US$ 1 bi
[10/09/2019] - Mercado espera mais liberações da China
[10/09/2019] - Liberação chinesa já mexe com o preço do boi
[10/09/2019] - Arroba: demanda chinesa gera otimismo
[10/09/2019] - Reposição: procura baixa, preço em alta
[10/09/2019] - Arroba sobe também no MS
[10/09/2019] - Brasil negocia livre comércio com o México
[10/09/2019] - CPI em Goiás convoca Wesley Batista
[09/09/2019] - China libera mais 25 frigoríficos brasileiros
[09/09/2019] - JBS está fora da lista: arroba do boi deve subir
[09/09/2019] - Veja quais são os frigoríficos habilitados
[09/09/2019] - Molina pode comprar parte do BNDES na Marfrig
[09/09/2019] - Arroba já estava subindo antes da abertura chinesa
[09/09/2019] - Carne: vendas internas ainda decepcionam
[09/09/2019] - Milho: exterior puxa preços no Brasil
[09/09/2019] - Bolsonaro tem boa recuperação após cirurgia
[06/09/2019] - Por que a tendência da arroba é de alta?
[06/09/2019] - Atacado: carne sem osso não consegue subir
[06/09/2019] - Abrafrigo: preço da carne bovina exportada subiu
[06/09/2019] - Tereza: Agro brasileiro pode exportar mais aos EUA
[06/09/2019] - Bolsonaro diz que novo PGR respeitará o produtor
[06/09/2019] - Como está a situação da tabela de frete?
[06/09/2019] - MAPA integrará dados estratégicos do Agro
[05/09/2019] - Arroba do boi segue subindo
[05/09/2019] - Arroba firme em setembro
[05/09/2019] - China: onde estão os frigoríficos inspecionados?
[05/09/2019] - Carne puxa exportações do Mato Grosso do Sul

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br