Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
155,00 143,00 149,00
GO MT RJ
141,00 139,00 146,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1440,00
Garrote 18m 1760,00
Boi Magro 30m 2050,00
Bezerra 12m 1120,00
Novilha 18m 1340,00
Vaca Boiadeira 1510,00

Atualizado em: 23/8/2019 09:21

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

FGV: ritmo da economia está abaixo do esperado

 
 
 
Publicado em 09/05/2019

O ritmo da atividade econômica brasileira decepcionou nos primeiros meses do ano, ficando aquém do projetado e esperado para o período. Esse fenômeno pode ser observado por meio do comportamento de diversos indicadores relativos ao comportamento da atividade.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que antecipa, em alguma medida, o comportamento do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, registrou um crescimento de 1,7% no acumulado do primeiro bimestre do ano, ficando abaixo do esperado. Esse resultado ganha contornos mais negativos ante o fato de que esse indicador registrou uma variação sazonalmente ajustada negativa na margem, com queda de 0,7% em fevereiro relativamente ao mês anterior.

O desempenho da indústria brasileira aponta para a mesma direção. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção industrial brasileira acumula, nos dois primeiros meses do ano, uma queda de 0,2% em relação ao primeiro bimestre do ano passado. Com exceção da produção de bens duráveis, os demais setores por categoria econômica (bens de capital, intermediários, semi e não duráveis) registraram uma relativa estagnação nos dois primeiros meses do ano em relação ao primeiro bimestre de 2018.

Não sem razão, a taxa de desocupação brasileira média em janeiro e fevereiro de 2019, medida pelo IBGE, ficou praticamente no mesmo patamar da verificada no mesmo período do ano passado. Caso a atividade econômica estivesse registrando uma recuperação mais robusta, a desocupação, claramente, deveria estar caindo nesse período.

Por conta da atividade econômica mais fraca do que o esperado no começo do ano, as projeções para o crescimento econômico brasileiro têm sido sistematicamente revistas para baixo. De acordo com o Banco Central, as previsões de mercado, no final do ano passado, eram de que a economia brasileira iria registrar um crescimento econômico superior a 2% em 2019 em relação ao ano passado. O desempenho da atividade econômica no primeiro trimestre já colocou a mediana dessas projeções para menos de 2% neste ano. Algumas projeções, inclusive, já sinalizam que a economia brasileira deverá crescer um pouco mais do que 1% neste ano. Muitos já apontam que 2019 é um ano perdido em termos de crescimento e sinalizam que uma potencial retomada mais robusta ocorreria apenas no ano que vem.

Vale destacar que não é a primeira vez, nos últimos anos, que a economia brasileira decepciona em termos de crescimento nos primeiros meses e que essa frustração detona um processo de revisão geral das projeções de crescimento para baixo. O que se verifica, no início de 2019, é basicamente uma repetição do que foi visto no começo do ano passado. Nesse sentido, da mesma forma que se esperava um crescimento maior neste ano, as projeções do final de 2017 também apostavam em um crescimento mais robusto da economia brasileira no ano seguinte. O que, de fato, se verificou foi um baixo crescimento nos primeiros meses de 2018, o que frustrou essas expectativas e levou as projeções do ano passado a serem revistas para baixo. A realidade dos fatos mostrou que o crescimento econômico brasileiro de 2018 ficou pouco acima de 1%.

É bem provável que um fenômeno similar ocorra neste ano: o desempenho da atividade econômica nos primeiros meses do ano aponta para essa direção. Fica cada vez mais evidente que esse resultado independe da aprovação da reforma da previdência.

De fato, a aprovação da reforma é essencial para sinalizar uma trajetória mais favorável das contas públicas. A dimensão da economia prevista pela reforma dependerá, em última instância, do grau de desidratação que ela sofrerá ao longo do seu processo de tramitação no Congresso.

De qualquer forma, ainda que a aprovação da reforma enseje uma melhoria de expectativas no mercado financeiro e da parte de alguns investidores, ela será insuficiente para reverter o quadro de relativa estagnação da atividade econômica brasileira.

Isso se deve ao fato de que o consumo das famílias, que representa cerca de dois terços da demanda agregada brasileira, ainda não exibe sinais de recuperação consistente. Ao que parece, o processo de redução do grau de endividamento relativo das famílias, que abriria espaço para um novo endividamento e um maior consumo, ainda não se encerrou. Enquanto esse ajuste não se processar inteiramente, é pouco provável que a economia brasileira volte a exibir um maior dinamismo. Ao que tudo indica, uma recuperação mais robusta ficou mais para frente.  Com informações da Agroanalysis/FGV.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[23/08/2019] - UE pode banir importações de carne do Brasil
[23/08/2019] - Governo dispara ofensiva para evitar embargo
[23/08/2019] - Tereza: não foi Bolsonaro que devastou a Amazônia
[23/08/2019] - Governo pode enviar exército para a Amazônia
[23/08/2019] - Ibama vai contratar brigadistas de incêndio
[23/08/2019] - Arroba: frigoríficos seguram aumentos pro boi
[23/08/2019] - MAPA ainda aguarda relatório americano

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[23/08/2019] - Brasil gera empregos pelo quarto mês seguido
[23/08/2019] - JBS vai emitir dívida para comprar boi
[23/08/2019] - Preço do milho caiu
[23/08/2019] - Índios e caminhoneiros contra nova ferrovia
[22/08/2019] - Arroba: frigoríficos estão pagando mais
[22/08/2019] - NASA afirma que queimadas estão abaixo da média
[22/08/2019] - CPI do BNDES apura assinatura forjada na JBS
[22/08/2019] - Itaú segue confiante na JBS
[22/08/2019] - Arroba não acompanhou a alta do milho
[22/08/2019] - Agro ajuda a manter inflação baixa em SP
[22/08/2019] - Câmara aprova posse de arma em toda propriedade
[22/08/2019] - Pecuarista vende 260 bois e cai em golpe
[21/08/2019] - BNDES: MP descobre que prejuízo com JBS foi maior
[21/08/2019] - JBS comprou avião com juro subsidiado
[21/08/2019] - Arroba: falta de boi puxa preço em duas praças
[21/08/2019] - Bolsonaro: queimadas podem ser ação criminosa
[21/08/2019] - Salles: notícias falsas prejudicam meio ambiente
[21/08/2019] - Ministro aguarda verba prometida por europeus
[21/08/2019] - Fusão cria a segunda maior em medicamentos
[21/08/2019] - MP da Liberdade Econômica muda algo para o Agro?
[20/08/2019] - Arroba: escalas encurtaram em SP
[20/08/2019] - Frigoríficos seguram compra para não perder lucro
[20/08/2019] - Está faltando boi em algumas praças
[20/08/2019] - Faltam animais para reposição
[20/08/2019] - Exportações de carnes perderam força
[20/08/2019] - CNA pede que ADA não seja obrigatório no ITR
[20/08/2019] - MAPA digitaliza registro genealógico de animais
[20/08/2019] - Leite está estável no RS
[20/08/2019] - BNDES estende renegociação de crédito rural
[20/08/2019] - Governo vai monitorar represas em fazendas
[19/08/2019] - JBS: MPF vai denunciar funcionários do BNDES
[19/08/2019] - BRF não é mais acionista do Minerva
[19/08/2019] - Arroba: frigoríficos menores pagam mais pelo boi
[19/08/2019] - Arroba: fim de mês vai esfriar as cotações?
[19/08/2019] - Oferta curta encareceu reposição na Bahia
[19/08/2019] - Fundos estão de olho em empresas do agronegócio
[19/08/2019] - Ex-ministro de Lula elogia ações do governo
[19/08/2019] - Milho: queda no exterior pressiona preço no Brasil
[19/08/2019] - ITR deverá ser apresentado junto com CAR
[16/08/2019] - JBS muda estratégia para exportar mais à China
[16/08/2019] - JBS volta a falar em aquisições
[16/08/2019] - Dívida do Marfrig voltou a crescer
[16/08/2019] - Marfrig lamenta fim da fusão com a BRF
[16/08/2019] - China aumentará tarifa sobre carne da Austrália
[16/08/2019] - Arroba: oferta curta mantém preços firmes
[16/08/2019] - Atacado da carne em alta
[16/08/2019] - Milho: safra do MS baterá recorde
[16/08/2019] - Imposto sobre exportações preocupa o governo
[16/08/2019] - Agronegócio pede Embrapa mais moderna
[15/08/2019] - JBS lucrou mais de R$ 2 bi no trimestre

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br