Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
157,00 142,00 148,00
GO MT RJ
143,00 142,00 144,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1420,00
Garrote 18m 1700,00
Boi Magro 30m 2030,00
Bezerra 12m 1050,00
Novilha 18m 1300,00
Vaca Boiadeira 1470,00

Atualizado em: 18/4/2019 10:57

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Bezerro está em falta no Mato Grosso

 
 
 
Publicado em 15/04/2019

Pecuaristas que investem em confinamento estão pagando mais caro pelo bezerro de engorda, este ano, em Mato Grosso. Estimativas do setor apontam que a oferta de bezerros caiu e ocasionou o aumento do preço por cabeça.

De acordo com Primo Menegali, dono de uma propriedade em Barra do Bugres, a 169 km de Cuiabá, que investe em gado para ganho de peso na modalidade semiconfinamento, a oferta de animais mais magros também reflete na margem de lucro do criador.

“Além do preço ter aumentado do ano passado para este, o investimento para engordar o animal também é maior, o que diminui a rentabilidade”, explicou.

Segundo ele, um bezerro de 18 a 20 meses custa em média R$ 2 mil, enquanto que no ano passado, o valor era em torno de R$ 1,7 mil.

Para garantir que a engorda, os animais passam por dois processos. No primeiro, um lote com animais de seis a oito meses, permanecem no pastejo, depois passam para a alimentação em cocho, com ração. Quando atingem o peso ideal, são encaminhados para o abate.

Diante da pouca oferta de bezerros, os pecuaristas precisaram adotar novas estratégias. Nessa mesma propriedade, o gerente sempre deu preferência a animais de 15 a 22 meses, entretanto está recebendo bezerros mais novos, em razão da situação do mercado.

A intenção é confinar 12 mil cabeças em 2019. Um número 20% maior que no ano passado.

Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) a pouca oferta de bezerros nesta temporada é resultado do aumento de abate de fêmeas, nos últimos três anos.

“Em 2018 houve um recorde e animais abatidos, mais de 10% desse total foram de novilhas, ou seja, animais que iriam repor as matrizes, mas que também foram para o abate”, explicou o consultor Faber Monteiro.

Em outra propriedade que também fica em Barra d o Bugres, a baixa oferta de bezerros também modificou a rotina de desmame dos animais, este ano.

A procura pelo gado de reposição fez com que o proprietário vendesse 1,4 mil bezerros de forma antecipada, antes mesmo do desmame. E os preços foram melhores, se comparado com o mesmo período do ano passado.

Na fazenda existem 2,5 mil matrizes, e o primeiro lote de bezerros devem ser desmamados até o final deste mês.

“Temos parceiros que já se adiantaram e compraram, inclusive, a produção que vai desmamar a partir do final de abril. Essa situação é diferente dos anos anteriores”, comentou Antônio Maércio de Jorge, proprietário da fazenda.

A propriedade, que investe no cruzamento industrial há 20 anos, está recebendo mais pelo bezerro este ano.

Segundo o proprietário, o kg do bezerro macho está sendo comercializado a R$ 6,90, enquanto que no ano passado, a média era de R$ 6,70/kg. Naquela época, os animais chegavam a pesar 289 kg, hoje, estão sendo vendidos com 9 kg a menos.

“O preço do quilo do bezerro em pé subiu cerca de 4,5%, em média, se comparado ao mesmo período de 2018. Cada animal foi vendido por R$ 1. 900 aproximadamente”, afirmou Antônio.

A vantagem tem sido o prazo para pagamento.

“Antes, fazíamos a venda antecipada para receber no decorrer das entregas. Este ano, estamos vendendo antecipado e recebendo em menos tempo”, concluiu ele. Com informações do Globo Rural.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[18/04/2019] - Arroba: não tem espaço para baixa
[18/04/2019] - Melhorou cenário para o confinamento?
[18/04/2019] - Chuvas puxam preço do boi no Mato Grosso
[18/04/2019] - Como está a reposição no Pará?
[18/04/2019] - RS procura mercados para exportar gado em pé
[18/04/2019] - Exportações: receita do frango supera carne bovina
[18/04/2019] - Caminhoneiros vão mesmo entrar em greve?

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[18/04/2019] - Pecuaristas preocupados com a volta da aftosa
[17/04/2019] - Arroba: tem frigorífico pagando mais
[17/04/2019] - Carne: varejo dá sinais de melhora
[17/04/2019] - Leite vai continuar subindo?
[17/04/2019] - Especialistas defendem prazo maior para o CAR
[17/04/2019] - Governo quer destravar o crédito rural
[16/04/2019] - Arroba: alta perdeu força
[16/04/2019] - É hora de vender o boi?
[16/04/2019] - Carne: preços não têm força para subir
[16/04/2019] - Exportações estão mais fracas em abril
[16/04/2019] - China fala em ampliar compras de carne do Brasil
[16/04/2019] - Rússia adia visita que liberaria mais frigoríficos
[16/04/2019] - Bertin terá que explicar negócio com a JBS
[16/04/2019] - Banco prevê alta forte para ações da JBS
[16/04/2019] - PIB do Agro deverá crescer mais que o previsto
[16/04/2019] - Nova Previdência trará investimentos para o Agro
[16/04/2019] - Governo anuncia pacote para evitar greve
[16/04/2019] - Caminhoneiros se dizem insatisfeitos com ajuda
[15/04/2019] - Invasões de terra caíram com Bolsonaro
[15/04/2019] - Arroba: preço não dá sinal de queda
[15/04/2019] - Reposição está ficando mais cara
[15/04/2019] - Bezerro está em falta no Mato Grosso
[15/04/2019] - JBS vale R$ 35 bilhões a mais após a delação
[15/04/2019] - Produtores rurais cobram aplicação de impostos
[15/04/2019] - Vai sobrar milho em 2019?
[12/04/2019] - Governo teme nova greve dos caminhoneiros
[12/04/2019] - Líder dos caminhoneiros elogia ação de Bolsonaro
[12/04/2019] - Arroba: boi segue em subindo com força
[12/04/2019] - Milho: como ficará a produção em 2019?
[12/04/2019] - Arroba em alta forte também no Pará
[12/04/2019] - Paraná vai debater fim da vacinação
[12/04/2019] - Crise chega forte à pecuária argentina
[11/04/2019] - Arroba: boi continua subindo sem parar
[11/04/2019] - CEPEA: uma mudança importante na arroba
[11/04/2019] - Exportação de gado em pé subiu em março
[11/04/2019] - Imposto sobre a carne sobe 140%
[11/04/2019] - Catástrofe sanitária pode beneficiar a JBS
[11/04/2019] - Lácteos: importações caíram com força em março
[11/04/2019] - Bolsonaro: Brasil está de braços abertos a árabes
[11/04/2019] - Qual opinião dos árabes sobre encontro?
[11/04/2019] - Bolsonaro enfrenta dilema com setor rural
[10/04/2019] - A arroba do boi vai continuar subindo?
[10/04/2019] - Arroba do boi em alta firme
[10/04/2019] - JBS e Marfrig começam nova briga
[10/04/2019] - JBS compra mais uma empresa nos EUA
[10/04/2019] - IMEA prevê produção recorde de milho no MT
[10/04/2019] - Dívida do Funrural preocupa produtores rurais
[10/04/2019] - Preservação ambiental tem que virar negócio
[09/04/2019] - Arroba: preço do boi segue subindo
[09/04/2019] - Reposição fechou mês em alta

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br