Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
154,00 141,00 146,00
GO MT RJ
143,00 141,00 141,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1380,00
Garrote 18m 1650,00
Boi Magro 30m 2000,00
Bezerra 12m 1040,00
Novilha 18m 1270,00
Vaca Boiadeira 1450,00

Atualizado em: 21/3/2019 10:54

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Tereza: produtor deve ser pago para preservar

 
 
 
Publicado em 07/12/2018

Anunciada ministra da Agricultura do governo Jair Bolsonaro (PSL), a deputada Tereza Cristina (DEM-MS) disse que estuda uma forma de premiar o produtor rural que cumprir a lei de preservação ambiental.

Segundo ela, o benefício sob análise seria em forma de green bonds -em português, títulos verdes-, um ativo financeiro aplicável em projetos sustentáveis.

A isenção de ITR (Imposto sobre Propriedade Territorial Rural) foi citada por integrantes da equipe de transição na área ambiental como forma de compensação, mas minimizada pela futura ministra.

"A preservação só vale a pena se a pessoa sentir que ela tem alguma bonificação", afirmou à reportagem Cristina, atual presidente da Frente Parlamentar Agropecuária.

"Isenção de ITR é tão pequeno, não é o que move as pessoas. Você tem green bonds, tem Bolsa hoje para isso. Na Inglaterra, no mundo, tem gente aí que tem títulos para isso. São coisas muito mais modernas", disse.

"Você preserva, você ganha [os ativos], e pessoas que precisam ou querem ser preservacionistas, vão comprar green bonds ou quem precisa fazer compensação possa comprar para fazer a compensação ambiental."

O ITR rendeu R$ 1,4 bilhão em 2017, 0,1% da arrecadação federal de impostos informada pela Receita.

Coordenador da equipe de transição de Bolsonaro na área ambiental, o pesquisador Evaristo de Almeida, chefe da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) Territorial, em palestra na CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) na terça-feira (4), falou do papel de produtores rurais na preservação ambiental.

"Os agricultores preservam 218 milhões de hectares, preservam dentro dos imóveis 25,6% do Brasil. Mais de um quarto do território nacional está dedicado à preservação da vegetação nativa dentro dos imóveis rurais", declarou.

"Para se ter uma ideia, as unidades de conservação integrais preservam 10% do Brasil. Quer dizer, os agricultores preservam duas vezes e meia mais que o meio ambiente e isso eles fazem com seu próprio patrimônio, então o nosso trabalho com a CNA não vai parar aí."

De acordo com Almeida, "os simobilizando mais de R$ 3 trilhões em terra imobilizada em prol do meio ambiente, isso precisa ser reconhecido no Brasil".

Questionado pela reportagem se a equipe de transição estuda formas de compensação a proprietários rurais, o pesquisador negou.

O Código Florestal estabelece percentuais de preservação conforme o bioma. Na Amazônia, 80% da propriedade deve ser reserva. No Cerrado, 35%. Nas demais, 20%.

Dois nomes cotados para assumir o Ministério do Meio Ambiente no governo Bolsonaro defendem formas de compensação ao proprietário rural que preserve, não somente aquilo exigido em lei, mas excedentes. No Brasil, há previsão legal para isso em um mecanismo chamado Pagamento por Serviço Ambiental, o PSA.

Ex-secretário de Meio Ambiente do governo Alckmin, em São Paulo, o advogado Ricardo Salles defendeu em reuniões o PSA, prática em vigor na pasta estadual.

O agrônomo agrônomo Xico Graziano, também citado por Bolsonaro, tem pensamento convergente.

"A minha opinião é que é fundamental na agenda da futura política ambiental do Brasil, um tema prioritário, mas não conversei com ninguém a respeito", disse.

"É uma retribuição que o mundo todo faz, lá fora é chamado de serviços ecossistêmicos. A ONU tem um programa. É uma tendência, eu diria, à qual o Brasil deve rapidamente se vincular e asseverar essa agenda."

A futura ministra também trabalha com esse cenário. "Se eu tenho de preservar 20% e quero 30% ou 40%, por que não ter esse benefício? Se todo o mundo está usufruindo disso, o oxigênio, a captação de carbono, por que você vai deixar o produtor com esse ônus? Se ele pode ganhar por isso, vai fazer com muito mais prazer, pode deixar até mais áreas sendo preservadas", justificou Cristina.

Segundo a futura ministra, a proposta está em estudo e ainda não foi, em suas palavras, democratizada, isto é, não é consensual.

O atual ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, disse "não ver problema" na proposta. "Você cria uma agenda positiva para um tema tão importante que é a preservação de reservas legais."

"Nas negociações internacionais, os países em desenvolvimento têm reclamado, querem recursos dos países desenvolvidos porque têm ativos naturais, têm florestas, e embora os países precisem obrigatoriamente preservá-las, querem que os desenvolvidos ajudem. Essa tem sido a tônica da negociação", disse Duarte. Com informações do Diário de Cuiabá.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[21/03/2019] - Ex-presidente Michel Temer é preso pela Lava Jato
[21/03/2019] - Ações da JBS caem com prisão de Temer
[21/03/2019] - Arroba do boi continua subindo
[21/03/2019] - Como está o atacado da carne?
[21/03/2019] - CEPEA: boi teve alta de quase 2%
[21/03/2019] - Pecuaristas dos EUA vão ao ataque contra o Brasil
[21/03/2019] - FPA ameniza declarações de ministro contra China

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[21/03/2019] - Brasil não deve decidir entre EUA e China
[21/03/2019] - Tereza: Agro precisa de investimentos urgentes
[20/03/2019] - China nega habilitação de novos frigoríficos
[20/03/2019] - Frigoríficos ainda não têm posição sobre China
[20/03/2019] - EUA marcarão data para inspecionar frigoríficos
[20/03/2019] - Arroba: frigoríficos já pagam mais pelo boi
[20/03/2019] - Frigos apontam possível alta em abate clandestino
[20/03/2019] - Mercado de lácteos está fraco
[20/03/2019] - Emprego no agro ficou estável em 2018
[19/03/2019] - Boi: frigoríficos têm dificuldade para comprar
[19/03/2019] - Exportações do Agro seguem fortes
[19/03/2019] - Abates ficaram estáveis em SP
[19/03/2019] - EUA: Expectativa no mercado da carne bovina
[19/03/2019] - Brasil irá à China para aumentar exportações
[19/03/2019] - China: postura do governo preocupa o Agro
[19/03/2019] - Carne: Argentina quer ganhar espaço na China
[19/03/2019] - Exportações do agro gaúcho têm forte queda
[19/03/2019] - Índio não quer ser tratado como coitadinho
[18/03/2019] - Arroba do boi retoma trajetória de alta
[18/03/2019] - Reposição retoma o ritmo e volta a subir
[18/03/2019] - Carne: vendas do varejo voltam a crescer
[18/03/2019] - EUA: Tereza pedirá amanhã o fim do embargo
[18/03/2019] - Incêndio atinge unidade da JBS
[18/03/2019] - Milho: preço vira e começa a cair
[18/03/2019] - Investidores lucram com ações do Minerva
[15/03/2019] - MP: BNDES emprestou à JBS muito mais que deveria
[15/03/2019] - MPF: Palocci recebeu R$ 2,5 mi para ajudar JBS
[15/03/2019] - Fachin pede que STF marque julgamento dos Batista
[15/03/2019] - Arroba: oferta restrita mantém preços firmes
[15/03/2019] - Está faltando gado no Maranhão
[15/03/2019] - Milho: preços devem cair
[15/03/2019] - Novo presidente do BC quer mudar crédito rural
[15/03/2019] - Em live, Bolsonaro ressalta parceria com a China
[15/03/2019] - Exportações de carne australiana devem cair 8%
[14/03/2019] - Frigoríficos têm dificuldade para comprar boi
[14/03/2019] - Vendas de carne decepcionaram durante o Carnaval
[14/03/2019] - Preço do boi magro pode ajudar confinadores
[14/03/2019] - Exportações estão crescendo em novos mercados
[14/03/2019] - IBGE: abates de bovinos tiveram alta de 3,5%
[14/03/2019] - IBGE: aquisição de leite subiu em 2018
[14/03/2019] - Bancada ruralista não garante apoio à reforma
[14/03/2019] - Sem terra invadem fazenda de João de Deus
[13/03/2019] - Arroba: alta começa a se espalhar pelo Brasil
[13/03/2019] - Poder de compra do pecuarista melhora no PR
[13/03/2019] - Marfrig quer aumentar abates de Angus
[13/03/2019] - Minerva tem prejuízo, mas reduz dívida
[13/03/2019] - Minerva está otimista com o mercado do boi
[13/03/2019] - Justiça dá isenção de imposto para frigoríficos
[13/03/2019] - Milho deve bater recorde no Mato Grosso
[12/03/2019] - Arroba: mercado devagar depois do Carnaval

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br