Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
152,00 138,00 145,00
GO MT RJ
140,00 138,00 141,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1410,00
Garrote 18m 1650,00
Boi Magro 30m 2070,00
Bezerra 12m 1060,00
Novilha 18m 1300,00
Vaca Boiadeira 1480,00

Atualizado em: 22/2/2019 11:16

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

JBS: foco no aumento da margem de lucro

 
 
 
Publicado em 05/12/2018

A JBS tem como prioridade melhorar as margens do grupo, algo que o novo presidente-executivo da maior processadora de carne do mundo, Gilberto Tomazoni, quer promover com medidas que incluem expansão de produtos de maior valor agregado nos EUA e de sua cadeia de distribuição na Ásia.

Nomeado na véspera ao principal posto da JBS, Tomazoni afirmou a analistas nesta quarta-feira que a listagem de operações da companhia nos Estados Unidos continua sendo uma das principais prioridades do grupo, mas "no momento adequado".

"Estamos muito entusiasmados com oportunidade que temos em produtos de valor agregado nos EUA (...) É a nossa maior oportunidade", disse o executivo sem dar detalhes durante breve teleconferência.

"As margens do grupo, em geral, são boas, mas como qualquer negócio, há oportunidade de melhoria. Nosso foco nisso está no centro da estratégia. Para capturar melhorias em oportunidades de mix, precisamos de organização eficiente e ágil. Temos foco específico em produto de valor agregado, isso vai ter impacto significativo nas margens", disse Tomazoni, que ingressou na JBS em 2013 depois de longa experiência na Sadia, da BRF, e passagem pela Bunge.

Antes de assumir o posto de presidente-executivo global da companhia formada por 230 mil funcionários e com faturamento de 180 bilhões de reais, Tomazoni era vice-presidente global de operações da JBS, cargo que será extinto com sua promoção, disse o executivo.

"Tenho uma abordagem de tolerância zero em governança e compliance", afirmou Tomazoni, que avançou na organização da JBS após prisão dos controladores da empresa, os irmãos Joesley e Wesley Batista em 2017, em meio aos desdobramentos da operação Lava Jato, da Polícia Federal. Segundo ele, as mudanças na gestão da companhia são "oportunidade para a JBS avançar em governança e compliance".

As ações da JBS subiam 4,7 por cento às 11h23, liderando as altas do Ibovespa, que avançava 0,5 por cento.

De acordo com os analistas Leandro Fontanesi e Rafael Sommer, do Bradesco BBI, Tomazoni já era considerado o principal executivo da JBS e a nomeação dele como presidente-executivo global da empresa é "um passo natural para a empresa, mas ainda um passo importante para preparar a JBS para um IPO nos EUA em 2019".

Questionado sobre o IPO, que foi frustrado em meio ao escândalo gerado pelas delações premiadas dos Batista, Tomazoni não deu detalhes sobre quando a operação poderia ocorrer. Ele, porém, afirmou que Guilherme Cavalcanti, nomeado vice-presidente financeiro da JBS nesta quarta-feira, terá "papel importante" na operação.

Cavalcanti vai assumir a posição na JBS em 15 de janeiro. Antes de embarcar na companhia, o executivo era vice-presidente financeiro da produtora de celulose Fibria.

Além do foco em produtos de valor agregado, a JBS pretende ampliar sua presença na Ásia, disse Tomazoni, que cita o continente como um "importante mercado de exportação para a JBS", capaz de criar uma oportunidade de expansão "muito significativa" para o grupo.

Há alguns dias, a JBS anunciou acordo de três anos, avaliado em 1,5 bilhão de dólares, com a gigante chinesa de comércio Alibaba. A parceria envolve a distribuição de carne na China por meio de negócios junto a clientes corporativos e consumidores finais. Com informações do DCI.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[22/02/2019] - Incra anuncia rompimento com o MST
[22/02/2019] - Índios têm direito de produzir, defende Damares
[22/02/2019] - Panorama no mercado do boi é de alta
[22/02/2019] - CADE aprova troca de frigoríficos no MT
[22/02/2019] - Taxa do leite depende da burocracia
[22/02/2019] - MAPA: marcas sem qualidade desaparecem
[22/02/2019] - Brasil exportou 68% mais milho neste fevereiro

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[22/02/2019] - EUA venderam mais de 90 mil ton de carne
[21/02/2019] - Chuvas fortes dificultam entrega de boi no MT
[21/02/2019] - Frigoríficos não acham boi para comprar
[21/02/2019] - Carne: preços continuam caindo
[21/02/2019] - Tereza diz que previdência agrada ao setor
[21/02/2019] - MAPA pede solução para conflitos com índios
[20/02/2019] - Em Dubai, embaixada brasileira não é problema
[20/02/2019] - Arroba caiu em São Paulo
[20/02/2019] - E os preços da reposição, para onde vão?
[20/02/2019] - Leite: Brasil notifica OMC para aumentar imposto
[20/02/2019] - Leite: greve travou crescimento em 2018
[20/02/2019] - Rússia inspeciona frigoríficos bolivianos
[20/02/2019] - O que muda na aposentadoria rural?
[20/02/2019] - Bancada ruralista promete apoio às reformas
[20/02/2019] - Bolsonaro a ruralistas: Brasil precisa da reforma
[19/02/2019] - Procuradoria deve cobrar R$ 2 bilhões da JBS
[19/02/2019] - Exportações de carne podem ter alta de quase 40%
[19/02/2019] - Frigoríficos tentam continuar a vender ao Irã
[19/02/2019] - Exportações de carne do MS batem recorde
[19/02/2019] - Arroba: pressão mesmo com oferta curta
[19/02/2019] - Leite longa vida sobe com menor produção
[19/02/2019] - Minerva tenta atrair interesse por ações
[18/02/2019] - Estados aumentam impostos sobre o Agro
[18/02/2019] - Arroba: frigoríficos seguem tentando pagar menos
[18/02/2019] - Milho: procura está em alta
[18/02/2019] - Leite: governo tentará retaliar a UE
[18/02/2019] - Enchente mata meio milhão de bois
[15/02/2019] - Frigoríficos aumentam a pressão sobre o boi
[15/02/2019] - Carne: será que as vendas melhoram no Carnaval?
[15/02/2019] - Leite: governo ainda não aumentou tarifa da UE
[15/02/2019] - Leite: CEPEA mudará cálculo do preço ao produtor
[15/02/2019] - China fecha acordo para importar frango do Brasil
[15/02/2019] - Acordo com China puxa ações de frigoríficos
[15/02/2019] - JBS substitui Marfrig e assina parceria com ACNB
[15/02/2019] - Empresa da JBS tem prejuízo nos EUA
[15/02/2019] - Marfrig já está exportando ao Japão
[14/02/2019] - Carne: margem de lucro do varejo aumentou
[14/02/2019] - Arroba: o mercado está devagar?
[14/02/2019] - CEPEA: produtividade aumentou nos últimos anos
[14/02/2019] - Justiça pede explicações sobre fim da tarifa
[14/02/2019] - Produtores de leite protestam por falta de energia
[14/02/2019] - Indígenas plantam 18 mil hectares de grãos
[14/02/2019] - Tereza defende o direito de índios de produzir
[14/02/2019] - Funrural: produtor tem dúvidas sobre o pagamento
[14/02/2019] - Governo incentiva financiamento rural
[14/02/2019] - Frio extremo mata gado leiteiro nos EUA
[13/02/2019] - Leite: como o governo aumentará a tarifa da UE?
[13/02/2019] - Reforma aumenta contribuição rural ao INSS
[13/02/2019] - Conta de luz rural pode aumentar
[13/02/2019] - Arroba: oferta curta está puxando preço do boi

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br