Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
151,00 138,00 145,00
GO MT RJ
138,00 137,00 143,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1380,00
Garrote 18m 1650,00
Boi Magro 30m 2000,00
Bezerra 12m 1020,00
Novilha 18m 1280,00
Vaca Boiadeira 1430,00

Atualizado em: 23/1/2019 14:00

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Frigoríficos e laticínios voltaram ao normal no MT

 
 
 
Publicado em 06/06/2018

Abates de bovinos, suínos e frangos estão normalizados em Mato Grosso. As indústrias frigoríficas que ainda estavam paralisadas retornaram às atividades nesta terça-feira (5). Laticínios também retomaram a captação de leite. Com isso, a oferta dos produtos de origem animal volta ao normal no varejo, afirmam representantes do segmento no Estado. Com a paralisação do transporte rodoviário de cargas por 11 dias e encerrada no último dia 28, foram suspensos os abates de bovinos em 29 frigoríficos habilitados com Serviço de Inspeção Federal (SIF) e aptos a atender o mercado interno e internacional, segundo o Sindicato das Indústrias Frigoríficas de Mato Grosso (Sindifrigo).

Com isso, 84 mil trabalhadores ligados direta ou indiretamente à atividade frigorífica ficaram ociosos. Diariamente 16,5 mil bovinos deixaram de ser abatidos com a paralisação dos frigoríficos. A Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) chegou a estimar as perdas financeiras na pecuária de corte, antes do encerramento dos protestos dos caminhoneiros no Estado. Cálculos preliminares apontaram prejuízos diários de R$ 36,5 milhões com a queda na comercialização dos animais.

Além da bovinocultura de corte, a avicultura e suinocultura mato-grossenses foram afetadas com a paralisação de 5 frigoríficos de abates de frango e 5 de abates de suínos, informaram a Associação Matogrossense de Avicultura (Amav) e Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat).

Com a suspensão nos abates de frango durante a paralisação do transporte rodoviário de cargas em Mato Grosso, as indústrias locais contabilizam perdas financeiras de R$ 14,5 milhões, segundo informaram as empresas à Amav. Por dia são abatidos 2 milhões de frangos em Mato Grosso.

Perdas compatíveis às da avicultura foram verificadas pelos suinocultores, que averiguaram prejuízo de R$ 13,250 milhões durante 5 dias de paralisação dos frigoríficos, conforme calculado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a pedido da Acrismat. O cálculo considera abate diário de 11,280 mil suínos, com peso médio de 87,99 kg cada animal e preço médio de R$ 2,67 (kg). Além das perdas com a interrupção nos abates e na comercialização da carne, houve prejuízos com animais mortos devido a falta de ração. “A normalização total na suinocultura deve ser percebida só em 6 meses”, comenta o diretor da Acrismat, Custódio Rodrigues.

Reajustes

A falta de produto nos laticínios provocada pela dificuldade na captação do leite será compensada agora com novos preços para o consumidor, segundo o Sindicato das Indústrias de Laticínios de Mato Grosso (Sindilat/MT). Presidente da entidade, Antônio Bornelli, afirma que houve aumento de até 15% no preço pago pelo leite ao produtor. Diante disso, os laticínios repassam a majoração nos produtos para o varejo.

Em relação aos preços das carnes bovina, suína e de frango, o Imea aponta variações. Nos supermercados da Baixada Cuiabana, o preço da carne bovina recuou desde o início do ano. Segundo os analistas do instituto, a fraca demanda pela proteína é o principal fator influenciador da queda. Por outro lado, as carnes de frango e suína registraram valorizações, com respectivas altas de 5,53% e 13,36% em maio, ante março. “Tal condição melhora a competitividade da carne bovina, principalmente em relação à carne de frango, sua maior concorrente”, avalia o Imea, no boletim semanal divulgado na segunda-feira (4). Ainda assim, a relação entre a carne bovina e a carne de frango segue acima da média histórica, já que em maio foi possível adquirir 3,95 kg de frango com o valor equivalente a 1 kg de carne bovina. Com informações de A Gazeta.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[23/01/2019] - Arroba: pressão de baixa perdeu força
[23/01/2019] - Carne bovina está mais cara no varejo
[23/01/2019] - Bezerro subiu 6% em janeiro no MT
[23/01/2019] - JBS e BRF seguem vendendo frango aos sauditas
[23/01/2019] - BRF prevê retomada de vendas em 3 meses
[23/01/2019] - Mourão nega que embargo saudita seja político
[22/01/2019] - Arroba: pecuarista segura o boi por preço melhor

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[22/01/2019] - Carne bovina: a única alta entre as exportações
[22/01/2019] - Arábia Saudita barra importações de frango
[22/01/2019] - Atacado da carne cai há três semanas
[22/01/2019] - Calor pode causar intoxicação no gado?
[22/01/2019] - Entidades do Agro protestam contra tabela de frete
[22/01/2019] - Farelos estão mais baratos
[22/01/2019] - Fiscais serão punidos por multas de má-fé
[22/01/2019] - Em Davos, Bolsonaro defende preservação do Agro
[21/01/2019] - Exportações do Agro passam de US$ 100 bi
[21/01/2019] - Arroba: como está o boi em 2019?
[21/01/2019] - Após denúncias, fiscalização está mais rigorosa
[21/01/2019] - JBS: frigorífico reabre após ser fechado pelo MAPA
[21/01/2019] - Como está o preço do milho?
[21/01/2019] - ANTT publica nova tabela de frete
[21/01/2019] - Armas: produtor rural aprovou a liberalização?
[14/12/2018] - Arroba: frigoríficos continuam procurando boi
[14/12/2018] - Arroba sobe forte no RJ
[14/12/2018] - Agência otimista com a situação do Minerva
[14/12/2018] - Leite: importações podem ser suspensas
[14/12/2018] - CNA pede ao STF decisão urgente sobre frete
[14/12/2018] - Incerteza sobre frete trava negócios
[13/12/2018] - Fux volta atrás e tabela de fretes volta a valer
[13/12/2018] - CNA recorrerá contra tabela do frete
[13/12/2018] - Líder dos caminhoneiros agradece Fux
[13/12/2018] - Exportações de gado em pé cresceram 80%
[13/12/2018] - Arroba chega ao maior valor do ano
[13/12/2018] - Abates de novilhas batem recorde
[13/12/2018] - Abates bovinos cresceram 7% em um ano
[13/12/2018] - Exportações poderiam ter crescido mais
[13/12/2018] - Leite: longa vida tem preços estáveis
[13/12/2018] - Mercado do leite está estagnado
[13/12/2018] - Onde criar gado é correr risco de vida
[12/12/2018] - Exportações devem bater recorde em 2019
[12/12/2018] - Arroba: frigoríficos precisam de boi para o Natal
[12/12/2018] - Para onde vai o preço da reposição?
[12/12/2018] - Fracassa leilão de frigorífico em SP
[12/12/2018] - Venda da parte do BNDES na JBS ficou para 2019
[12/12/2018] - Ruralistas nunca foram contra ambiente e índios
[12/12/2018] - Deputados querem prorrogar o Refis do Funrural
[11/12/2018] - PF investiga propina da JBS a Aécio Neves
[11/12/2018] - Árabes aumentam pressão sobre Bolsonaro
[11/12/2018] - Caminhoneiros temem falta de apoio para greve
[11/12/2018] - Arroba: festas de final de ano puxam o boi
[11/12/2018] - Oferta curta valoriza preço da reposição
[11/12/2018] - Alta no atacado puxa preço da carne no varejo
[11/12/2018] - Exportações de carne: dezembro começa forte
[10/12/2018] - Caminhoneiros protestam contra decisão do STF
[10/12/2018] - Arroba do boi segue subindo
[10/12/2018] - Atacado da carne tem recorde de preço
[10/12/2018] - Marfrig será líder global em hambúrguer

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br