Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
147,00 131,00 142,00
GO MT RJ
140,00 134,00 139,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1300,00
Garrote 18m 1570,00
Boi Magro 30m 1970,00
Bezerra 12m 980,00
Novilha 18m 1180,00
Vaca Boiadeira 1330,00

Atualizado em: 18/1/2018 12:21

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Janot ameaça cancelar delação da JBS

 
 
 
Publicado em 05/09/2017

Em um pronunciamento, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, anunciou nesta segunda-feira (04/09) que abriu uma investigação contra três delatores da JBS sobre a suposta omissão de informações no acordo de delação premiada. Novos áudios foram entregues à Procuradoria somente na semana passada.

Janot afirmou que o resultado da investigação pode resultar no cancelamento dos benefícios obtidos pelos irmãos Joesley e Wesley Batista no acordo de delação premiada. O procurador não revelou o conteúdo das gravações, mas disse que é gravíssimo.

"Determinei a abertura de investigação para apurar indícios de omissão de informações sobre práticas de crime no processo de negociação para assinatura do acordo de delação no caso JBS", afirmou Janot. Os áudios foram entregues ao Ministério Público Federal na última quinta-feira.

Segundo o procurador-geral, sem citar nomes, nos áudios, dois delatores fariam "referências indevidas" à Procuradoria Geral da República e ao Supremo Tribunal Federal e também haveria indícios de conduta criminosa por parte do ex-procurador Marcelo Miller.

"Ao longo de três anos, Marcelo foi auxiliar do procurador-geral, procurado por suas qualidades técnicas. Se descumpriu a lei no exercício das funções, deverá pagar por isso", ressaltou. Miller, deixou o cargo de assessor de Janot para trabalhar num escritório de advocacia que representa a JBS.

No áudio, os delatores falariam sobre o suposto papel de Miller na confecção de provas para o fechamento do acordo. As gravações também citariam um suspeito com "foro privilegiado" no Supremo Tribunal Federal (STF).

O procurador-geral ressaltou ainda que as provas obtidas pelos delatores, inclusive as gravações com o presidente Michel Temer continuam valendo.

"Se ficar provada qualquer ilicitude, o acordo poderá ser rescindido, poderá chegar até à rescisão. A eventual rescisão não invalida as provas até então oferecidas. O único resultado negativo é para o próprio colaborador, que perde toda ou em parte a premiação que lhe foi concedida", destacou.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, as conversas gravadas entre os delatores indicam que Miller teria orientado a delação dos executivos da JBS, na época em que ainda era assessor de Janot.

Ao todo sete executivos da JBS fizeram acordos de delação, três deles serão investigados por omissão de informações. Joesley foi o pivô do escândalo que resultou na apresentação de uma denúncia criminal por suspeita de corrupção contra Temer, que acabou sendo rejeitada pela Câmara no início de agosto.

O presidente foi investigado ainda por formação de quadrilha e obstrução da Justiça. Estima-se que o procurador apresentará uma segunda denúncia antes de deixar o cargo, em 17 de setembro.

Em sigilo

Antes do anúncio de Janot, o ministro STF Edson Fachin decidiu nesta segunda-feira manter em segredo de Justiça o conteúdo dos áudios entregues na semana passada. As gravações revelam conversas de Joesley e seus advogados durante o processo de negociação do acordo de delação premiada.

"O conteúdo desse diálogo, ainda que aparentemente gravado por um dos interlocutores, ostenta caráter de indevassabilidade em razão do sigilo assegurado pela lei às comunicações entre advogados e clientes, naquilo que concerne ao exercício profissional", argumentou Fachin.

O processo de obtenção dos benefícios de delação é questionado no Supremo pela defesa de Temer. Os executivos da JBS negam irregularidades. Com informações da Deutsche Welle.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[18/12/2017] - Boletim Notícias da Pecuária em férias coletivas
[15/12/2017] - Arroba: frigoríficos correm atrás de boi
[15/12/2017] - Carne sobe e está no maior preço do ano
[15/12/2017] - Exportações de carne podem bater novo recorde
[15/12/2017] - CNA: manutenção de vacina complica vendas aos EUA
[15/12/2017] - Senado aprova Lei do Funrural mas Temer deve vetar
[15/12/2017] - Produtor foi expulso de terras por indígenas

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[15/12/2017] - Índios são usados para obter verbas públicas
[15/12/2017] - ARTIGO: Governo é dono de 47% das terras do País
[15/12/2017] - Esvaziada, CPMI da JBS acaba
[14/12/2017] - Arroba: altas são generalizadas
[14/12/2017] - Arroba: frigoríficos têm dificuldade para comprar
[14/12/2017] - Exportações de carne seguem fortes em dezembro
[14/12/2017] - Exportações de carne do MT batem recorde
[14/12/2017] - Abates cresceram 9% no terceiro trimestre
[14/12/2017] - MAPA cede e facilita importação de trigo russo
[13/12/2017] - Arroba: frigoríficos estão precisando comprar boi
[13/12/2017] - Reposição ganha força com a chegada das chuvas
[13/12/2017] - Exportação de gado subiu quase 32% em 2017
[13/12/2017] - Agência prevê 2018 melhor para os frigoríficos
[13/12/2017] - Mercosul cede, mas UE adia acordo para 2018
[13/12/2017] - Brasil trabalha forte para abrir mercado britânico
[13/12/2017] - Maggi crê que mercado dos EUA será reaberto logo
[13/12/2017] - Argentina ganha espaço entre os exportadores
[13/12/2017] - JBS deverá devolver terreno de frigorífico no MT
[13/12/2017] - Câmara conclui aprovação da Lei do Funrural
[13/12/2017] - Famato pede prorrogação para inscrição no CAR
[13/12/2017] - MST invade fazenda recém-desocupada no Paraná
[12/12/2017] - Exportações de carne bovina: recorde histórico
[12/12/2017] - MAPA vai atender exigências dos russos
[12/12/2017] - Arroba: frigoríficos tentam segurar alta do boi
[12/12/2017] - Produção de carne fica estável no MS
[12/12/2017] - Frigoríficos criticam imposto menor para o boi
[12/12/2017] - Mais um processo contra a JBS e Wesley Batista
[12/12/2017] - UE quer abertura, mas carne bovina ainda é entrave
[11/12/2017] - Operação da PF investiga propina da JBS a fiscal
[11/12/2017] - Arroba continua a subir com firmeza
[11/12/2017] - Carne sobe e melhora perspectiva para o boi
[11/12/2017] - Reposição começa a se agitar no Tocantins
[11/12/2017] - Acordo com a UE pode ser anunciado até o dia 21
[11/12/2017] - Missão oficial de Hong Kong inspeciona frigorífico
[11/12/2017] - Funrural: votação deve acabar amanhã na Câmara
[11/12/2017] - Venda de milho está parada
[08/12/2017] - Arroba: frigoríficos pagam cada vez mais pelo boi
[08/12/2017] - Frigoríficos: vendas para o Natal surpreendem
[08/12/2017] - Reação do mercado agora depende do consumidor
[08/12/2017] - JBS diz que vai recuperar o mercado perdido
[08/12/2017] - BNDES deve vender ações da JBS
[08/12/2017] - JBS mantém planos de vender ações em NY
[08/12/2017] - Venda da Itambé pode parar na Justiça
[08/12/2017] - Governo do MS reduz impostos para laticínios
[08/12/2017] - Preço do farelo de algodão cai com força
[07/12/2017] - Arroba: boi sobe e tem mais espaço para alta
[07/12/2017] - Preço do bezerro sobe com volta das chuvas
[07/12/2017] - Exportações podem fechar ano com forte alta
[07/12/2017] - Ameaça de Trump faz México buscar carne do Brasil
[07/12/2017] - Negociações para reabertura da Rússia vão bem

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br