Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
141,00 130,00 132,00
GO MT RJ
131,00 132,00 133,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1290,00
Garrote 18m 1550,00
Boi Magro 30m 1910,00
Bezerra 12m 990,00
Novilha 18m 1190,00
Vaca Boiadeira 1350,00

Atualizado em: 23/4/2018 10:10

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Margens dos frigoríficos só sobem

 
 
 
Publicado em 07/06/2017

Intensificada após a divulgação da delação premiada dos irmãos Batista, a redução dos preços do boi gordo no Brasil recompôs a margem dos frigoríficos no mercado interno. A melhora de margens ocorre no momento em que a rentabilidade e as vendas na exportação patinam, enquanto no mercado doméstico a demanda segue fraca.

Levantamento da consultoria MB Agro - braço da MB Associados - mostra que a diferença entre o preço da carcaça bovina casada no atacado do Estado de São Paulo e a cotação do boi gordo está 5% mais alta. Normalmente, esse indicador é negativo porque não estão incluídos os subprodutos do abate bovino (couro, sebo, entre outros). Chamada de spread, a diferença entre a carcaça e o boi gordo é um indicador de margem bruta.

Acompanhe as cotações da arroba do boi gordo e da reposição em: www.pecuaria.com.br/cotacoes.php

Segundo o analista César Castro Alves, da MB Agro, a recuperação da margem dos frigoríficos decorre da queda dos preços do boi gordo. "O spread no mercado interno está bom", afirmou ele, ponderando que, no caso da JBS, o ritmo de abates mais fraco por causa da delação limita os ganhos pois a companhia tem mais custos fixos.

Mas os concorrentes da JBS podem aproveitar o momento favorável no mercado interno, acrescentou. "Os concorrentes aproveitam o vácuo. Os maiores frigoríficos aproveitam muito porque são considerados mais sólidos", disse Alves, em alusão a Marfrig Global Foods e Minerva Foods.

No caso dos pequenos frigoríficos, também há oportunidades. Ainda que não gozem da mesma confiança perante os pecuaristas se comparados aos maiores frigoríficos, a redução das escalas da JBS é uma oportunidade para os pequenos acelerarem os abates. "Os pequenos vão tentar produzir mais enquanto sobra boi", disse.

De certa forma, isso já está acontecendo. Conforme o informou ontem o Valor, a escala de abates - programação da produção futura de carne - da JBS caiu 65% desde a divulgação da delação. Se antes da delação a empresa tinha assegurada a compra de boi necessária para o abate dos cinco dias seguintes, agora só assegura a compra de dois dias. Por outro lado, os concorrentes aumentaram a média de cinco dias para até sete dias.

Se no mercado interno a margem dos frigoríficos melhorou por causa da queda dos preços do boi gordo, na exportação o cenário ainda é ruim, embora também haja recuperação.

Conforme a MB Agro, o spread na exportação - diferença entre o preço da carne vendida e o do boi gordo - atingiu 6% em abril, último dado disponível.

Na comparação com o primeiro trimestre, trata-se de uma sensível melhora tendo em vista que o spread de janeiro, fevereiro e março ficou próximo de 1%. "Mas ainda não está bom. Está arrastando", avaliou o analista. A média histórica do spread na exportação é de 26%, segundo a MB Agro. O levantamento da consultoria teve início no ano de 1997.

De acordo com Alves, a margem da exportação melhorou por conta da alta do preço em dólar. Até abril, o câmbio não ajudava. Em maio, o real se desvalorizou em decorrência da crise política detonada pela delação da JBS, o que pode ser positivo para as exportações.

Embora não tenha fechado os dados do spread de maio, o analista ponderou que a margem da exportação precisa de um câmbio estável. Em um cenário volátil, também há espaço para que os importadores pressionem por uma queda dos preços da carne exportada.

De toda maneira, a desvalorização do real é positiva para a exportação, ressaltou. No início de 2016, quando o dólar estava próximo de R$ 4, o spread dos frigoríficos brasileiros na exportação oscilou entre 30% e 40%, lembrou Alves. Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[23/04/2018] - Arroba: por que o boi está em queda?
[23/04/2018] - Embargo da UE pode ser menos grave que parece
[23/04/2018] - Farelo de algodão está mais barato em 2018
[23/04/2018] - Queijo: projeto aprovado ajuda o pequeno produtor
[23/04/2018] - Venda de fertilizantes caiu em 2018
[23/04/2018] - União de produtores contra a criminalidade em MG
[23/04/2018] - STF marca data para decisão sobre o Funrural

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[20/04/2018] - Carne bovina sobe depois de dois meses
[20/04/2018] - O embargo europeu vai afetar o preço do boi?
[20/04/2018] - Maggi: embargo não é o fim do mundo
[20/04/2018] - Quais são os frigoríficos embargados pela UE?
[20/04/2018] - BRF dá férias coletivas a mais 2 mil funcionários
[20/04/2018] - Arroba: para onde vão os preços?
[20/04/2018] - Incerteza no boi trava a reposição
[20/04/2018] - Proibição do transporte de gado vai à Justiça
[20/04/2018] - JBS: provas expõem a compra de políticos
[19/04/2018] - UE oficializa embargo ao frango brasileiro
[19/04/2018] - Embargo da UE: demissões no Brasil
[19/04/2018] - Arroba: o que segura o boi é a exportação
[19/04/2018] - Arroba: mercado em tendência de baixa
[19/04/2018] - Exportação de bois cresceu quase 20%
[19/04/2018] - Prefeitura proíbe transporte de bois em Santos
[19/04/2018] - Para onde vai a reposição?
[19/04/2018] - Está mais caro produzir leite
[19/04/2018] - JBS: Batistas não poderão votar em ações contra si
[19/04/2018] - Funrural: setor pressiona por fim das dívidas
[18/04/2018] - Brasil exportará volume histórico de carne bovina
[18/04/2018] - MAPA anuncia novos mercados para a carne do Brasil
[18/04/2018] - Exportações do MT têm melhor trimestre em 4 anos
[18/04/2018] - Arroba: mercado perde força
[18/04/2018] - Aumenta a procura por animais de reposição
[18/04/2018] - Leite: consumo está melhorando
[18/04/2018] - Índia libera a importação de embriões do Brasil
[18/04/2018] - MAPA vai à OMC contra embargo da UE à BRF
[18/04/2018] - Preço do frango volta ao fundo do poço
[18/04/2018] - Preço do milho volta a subir no RS
[17/04/2018] - Terras para pastagem devem se valorizar
[17/04/2018] - Arroba: frigoríficos querem pagar menos
[17/04/2018] - Exportações de carne perderam ritmo em abril
[17/04/2018] - Frigoríficos estão mantendo a margem de lucro
[17/04/2018] - UE deve embargar 15 unidades da BRF
[17/04/2018] - Produtores se unem por internet de qualidade
[16/04/2018] - Época: caso JBS é escandaloso
[16/04/2018] - Como o embargo à BRF pode derrubar a arroba do boi
[16/04/2018] - Arroba: mercado está travado
[16/04/2018] - Minerva: frigoríficos devem reduzir abates
[16/04/2018] - Produtores de milho saem do mercado
[13/04/2018] - Aftosa ressurge na Colômbia e preocupa o Brasil
[13/04/2018] - China compra quase 50% das exportações de carne
[13/04/2018] - Arroba: preços podem cair ainda mais
[13/04/2018] - Início do mês não puxou as vendas de carne bovina
[13/04/2018] - Farelo de soja caro pode afetar o confinamento
[13/04/2018] - Brasil ameaça retaliar se UE embargar carne
[13/04/2018] - Produtor rural é morto durante assalto a fazenda
[13/04/2018] - Quadrilha é presa em flagrante por furto de gado
[12/04/2018] - Pecuaristas do Paraná já falam em investir
[12/04/2018] - Arroba: pressão de baixa aumenta

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br