Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
149,00 134,00 143,00
GO MT RJ
135,00 132,00 148,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1310,00
Garrote 18m 1590,00
Boi Magro 30m 1920,00
Bezerra 12m 980,00
Novilha 18m 1170,00
Vaca Boiadeira 1420,00

Atualizado em: 17/1/2017 00:13

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

Agro volta a empregar no RS

 
 
 
Publicado em 09/12/2016

A Fundação de Economia e Estatística (FEE) divulgou nesta quinta-feira (8) que, no mês de outubro, foi registrado saldo positivo de 2.958 empregos formais celetistas no agronegócio no Rio Grande do Sul. Com 321.178 postos de trabalho com carteira assinada, o setor teve 0,9% de crescimento em relação a setembro e reverte movimento de queda de seis meses. O saldo positivo registrado em outubro resulta da combinação do crescimento das admissões e da queda dos desligamentos no setor.

Segundo Rodrigo Feix, coordenador do Núcleo de Estudos do Agronegócio da FEE, no Rio Grande do Sul “a retomada das contratações de trabalhadores no agronegócio é característica do último trimestre. Nesse período, tanto o comércio atacadista de insumos e produtos agropecuários são aquecidos em razão do desenrolar da safra de grãos”.

O movimento de criação de postos de trabalho foi generalizado entre os três segmentos do agronegócio gaúcho: 'antes', 'dentro' e 'depois da porteira'. O destaque foi o segmento 'depois da porteira', composto predominantemente de atividades agroindustriais, que registrou a abertura de quase 1.800 postos de trabalho em outubro. Os setores com maior criação de vagas foram os de comércio atacadista de produtos agroindustriais e fabricação de conservas.

Por outro lado, a fabricação de produtos do fumo registra a maior perda de empregos celetistas no agronegócio gaúcho. “Nesse setor, a desmobilização da mão de obra contratada temporariamente para o beneficiamento do fumo colhido nos primeiros meses do ano está praticamente concluída”, sinaliza Feix.

Acumulado do ano

Apesar de ter registrado perda de empregos formais entre abril e setembro, no acumulado do ano o saldo continua positivo no agronegócio gaúcho. Entre janeiro e outubro foram gerados 4.315 postos de trabalho, o que representa uma alta de 1,4% em relação ao número de empregos formais existentes em 31 de dezembro de 2015. Esse saldo é significativamente superior ao observado no mesmo período de 2015, quando haviam sido criados apenas 351 postos de trabalho no agronegócio gaúcho nos dez primeiros meses do ano.

Os principais setores responsáveis por esse desempenho são os de comércio atacadista de produtos agropecuários e agroindustriais (mais 2.049 postos; alta de 5,2% no estoque), de produção de lavouras permanentes (mais 1.200 postos; alta de 15,6% no estoque) e de produção florestal (mais 694 postos; alta de 13,0% no estoque). Os setores com pior desempenho foram os de produção de sementes e mudas certificadas (menos 515 vagas; queda de 28,3% no estoque) e de fabricação de tratores, máquinas e equipamentos agropecuários (menos 347 postos; queda de 1,5% no estoque).

Para Feix, a atenta análise do mercado de trabalho revela sinais consistentes de início de recuperação em setores importantes do agronegócio gaúcho. Esse é o caso, por exemplo, da indústria de máquinas e implementos que já se beneficia da melhora das condições de investimento na agricultura. Apesar do saldo negativo no acumulado do ano, houve criação de empregos nos últimos três meses, resultado não observado desde o primeiro trimestre de 2014. Com informações da Secom-RS.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[20/12/2016] - Notícias da Pecuária: recesso e feliz 2017!
[16/12/2016] - Marfrig fecha definitivamente outra unidade
[16/12/2016] - Natal fraco para a indústria de carnes
[16/12/2016] - Arroba: cenário definido para o fim de ano
[16/12/2016] - Reposição devagar no Mato Grosso do Sul
[16/12/2016] - Estoque de machos vai subir em 2018 no MT
[16/12/2016] - IBGE: abates de suínos foram os únicos em alta

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[16/12/2016] - CAR: Ministério agora culpa hackers por vazamento
[15/12/2016] - Após acusar JBS, CPI volta atrás no Mato Grosso
[15/12/2016] - Arroba: frigoríficos já fecharam o ano?
[15/12/2016] - Arroba: cenário é de estabilidade
[15/12/2016] - Carne bovina está mais competitiva
[15/12/2016] - Melhora a relação de troca para o recriador
[15/12/2016] - Pressão de baixa perde força no leite
[15/12/2016] - Alta do petróleo pode ajudar exportações
[14/12/2016] - Arroba: tem pecuarista recebendo mais pelo boi
[14/12/2016] - Com queda na arroba, abate de vacas aumentou
[14/12/2016] - Forte queda no consumo de carne de frango
[14/12/2016] - Greve no RS deve prejudicar abates
[14/12/2016] - Israel quer aumentar compras de carne brasileira
[13/12/2016] - Arroba: há uma referência?
[13/12/2016] - Exportações: início fraco em dezembro
[13/12/2016] - Frigoríficos menores têm queda maior na exportação
[13/12/2016] - Reposição devagar em Goiás
[13/12/2016] - Como ficará o mercado do leite em 2017?
[13/12/2016] - CNA acusa Sarney Filho de crime em divulgação
[13/12/2016] - Argentina aposta firme na pecuária e agricultura
[12/12/2016] - 2017: Frigoríficos prevêem exportações 9% maiores
[12/12/2016] - Arroba: como ficará o final do ano?
[12/12/2016] - Reposição fraca, à espera do boi
[12/12/2016] - Polícia Civil recupera 292 animais em GO
[12/12/2016] - Governo pode alterar demarcações por decreto
[09/12/2016] - MP quer barrar parceria entre índios e agricultor
[09/12/2016] - Arroba: frigoríficos e consumidor pisaram no freio
[09/12/2016] - Agro ajuda a segurar a inflação em novembro
[09/12/2016] - Brasil produzirá mais milho em 2017
[09/12/2016] - Agro volta a empregar no RS
[08/12/2016] - Carne em alta, bezerro em baixa. E o boi?
[08/12/2016] - Arroba: preços estão sem definição
[08/12/2016] - Polícia prende quadrilha de roubo de gado no RS
[08/12/2016] - Novilho Precoce MS reabre inscrições
[07/12/2016] - Arroba: muito cuidado na hora de vender o boi
[07/12/2016] - Exportações de carne bovina continuam caindo
[07/12/2016] - China: Trump escolhe nome do agro para embaixada
[07/12/2016] - Pecuarista oferece recompensa para recuperar gado
[07/12/2016] - JBS ganha R$ 5 bi em um dia com reorganização
[07/12/2016] - MP investiga sonegação por frigoríficos
[07/12/2016] - Comissão da Câmara aprova preço mínimo para frete
[07/12/2016] - MAPA quer agilizar registro de produtos
[06/12/2016] - Governo errou: abertura japonesa está longe
[06/12/2016] - Arroba: frigoríficos em compasso de espera
[06/12/2016] - Margem dos frigoríficos melhorou no Mato Grosso
[06/12/2016] - Está difícil ganhar dinheiro com o leite
[06/12/2016] - Apesar da crise, CNA prevê crescimento para o Agro
[06/12/2016] - JBS muda plano de reorganização e agrada ao BNDES
[06/12/2016] - Reforma da Previdência mudará aposentadoria rural
[06/12/2016] - Divulgação do CAR é corrigida após pressão

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br