Cotações Mapas Notícias em seu e-mail
Precisa vender? Mais de 6.000 visitantes diariamente esperam pelo seu produto aqui no Pecuaria.com.br. Clique aqui e veja como e facil anunciar!
Arroba do Boi - R$ (À vista)
SP MS MG
150,00 141,00 146,00
GO MT RJ
139,00 136,00 146,00
Reposição - SP - R$
Bezerro 12m 1380,00
Garrote 18m 1650,00
Boi Magro 30m 2000,00
Bezerra 12m 1020,00
Novilha 18m 1250,00
Vaca Boiadeira 1420,00

Atualizado em: 14/12/2018 11:37

Cotações da Arroba: SP-Noroeste, MS-Três Lagoas, MG - Triângulo, GO - Região Sul, MT - Rondonópolis, RJ-Campos
Clique aqui e veja cotações anteriores

 

 

 

 


 
Receba, diariamente, em seu
e-mail nosso boletim com os assuntos que mais interessam
ao profissional do setor.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente.


Adriano Garcia
MTb 10252-MG

 

LBR define venda de unidades

 
 
 
Publicado em 22/08/2014

Após seis sessões, a assembleia de credores da LBR - Lácteos Brasil aprovou ontem, por unanimidade, a combinação de propostas recomendada pela companhia para venda de 14 unidades produtivas isoladas (UPIs), dentro de seu plano de recuperação judicial.

Essa combinação, considerada mais favorável pela LBR por permitir a entrada do maior montante de dinheiro à vista no caixa da empresa, envolve as propostas, por diferentes unidades, da francesa Lactalis (R$ 250 milhões), da ARC Medical Logística (R$ 203,3 milhões), da Colorado (R$ 40,177 milhões), do Laticínios Bela Vista (R$ 25 milhões), da Cooperativa do Vale do Rio Doce (R$ 7 milhões) e da Agricoop (R$ 6 milhões). Todas as 14 UPIs postas à venda foram alienadas e com a venda a empresa vai arrecadar um montante total de R$ 531,477 milhões.

Houve aprovação unânime de credores da classe trabalhista e também dos credores com garantia real. Houve ainda unanimidade entre credores sem garantia (quirografários), mas cinco abstenções. Agora, a decisão dos credores tem de ser homologada pelo juiz da recuperação judicial, Daniel Carnio Costa.

Entre parte dos credores, a avaliação era de que aprovação das propostas combinadas era o melhor caminho por conta da situação financeira da LBR, que corria o risco de parar por conta da dificuldade de obter capital de giro. Dessa forma, mesmo temas polêmicos acabaram sendo superados pelos credores.

Antes da aprovação da venda, que aconteceu por volta das nove da noite, um ponto da operação gerou incertezas entre os proponentes que tiveram suas ofertas recomendadas pela LBR junto com a oferta da Lactalis. A francesa só pagará os R$ 250 milhões pelas unidades Fazenda Vila Nova, Barra Mansa, Boa Nata e Poços de Caldas após a aprovação da operação de aquisição pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A expectativa é de que o órgão se manifeste em 30 a 40 dias, segundos os advogados da Lactalis. Eles consideram o risco de não aprovação desprezível.

Mas a LBR admitiu que uma eventual não aprovação pelo Cade, que significaria a saída da Lactalis, poderia inviabilizar as negociações com os outros proponentes porque a LBR conta com os recursos da empresa francesa para liberar gravames (pendências que poderiam impedir a venda) de outras unidades. A aquisição das unidades pela Lactalis tem de ser submetida ao Cade por se tratar de grupo econômico com faturamento superior a R$ 750 milhões.

O presidente estatutário da LBR e sócio da Ivix (que reestruturou a empresa de lácteos) Nelson Bastos não escondia a satisfação após o resultado da votação pelos credores. "A LBR tem satisfação em ver o plano, com venda de parte significativa dos seus ativos operacionais, aprovado por unanimidade", afirmou.

A LBR que restará após a venda de ativos é uma empresa com três unidades em operação e receita líquida projetada de R$ 317,7 milhões no próximo ano, segundo apresentação feita ontem de manhã na assembleia de credores. Em apresentação a LBR mostrou projeções financeiras num cenário de alienação das 14 unidades produtivas isoladas.

A LBR informou que após as vendas das 14 unidades seguirá operando o consórcio que tem hoje com as companhias Gloria e Ibituruna - uma negociação para arrendamento das unidades de Governador Valadares e Guaratinguetá está em curso. Além disso, a LBR também já acertou o arrendamento da unidade de Tapejara da ARC Medical Logística, proponente escolhida para alienação da planta.. Nessa planta, irá produzir leite com a marca Bom Gosto. A LBR também irá licenciar o uso da marca Ibituruna, adquirida pela Cooperativa do Vale do Rio Doce, conforme a recomendação da LBR.

Segundo a empresa, o faturamento projetado de R$ R$ 317,7 milhões é calculado com base numa captação média de 500 mil litros de leite por dia, com um preço médio de R$ 1,98 pelo litro do leite longa vida. A previsão, com o enxugamento da estrutura, é alcançar uma margem Ebitda de 5%. As três unidades que seguirão operando, conforme a empresa, geraram em 2013 uma receita bruta de R$ 846 milhões, ou cerca de 40% do faturamento total da LBR, que ficou em R$ 2,01 bilhões.

Apesar da substancial redução dos seus ativos industriais, a LBR afirma que terá capacidade de produção suficiente para manter "uma significativa presença no mercado de leite UHT". Segundo a companhia, as três unidades, sem investimentos adicionais, podem processar mais de 2,3 milhões de litros por dia. Cerca de 800 funcionários trabalharão nas plantas.

As projeções financeiras da LBR também consideram que a empresa terá o ressarcimento de um crédito liquido de PIS-Cofins de R$ R$ 178 milhões no próximo ano. A empresa também reafirmou o plano de realizar o chamado leilão holandês ou leilão de desconto da dívida para os credores quirografários. O valor total no leilão será de R$ 50 milhões, considerando o desconto mínimo de 50% em parte da dívida.

Quando foi criada no fim de 2011, após a associação entre a Leitbom, controlada pela Monticiano Participações (GP Investimentos e Laep), e a gaúcha Laticínios Bom Gosto, a LBR era uma empresa com 35 unidades e cerca de oito mil funcionários em todo o país. Hoje, há cerca de 20 fábricas fechadas (não considerando as unidades colocadas à venda). Com informações do Valor.

  Compartilhe Compartilhe esta matéria    Imprimir

 


   Leia também:
 
[14/12/2018] - Arroba: frigoríficos continuam procurando boi
[14/12/2018] - Arroba sobe forte no RJ
[14/12/2018] - Agência otimista com a situação do Minerva
[14/12/2018] - Leite: importações podem ser suspensas
[14/12/2018] - CNA pede ao STF decisão urgente sobre frete
[14/12/2018] - Incerteza sobre frete trava negócios
[13/12/2018] - Fux volta atrás e tabela de fretes volta a valer

Regras para a publicação de comentários


   Notícias Anteriores
 
[13/12/2018] - CNA recorrerá contra tabela do frete
[13/12/2018] - Líder dos caminhoneiros agradece Fux
[13/12/2018] - Exportações de gado em pé cresceram 80%
[13/12/2018] - Arroba chega ao maior valor do ano
[13/12/2018] - Abates de novilhas batem recorde
[13/12/2018] - Abates bovinos cresceram 7% em um ano
[13/12/2018] - Exportações poderiam ter crescido mais
[13/12/2018] - Leite: longa vida tem preços estáveis
[13/12/2018] - Mercado do leite está estagnado
[13/12/2018] - Onde criar gado é correr risco de vida
[12/12/2018] - Exportações devem bater recorde em 2019
[12/12/2018] - Arroba: frigoríficos precisam de boi para o Natal
[12/12/2018] - Para onde vai o preço da reposição?
[12/12/2018] - Fracassa leilão de frigorífico em SP
[12/12/2018] - Venda da parte do BNDES na JBS ficou para 2019
[12/12/2018] - Ruralistas nunca foram contra ambiente e índios
[12/12/2018] - Deputados querem prorrogar o Refis do Funrural
[11/12/2018] - PF investiga propina da JBS a Aécio Neves
[11/12/2018] - Árabes aumentam pressão sobre Bolsonaro
[11/12/2018] - Caminhoneiros temem falta de apoio para greve
[11/12/2018] - Arroba: festas de final de ano puxam o boi
[11/12/2018] - Oferta curta valoriza preço da reposição
[11/12/2018] - Alta no atacado puxa preço da carne no varejo
[11/12/2018] - Exportações de carne: dezembro começa forte
[10/12/2018] - Caminhoneiros protestam contra decisão do STF
[10/12/2018] - Arroba do boi segue subindo
[10/12/2018] - Atacado da carne tem recorde de preço
[10/12/2018] - Marfrig será líder global em hambúrguer
[10/12/2018] - Leite: oferta aumentou e derrubou preço
[10/12/2018] - MG terá nova referência para o preço do leite
[10/12/2018] - Milho: preços seguem firmes
[10/12/2018] - Agro dá apoio ao novo ministro do Meio Ambiente
[07/12/2018] - STF impede multa por desrespeito à tabela do frete
[07/12/2018] - Mais uma greve dos caminhoneiros?
[07/12/2018] - Arroba do boi ganha força na alta
[07/12/2018] - Mercado do boi está devagar em SC
[07/12/2018] - Marfrig fecha compra de unidades da BRF
[07/12/2018] - Tereza: produtor deve ser pago para preservar
[07/12/2018] - Milho deve ficar mais caro em 2019
[07/12/2018] - Funai irá para o Ministério dos Direitos Humanos
[06/12/2018] - Arroba do boi voltou a subir em São Paulo
[06/12/2018] - Exportação de boi em alta em novembro
[06/12/2018] - Boi deve subir no Mato Grosso
[06/12/2018] - Há frigoríficos pagando mais pelo boi
[06/12/2018] - CNA pede suspensão de multas por tabela
[06/12/2018] - Custos devem derrubar PIB do Agro em 2018
[06/12/2018] - Dívida do Funrural será extinta?
[06/12/2018] - Minerva nega oferta para comprar ativos da BRF
[06/12/2018] - Prazo para o CAR termina em 31 de dezembro
[05/12/2018] - JBS: Batistas fora da liderança

     Clique aqui para ver o índice geral de noticias


 

 

 

Adicione seu site Comprar e vender Atendimento ao anunciante Mais buscados

Venda para a pecuária brasileira através da Internet!
Clique aqui e veja como anunciar no Pecuária.com.br